CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

O roubo legalizado

O roubo legalizado

Vivemos em um tempo aonde a lei ampara o roubo legalizado, tarifas absurdas, taxas que são verdadeiros crimes e impostos que nenhum ser humano é capaz de aguentar. A lei faz com que políticos fichas sujas, que prejudicam o país descaradamente fiquem impunes, mas coloca na cadeia manifestantes e pobres que não tem como obter um bom advogado.
Somos um país de estádios,do futebol, da cultura do supérfluo, aonde escolas se desmancham pelo descaso, aonde a saúde publica e o transporte são banalizados e a população paga o pato, ou seria o custo Brasil?
Custo arcado a duras penas, custo pago com suor e sangue do trabalhador, que ganha uma miséria, um salario que mal se pode comer, pagar por bons serviços. Aonde políticos com suas pequenas fortunas não sentem, pois a realidade em que vivem é de primeiro mundo, enquanto o serviço que prestam é de terceiro.
Mais uma vitima de bala perdida, mais uma morte nas filas de hospitais, mais uma enchente que leva muitas vidas, as desculpas são as mesmas, os discursos ensaiados, ano após ano, mudando apenas as caras, pois as soluções nunca aparecem, as soluções se perdem na corrupção, na maquina lenta do estado que definha, com suas soluções boas apenas para quem esta no topo e nunca para quem necessita do verdadeiro auxilio.

Abriu a janela pela manha
Mais uma bala perdida,
Lhe faz companhia.
Entre um jornal e outro descaso
Fila de hospital, marginal praticando tiro ao alvo!
Politico no planalto fingindo não saber
Que o povo tem fome, tem sede,
Quer aprender a ler!
Mas quem quer saber?
Quem deseja mudar?
Lutar pra que?
Cansa, tira um, nasce cem!
E a conta, mesmo nova ou antiga,
Tá por vencer!

“De tiro em tiro, fila em fila, brasileiro vai sobrevivendo até que não exista mais forma de vida”!

Submited by

quinta-feira, março 28, 2013 - 02:07

Prosas :

No votes yet

Pablo Gabriel

imagem de Pablo Gabriel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 6 semanas 3 dias
Membro desde: 05/02/2011
Conteúdos:
Pontos: 2861

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Pablo Gabriel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Meditação [Á deriva] 0 51 05/08/2019 - 15:29 Português
Poesia/Meditação [Vazios] 0 154 04/03/2019 - 21:00 Português
Poesia/Meditação [Círculos] 0 178 03/12/2019 - 17:34 Português
Poesia/Meditação [Mundo] 0 316 12/07/2018 - 20:47 Português
Poesia/Meditação [Curtido] 0 303 11/26/2018 - 20:20 Português
Poesia/Meditação [Caminhar] 0 360 11/21/2018 - 14:21 Português
Críticas/Outros [A filosofia do povo] 0 527 10/30/2018 - 14:13 Português
Poesia/Meditação [Morto] 0 470 10/25/2018 - 19:56 Português
Poesia/Meditação [Novos velhos] 0 374 10/24/2018 - 14:52 Português
Poesia/Meditação [Preço] 0 398 10/23/2018 - 15:12 Português
Poesia/Meditação [Destempero] 0 369 10/05/2018 - 21:19 Português
Poesia/Meditação [Brasília] 0 334 08/03/2018 - 20:28 Português
Poesia/Meditação [Enlatado] 0 890 07/24/2018 - 15:13 Português
Poesia/Meditação [Malandro] 0 459 07/19/2018 - 15:11 Português
Poesia/Meditação [Sina] 0 603 07/17/2018 - 15:24 Português
Poesia/Meditação Escolhas e liberdades 0 512 07/16/2018 - 14:21 Português
Críticas/Outros [A morte do jornalismo] 0 987 06/22/2018 - 20:53 Português
Poesia/Meditação [Epifania] 0 717 06/20/2018 - 21:18 Português
Poesia/Meditação [Vida] 0 873 06/04/2018 - 15:31 Português
Poesia/Meditação [Cajado] 0 542 04/30/2018 - 18:36 Português
Poesia/Amor [J] 0 537 03/27/2018 - 21:10 Português
Poesia/Amor [Olhos castanhos] 2 392 03/20/2018 - 11:58 Português
Poesia/Meditação [Poesia do fim] 2 631 03/14/2018 - 21:46 Português
Poesia/Meditação [Tudo é silêncio] 0 517 11/07/2017 - 14:26 Português
Poesia/Amor [Teus] 0 697 10/10/2017 - 15:39 Português