perguntei ao tempo

Abri aquele teu livro antigo e mudo
Desprovido de letras outrora impressas,
perguntei ao tempo porque as tinha apagado
mas ele discordou de mim e respondeu
num sopro distante, seguro e amargo:
- são teus olhos menina, são teus olhos…
Então cerrei-os rapidamente
abrindo-os de imediato sem pestanejar.
E com um gesto de loucura procurei as letras outrora impressas
e me apercebi que sempre ali estiveram,
bem diante de meus cegos olhos,
absolutamente intactas.
O vento fez me recordar tudo o que escreveras de mim
quebrei o olhar,
fechando abruptamente os meus olhos
avivo os meus pensamentos avistando pecados de memória
a ondular agora por esta sala
fazendo despertar desejos cálidos
por todo o meu corpo já deitado e anestesiado de amor.
Sinto o teu leve tocar sobre a minha pele,
Renego impulsos momentâneos de prazer
Já não controlados pelos meus instintos
Nem pela minha tão controlada voz…
Que se abre intuitivamente
A qualquer hora da vida para te dizer
Que te amo…
Não foi o tempo de sopro amargo e distante
que ventou estas palavras para ti,
ele apenas as encaminhou para que nelas sintas
sempre este meu amor

Submited by

Sábado, Abril 17, 2010 - 21:55

Ministério da Poesia :

Sin votos aún

Sandroska

Imagen de Sandroska
Desconectado
Título: Membro
Last seen: Hace 7 semanas 22 horas
Integró: 04/09/2010
Posts:
Points: 77

Add comment

Inicie sesión para enviar comentarios

other contents of Sandroska

Tema Título Respuestas Lecturas Último envíoordenar por icono Idioma
Poesia/Amor As pedras que me pisam 1 178 02/18/2020 - 15:48 Portuguese
Fotos/Perfil 3435 0 386 11/23/2010 - 23:55 Portuguese
Ministério da Poesia/General Eu escrevo 0 373 11/19/2010 - 18:30 Portuguese
Ministério da Poesia/Dedicada perguntei ao tempo 0 427 11/19/2010 - 18:30 Portuguese
Ministério da Poesia/Fantasía Cinza de mim 0 414 11/19/2010 - 18:30 Portuguese
Poesia/Tristeza olhar que nada sou 1 377 05/30/2010 - 15:04 Portuguese
Poesia/Pensamientos Metade de mim 2 233 05/02/2010 - 23:33 Portuguese
Poesia/Aforismo Sou o que não sou 2 249 04/29/2010 - 21:54 Portuguese
Poesia/Pensamientos Passos lentos 1 233 04/27/2010 - 23:34 Portuguese
Poesia/Pensamientos Menina mulher 2 253 04/27/2010 - 21:22 Portuguese
Poesia/Aforismo Memória passada 1 247 04/27/2010 - 18:33 Portuguese
Poesia/Dedicada música adormecida 1 186 04/26/2010 - 02:17 Portuguese
Poesia/Pasión O poeta morre 1 214 04/21/2010 - 16:36 Portuguese
Poesia/Tristeza Cinza de mim 1 240 04/21/2010 - 16:06 Portuguese
Poesia/Tristeza Memória de mim 1 220 04/21/2010 - 16:00 Portuguese
Poesia/Pasión Contrariei 3 253 04/19/2010 - 10:13 Portuguese
Poesia/Aforismo procurei ao tempo 1 222 04/18/2010 - 00:25 Portuguese