CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Thiago de Mello - Canção para os fonemas da alegria

CANÇÃO PARA OS FONEMAS DA ALEGRIA

Thiago de Mello

A Paulo Freire

Peço licença para algumas coisas.
Primeiramente para desfraldar
este canto de amor publicamente.

Sucede que só sei dizer amor
quando reparto o ramo azul de estrelas
que em meu peito floresce de menino.

Peço licença para soletrar,
no alfabeto do sol pernambucano
a palavra ti-jo-lo, por exemplo,

e pode ver que dentro dela vivem
paredes, aconchegos e janelas,
e descobrir que todos os fonemas

são mágicos sinais que vão se abrindo
constelação de girassóis gerando
em círculos de amor que de repente
estalam como flor no chão da casa.

Às vezes nem há casa: é só o chão.
Mas sobre o chão quem reina agora é um homem
diferente, que acaba de nascer:

porque unindo pedaços de palavras
aos poucos vai unindo argila e orvalho,
tristeza e pão, cambão e beija-flor,

e acaba por unir a própria vida
no seu peito partida e repartida
quando afinal descobre num clarão

que o mundo é seu também, que o seu trabalho
não é a pena que paga por ser homem,
mas um modo de amar - e de ajudar

o mundo a ser melhor
Peço licença
para avisar que, ao gosto de Jesus,
este homem renascido é um homem novo:

ele atravessa os campos espalhando
a boa-nova, e chama os companheiros
a pelejar no limpo, fronte a fronte,

contra o bicho de quatrocentos anos,
mas cujo fel espesso não resiste
a quarenta horas de total ternura.

Peço licença para terminar
soletrando a canção de rebeldia
que existe nos fonemas da alegria:

canção de amor geral que eu vi crescer
nos olhos do homem que aprendeu a ler.

Santiago do Chile,
primavera de 1964.

Thiago de Mello teve o privilégio de nascer no lugar mais verde do planeta: a Amazônia, em 1926, na pequena cidade de Barreirinha. Ainda criança mudou-se para Manaus e mais tarde foi para o Rio de Janeiro, com o objetivo de estudar medicina. Abandonou o curso para dedicar-se ao ofício de poeta. Sua premiada obra, que já foi traduzida para mais de trinta idiomas, retrata a esperança, o amor à vida, à natureza e ao próximo.

Suas obras sao traduzidas para mais de trinta idiomas. Seu poema mais conhecido é "Os Estatutos do Homem", onde o poeta chama a atenção do leitor para os valores simples da natureza humana.

Seu livro "Poesia Comprometida com a Minha e a Tua Vida" tornou-o conhecido internacionalmente como um intelectual engajado na luta pelos Direitos Humanos.

Em homenagem aos seus 80 anos, completados em 2006, foi lançado, pela Karmim, o CD comemorativo "A Criação do Mundo", contendo poemas que o autor produziu nos últimos 55 anos, declamados por ele próprio e musicados por seu irmão, Gaudêncio Thiago de Mello.

OBRAS; Poesia * Silêncio e Palavra, 1951 * Narciso Cego, 1952 * A Lenda da Rosa, 1956 * Faz Escuro, mas eu Canto, 1966 * Poesia comprometida com a minha e a tua vida, 1975 * Os Estatutos do Homem, 1977 * Horóscopo para os que estão Vivos, 1984 * Mormaço na Floresta, 1984 * Vento Geral Poesia, 1981 * Num Campo de Margaridas, 1986 * De uma Vez por Todas, 1996


Prosa * A Estrela da Manhã, 1968; * Arte e Ciência de Empinar Papagaio, 1983 * Manaus, Amor e Memória, 1984 * Amazonas, Pátria da Água, 1991 * Amazônia — A Menina dos Olhos do Mundo, 1992 * O Povo sabe o que Diz, 1993 * Borges na Luz de Borges, 1993

http://www.revista.agulha.nom.br/tmello.html


 

Submited by

sexta-feira, julho 8, 2011 - 19:09

Videos :

No votes yet

AjAraujo

imagem de AjAraujo
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 46 semanas 6 dias
Membro desde: 10/29/2009
Conteúdos:
Pontos: 15585

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of AjAraujo

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Fantasia Cabelos de fogo 0 442 04/28/2018 - 20:38 Português
Poesia/Dedicado A criança dentro de ti 0 417 04/28/2018 - 20:20 Português
Poesia/Pensamentos O porto espiritual 0 421 04/28/2018 - 20:00 Português
Poesia/Dedicado Ano Novo (Ferreira Gullar) 1 542 02/20/2018 - 18:17 Português
Prosas/Drama Os ninguéns (Eduardo Galeano) 0 551 12/31/2017 - 18:09 Português
Poesia/Dedicado Passagem de ano (Carlos Drummond de Andrade) 0 510 12/31/2017 - 17:59 Português
Prosas/Contos Um conto de dor e neve (AjAraujo) 0 1.558 12/20/2016 - 10:42 Português
Prosas/Contos Conto de Natal (Rubem Braga) 0 933 12/20/2016 - 10:28 Português
Prosas/Contos A mensagem na garrafa - conto de Natal (AjAraujo) 0 2.017 12/04/2016 - 12:46 Português
Poesia/Intervenção Educar não é... castigar (AjAraujo) 0 695 07/07/2016 - 23:54 Português
Poesia/Intervenção Dois Anjos (Gabriela Mistral) 0 2.123 08/04/2015 - 22:50 Português
Poesia/Dedicado Fonte (Gabriela Mistral) 0 1.196 08/04/2015 - 21:58 Português
Poesia/Meditação O Hino Cotidiano (Gabriela Mistral) 0 1.274 08/04/2015 - 21:52 Português
Poesia/Pensamentos As portas não são obstáculos, mas diferentes passagens (Içami Tiba) 0 1.302 08/02/2015 - 22:48 Português
Poesia/Dedicado Pétalas sobre o ataúde - a história de Pâmela (microconto) 0 2.004 03/30/2015 - 10:56 Português
Poesia/Dedicado Ode para a rendição de uma infância perdida 0 1.253 03/30/2015 - 10:45 Português
Poesia/Tristeza Entre luzes e penumbras 0 1.564 03/30/2015 - 10:39 Português
Poesia/Tristeza No desfiladeiro 1 2.272 07/25/2014 - 23:09 Português
Poesia/Intervenção Sinais da história 0 1.390 07/16/2014 - 23:54 Português
Poesia/Fantasia E você ainda acha pouco? 0 2.176 07/16/2014 - 23:51 Português
Poesia/Aforismo Descanso eterno 2 2.763 07/03/2014 - 21:28 Português
Poesia/Intervenção Paisagem (Charles Baudelaire) 0 1.895 07/03/2014 - 02:16 Português
Poesia/Meditação Elevação (Charles Baudelaire) 0 1.897 07/03/2014 - 02:05 Português
Poesia/Intervenção A uma mendiga ruiva (Charles Baudelaire) 0 3.516 07/03/2014 - 01:55 Português
Poesia/Intervenção Coração avariado 1 1.445 06/25/2014 - 02:09 Português