CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

OS GÉMEOS - 30

.

 

(continuação)

 

Não podendo dançar com as duas ao mesmo tempo, resolveu dar-lhes a mão e levá-las de volta para a mesa. Cada um deles desejava aparentar uma despreocupação que não possuía no momento, e, talvez por estarem conscientes de que não conseguiriam iludir-se uns aos outros, cada qual entreteve-se com a trivialidade de mais imediata inspiração. Hana pegou na lista das bebidas e foi escabichando o extenso rol de nomes exóticos, Louise acendeu um cigarro e fumou-o com maneirismos sofisticados, e ele concentrou-se a apreciar os pormenores de decoração e luzes da sala.

Um quarto de hora depois James ainda não tinha regressado e os três impacientavam-se, porque já haviam esgotado há muito a sua capacidade para se conservarem tranquilos quando a sua vontade era a de continuarem a discutir as medidas que deveriam tomar para se libertarem pelo menos da sensação cada vez mais obsessiva de que os actos policiais que pendiam sobre o ramerrão da sua actividade iriam tornar-se irritantes, se não mesmo execráveis.

— O senhor que estava a acompanhá-los deixou este bilhete no balcão, para lhes ser entregue. Façam o favor. — disse o empregado que os tinha servido, muito atencioso, colocando em cima da mesa, mais perto de William, um pequeno rectângulo de cartolina branca, dobrado ao meio, tendo na face de cima a mancha de um grande gato preto de pelo eriçado, a marca do Black Cat.

Num gesto instintivo todos fizeram menção de apanhar o bilhete, mas elas acabaram por retrair-se, compreendendo que cabia a William a iniciativa de ler o recado, e deixaram que fosse ele, também hesitante, a pegar no cartão.

“Estou desolado. Surgiu a necessidade de me ausentar de imediato. Trata-se apenas de negócios, mas inadiáveis. Acreditem que estou tão desolado que nem tenho coragem para ouvir a vossa justa censura. Perdoem-me a indelicadeza.

William, está tudo sob controlo. Não te inquietes sem necessidade. Em breve terás mais notícias minhas. Um abraço. Beijinhos para as senhoras.”

— James é assim. Aparece e desaparece, num ápice. — comentou William, entregando o bilhete a Louise, depois de o ter voltado a dobrar e de uns instantes de séria observação do desenho do gato.

Louise nem quis ler o recado, passando-o logo para Hana, mas no seu rosto apagou-se a ansiedade que uma atenção mais perspicaz teria notado logo desde a entrada deles no Black Cat. — Está tudo sob controlo. — repetiu ela com um significativo encolher de ombros dirigido a William. — Não é o que ele diz? Então é porque está. Tenho andado sob forte tensão nervosa. Agora fico melhor. Mas em contrapartida sinto-me muito cansada. Por mim, acabava a festa. Apetece-me ir para casa dormir.

— Vamos embora, William. — anuiu Hana, a servir-se do canto do cartãozito para coçar o queixo. — Aqui, ainda não descobri quem quer que seja, conhecido, que possa ajudar-nos. E dos empregados, não me lembro da cara de nenhum. O porteiro bem disse que hoje era outro turno. Não percamos mais tempo!

Que raio de polícia! Estava farto de saber que ele era inocente, mas cismava em espiolhar a sua vida, como se quisesse castigá-lo por ter uma amante simplória. Com um pouco de imaginação, e mais a mexeriquice da terra, Amélia viria também à baila e a autoridade não tardaria a crucificá-lo como um depravado, intitulando-se cientista, a quem não bastava ter duas atraentes estrangeiras para inteiro serviço, como ainda desencaminhava provincianas incautas. — reflectiu William consigo próprio, agastado por não se atrever a pronunciar perante elas um pensamento tão lógico quanto brejeiro.

A visita do inspector policial não teve lugar no dia seguinte como havia sido prometida, e no entanto isso não evitou que esse tivesse sido um dia estragado para William e para Hana. De facto, não teve lugar naquele dia nem veio a ser realizada alguma vez. Mas, como eles não souberam sequer que logo ao princípio da manhã o detective recebera informação que desviava deles por completo o curso das investigações, perderam horas preciosas de trabalho, vigilantes para que o homem, usando os seus truques profissionais, lhes não invadisse os domínios sem que eles o notassem e, como seria fatal, deduzisse estúpidas conclusões, e apostados em atestar-lhe com argumentação pedagógica que, autoridade que ele fosse, a ciência e os seus lugares, e também as pessoas dos seus praticantes, deveriam ser respeitados com a máxima dignidade.

À hora de jantar estavam furiosos. Perspectivavam tacitamente o dia seguinte como um dia de guerra. E quando Louise lhes apareceu com a boa notícia de que, por acaso ou por alguma intervenção oportuna que ela não saberia identificar, a polícia se desinteressara deles, a sua primeira reacção foi quase de hostilidade, de tal modo o seu espírito estava carregado de invectivas contra o frustrado invasor, e só decorridos alguns minutos lhes veio a indiferença e depois, de súbito desaparvalhados, então a divertida gargalhada, já reconciliados com o imaginado descaminhamento abusivo da sua pacatez.

Muito curioso, ou sagaz, o envolvimento empenhado de Hana no desenrolar do incidente que, na verdade, tinha sido crítico para William, mas que não a chegara a importunar em pessoa mais do que em excitação e maçada. — considerou Louise. Ela própria, que sabia bem os inconfidenciáveis passos que dera, despoletando a pronta actuação de James e a sua apesar de tudo incompreensível deslocação ao encontro deles, concordava que fora ultrapassada por Hana em matéria de testemunho de inquietação e solicitude. Tanto se interessava por privar com aquela mulher e tanto ia até contribuindo para que a sua personalidade e o seu comportamento cada vez mais abandonassem a timidez da sua reservada índole, que acabava por se admirar pela invulgar naturalidade com que Hana assumia um temperamento deveras consonante com a sua ocidentalidade adoptiva, e em particular pela activa solidariedade presente na relação dela com William, a qual seria razoável quedar-se nos limites do comum interesse científico.

Zeca não pudera vingar-se de outra maneira mais hostil, mas pelo menos conseguira a proeza de introduzir desapropriada conturbação no sossego sempre buscado por William para ambiente dos seus trabalhos. E mesmo depois de terminada a agitação ficara com ele um estranho sentido de impotência, agravado por alguns resultados de experiências que tinham desembocado em conclusões improváveis ou disparatadas.

 

(continua)

Escrito de acordo com a Antiga Ortografia

 

.
 

Submited by

sexta-feira, maio 24, 2013 - 11:18

Prosas :

No votes yet

Nuno Lago

imagem de Nuno Lago
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 4 anos 19 semanas
Membro desde: 10/17/2012
Conteúdos:
Pontos: 2518

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Nuno Lago

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Poetrix Alma de papel 4 1.395 02/20/2018 - 18:20 Português
Poesia/Comédia Sério, estás pudibunda? 1 1.043 06/17/2014 - 18:31 Português
Poesia/Poetrix Sedução? 1 824 06/13/2014 - 23:00 Português
Poesia/Poetrix Sim, serei feliz... por que não? 1 887 06/13/2014 - 22:49 Português
Poesia/Poetrix Indecisão... 1 773 06/13/2014 - 22:41 Português
Poesia/Poetrix Bah!... (reedição) 1 846 06/13/2014 - 22:32 Português
Prosas/Romance OS GÉMEOS - 36 0 1.360 06/07/2013 - 14:43 Português
Prosas/Romance OS GÉMEOS - 35 0 1.187 06/06/2013 - 11:24 Português
Prosas/Romance OS GÉMEOS - 34 0 969 06/03/2013 - 11:10 Português
Poesia/Amor Sabias?… 0 1.003 06/01/2013 - 11:33 Português
Poesia/Dedicado Não, não mudarei… 0 820 06/01/2013 - 11:27 Português
Poesia/Erótico LINGERIE 0 974 06/01/2013 - 11:21 Português
Prosas/Romance OS GÉMEOS - 33 0 803 05/31/2013 - 15:34 Português
Prosas/Romance OS GÉMEOS - 32 0 1.433 05/29/2013 - 11:05 Português
Prosas/Contos SEGREDO - Conclusão 0 1.212 05/28/2013 - 14:43 Português
Prosas/Romance OS GÉMEOS - 31 0 972 05/27/2013 - 10:55 Português
Poesia/Erótico Gosto dos teus encaracolados 0 804 05/25/2013 - 17:16 Português
Poesia/Meditação DOÇURAS 0 906 05/25/2013 - 17:04 Português
Poesia/Fantasia Vim de outro Mundo 0 1.102 05/25/2013 - 16:57 Português
Prosas/Contos Segredo - 1 3 1.238 05/24/2013 - 22:23 Português
Prosas/Romance OS GÉMEOS - 30 0 1.570 05/24/2013 - 11:18 Português
Prosas/Contos SEGREDO - 4 0 1.232 05/23/2013 - 11:11 Português
Prosas/Romance OS GÉMEOS - 29 0 971 05/22/2013 - 11:04 Português
Prosas/Contos SEGREDO - 3 0 997 05/21/2013 - 08:19 Português
Prosas/Romance OS GÉMEOS - 28 0 683 05/20/2013 - 11:14 Português