CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

A Minha Sombra

Não me atrevo a mover. Vejo a caneca de café fumegante mesmo no meu campo de visão, mas não me quero mexer. Não quero sentir o retesar dos meus músculos, não quero ouvir o estalido petulante, não quero sentir as minhas mãos em torno de algo que me faria revitalizar.
Estou enregelada até aos ossos. Tenho a ponta do nariz gélida, como se uma brisa glacial soprasse no interior do meu quarto, como se tivesse trespassado as paredes e me atingisse. Na verdade, estar exposta a um tremendo vendaval não me assustava. Assustavam-me bem mais os meus pensamentos.
As minhas mãos começaram a tremer, seguindo-se todo o corpo numa dança involuntária que eu não conseguia controlar. Não havia ninguém para me auxiliar. Devia estar mais que acostumada a ser eu e a minha sombra. Não obstante, a culpa era inteiramente minha. Afastei-os a todos num estalar de dedos. Bastou um erro não premeditado para ter derrubado o castelo de areia que eu tinha construído. Tentei ultrapassar, juro que sim, juro que tentei erguer-me, mas havia sempre alguém que fazia questão de me dizer: "Não prestas.", "Só fazes as pessoas sofrerem.", "Mereces o dobro daquilo que estás a passar.". E eu, tola, ingénua, acreditei piamente deixando-me engolir pelas palavras que a minha própria mente ditava.
Não me resta mais nada. Nada para além da minha sombra.

-fictício-

Submited by

quinta-feira, novembro 15, 2012 - 00:54

Prosas :

Average: 5 (1 vote)

Samanthalves

imagem de Samanthalves
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 8 anos 42 semanas
Membro desde: 09/13/2012
Conteúdos:
Pontos: 43

Comentários

imagem de Nuno Lago

A Minha Sombra

Olá Samantha! Acontecem na vida das pessoas "humanas" momentos assim, ou quase assim. E é quando podemos reflectir que pelo menos temos sempre connosco a nossa sombra. Porventura é esta imagem imaterial que nos consegue mostrar que estamos vivos e, com algum esforço, e vontade, ainda nos erguemos e avançamos. E tudo, lentamente, recomeça! A tua reflexão parece-me muito bem dissecada e psicologicamente desenhada com propriedade. Gostei de te ler. Felicitações!
Beijos do Nuno

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Samanthalves

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Prosas/Contos A Minha Sombra 1 900 12/14/2012 - 23:51 Português
Prosas/Contos Tormentus 0 1.997 11/21/2012 - 23:15 inglês
Poesia/Gótico Criaturas 1 784 11/06/2012 - 23:36 Português
Poesia/Pensamentos Sessenta Segundos 1 860 10/26/2012 - 19:01 Português
Poesia/Dedicado Eu sou um pássaro 1 1.047 10/22/2012 - 23:57 Português
Poesia/Meditação Crazy little thing 1 734 10/22/2012 - 07:00 Português
Críticas/Outros "Somos feitos da mesma matéria que os nossos sonhos" 1 1.170 10/17/2012 - 22:14 Português