CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

QUIMERA

QUIMERA

Sebastião Cruise, homem valoroso e destemido,
estava já cansado e farto de tudo o que ouvia e acontecia.
Resolveu partir e fazer a viagem à Carverna de Nereu,
nas profundezas do Oceano Atlântico,
onde este converge com o Oceano Índico.
A noite estava calma e era quarto crescente.
Sebastião entrou no seu "marescórpio",
último grito da engenharia náutica lusitana,
e meteu-se ao mar!....
Visitou todos os pontos de referência,
reviu todas as espécies marítimas e viu os detritos e as barbaridades
que os humanos tinham feito, no último século,
e continuavam a fazer: arpões ainda espetados ,
baleias a sangrar, tartarugas sem carapaça,
bidões de lixo nuclear, barcos e aviões afundados, etc...
30 dias depois, chegou ao seu destino.
A Caverna de Nereu, que só Sebastião conhecia, estava lá.
Era uma enorme cavidade sob a rocha, onde a água não entrava.
O Polvo gigante, que sempre vedava a porta de entrada
com um dos seus enormes tentáculos,
saudou-o com seus longos braços, quando o viu aproximar.
Sebastião desligou os motores, apagou as luzes e os olofotes de cor
e fez-lhe um gesto com o se dedo polegar,
pintado de verde e rubro, que ele identificou.
Estendeu-lhe o seu tentáculo, cumprimentou-o e abriu-lhe
a porta. Entrou, sentou-se na velha cadeira, ligou o computador
e percorreu, rapidamente, todas as notícias e publicações
dos grupos e dos amigos no facebook e da imprensa on line.
Saudou novamente o seu amigo Polvo e perguntou-lhe as novidades
do último ano.
- Consegui que me trouxessem quatro caixas pretas e uma branca,
que lhe vou buscar, respondeu ele!...
A curiosidade de Sebastião centrou-se, de imediato, na caixa branca.
Branca, porquê?!..
Perguntava-se a si próprio, ansioso por a abrir.
Abriu a caixa.....Eram três CD de "missão".
Colocou, então, os CD, um a um, no computador.
Viu os alvos, os objetivos e os recursos.
Os CD destruíam-se em cinco segundos, à medida que os ia lendo.
Depois de beber um trago de água fresca, que jorrava naquela gruta,
e de dar um beijo de saudação na velha sereia adormecida,
que ali continuava a pernoitar, envergonhada do seu mar,
que conhecia há mais de cinco séculos,
Sebastião deu ali a sua estada por terminada.
Despediu-se, com um grande abraço, do seu amigo Polvo,
entrou no marescórpio e fez-se de novo ao mar!...
Os três alvos definidos tinham que ser cumpridos.
Custe o que custar,
- Alimentos, saúde e educação para todos.

© Acácio Costa

Submited by

domingo, setembro 30, 2012 - 16:18

Prosas :

Average: 5 (1 vote)

Acácio Costa

imagem de Acácio Costa
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 6 anos 48 semanas
Membro desde: 09/01/2012
Conteúdos:
Pontos: 232

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Acácio Costa

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral O Lince-Ibérico 0 406 10/17/2012 - 22:30 Português
Poesia/Geral O RISO DA HIENA 0 730 10/17/2012 - 22:28 Português
Poesia/Geral A CALHANDRA DE-TRÊS -RABOS 0 363 10/17/2012 - 22:26 Português
Poesia/Geral NUNCA EU SEREI NADA 1 290 10/05/2012 - 12:21 Português
Poesia/Geral A ESTRELÍCIA 0 457 10/03/2012 - 21:07 Português
Poesia/Geral LÍRIO AZUL 0 493 10/03/2012 - 21:05 Português
Poesia/Geral BRINCOS DE CEREJAS 0 660 10/03/2012 - 21:02 Português
Poesia/Amor UM AI DO CORAÇÃO 0 277 10/02/2012 - 22:11 Português
Poesia/Geral O erro de Descartes?!... 0 378 10/01/2012 - 15:18 Português
Poesia/Geral O PAVÃO 0 325 09/30/2012 - 16:23 Português
Prosas/Contos QUIMERA 0 498 09/30/2012 - 16:18 Português
Poesia/Geral SAUDADE DE UM CASTANHEIRO 0 420 09/30/2012 - 11:23 Português
Poesia/Fantasia AS NINFAS DO MAR EGEU 0 1.063 09/29/2012 - 15:31 Português
Poesia/Geral A FLOR DO PESSEGUEIRO 0 1.213 09/29/2012 - 15:22 Português
Poesia/Geral OS PEIXES DO LAGO DO MEU JARDIM 0 370 09/29/2012 - 14:58 Português
Poesia/Tristeza SÔDADE 0 366 09/27/2012 - 23:15 Português
Poesia/Amor O CÉU ERA O CAMINHO 0 435 09/27/2012 - 22:47 Português
Poesia/Geral ODE AO ÍNDICO 0 309 09/26/2012 - 15:09 Português
Poesia/Geral NAQUELA TARDE DE SETEMBRO 2 427 09/26/2012 - 12:34 Português
Poesia/Geral DESPEDIDA DE UMA ANDORINHA 0 557 09/25/2012 - 19:54 Português
Poesia/Geral É OUTONO 0 365 09/24/2012 - 20:38 Português
Poesia/Desilusão O ADEUS 3 396 09/24/2012 - 17:36 Português
Poesia/Amor O TEU OLHAR 3 477 09/24/2012 - 17:33 Português
Poesia/Geral FESTA DAS VINDIMAS 0 1.288 09/24/2012 - 14:27 Português
Poesia/Geral amor calado 0 354 09/24/2012 - 11:47 Português