CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Convenço, convencei, convençai…

Convenço, convencei, convençai…

A catarse da vida é tudo o que há de mais puro nas ilusões, a perca de ilusões é o cataclismo simbólico, a catástrofe, o fim de tudo que, inconscientemente nos anima, nos dá alma e brilho ao espírito, o cenário, o quarto da Alice brilhando no escuro, no breu.
“A ida”, na viagem, é uma desses enganos magníficos, maravilhosos, em que a nossa inteligência nos cede endomórficas estaminas, tal como numa aventura a dois, de recém- apaixonados ou casados, ainda com a tinta fresca e as latas a arrastar ruidosos, no asfalto, traços descontínuos a perder de vista, um “Buick” branco conversível, nas estradas do Arizona, regressado à estrada, como novo, depois do casal fazer 60 anos de casados, incutida a genial ideia de que isso era a felicidade conjugal suprema, há muito tempo perdida e a depois miraculosamente redescoberta; coisas da publicidade comercial de “Cable- TV” , que tanto pode vender cigarros para um infeliz cowboy, sentados na garupa de um cavalo malhado no meio do deserto de Sonora (apesar de ter morrido de câncer no pulmão, alguns anos depois) assim o medo por tubarão de filme, nas séries da Net-Flix, sem enredos, apenas medo e mais medo das águas cálidas, pacíficas do meio oceânico.
Vendem-nos Pepsodent-herbal, para a cárie nos dentes tal como a cabeleira de Donald-Trump despenteada, quão admirável presença na sala oval, não fosse gato-morto, fedorento ou escalpe/ troféu de cinturão de índio, no Far-West Americano ou ainda quando se vende como autêntica necessidade, uma chaleira de água quente com apito, a um beduíno no deserto, sem corrente eléctrica nem luz na tenda, música anti-stress, a um monge dos Himalaia, em recolhimento por 120 anos, numa gruta a mais de 5.150 metros de altura, apesar deste viver-nas-nuvens.
O fígado e os rins são excepções, não consigo e acho que ninguém consegue, fazê-los mudar de funções, mas penso que funciona no marketing e em quase todas as nossas acções.
As nossas escolhas não são monólitos negros, estruturas decanas, ancestrais, mas sim espuma, plasticina-plástica, matérias mutáveis, alteráveis, estranhas simbióticas e tacanhas as nossas mentes, pois acreditam em tudo quanto lhes impingimos, quer seja banha de cobra ou sabonete de ervas para a celulite e para a tinha-seborreica.
Usada benevolentemente, a nossa capacidade de convencer pode, pela persistência, dignificar a esterilidade ou dar importância a um individuo nulo, de olhar fixo e lentes graduadas, tornar pertinaz o filosofo e metafisico algo ou alguém cuja importância e existência, seja pouco mais que física e que se reconhece ele próprio como ser meramente decente e próprio para uma digestão monogástrica, mono-fágica. Uma tragedia, a decadência humana, se não ousarmos sonhar, sonhemos, acreditemos, convençamos alguém que a lua é feita de vidro verde e o homem objecto de porcelana da China, nada é o que parece mas tudo o que parece pode ser e é, cabe-nos acreditar.
O mecanismo da inteligência dá-nos clarividências que podem ser genéticas, apesar da nitidez maior ou menor com que as possamos usar ou usufruir, pode ser sublimada, alavancada por peças exteriores a ela e estas, se usadas da forma mais generosa, podem fazer conquistar muitos e nobres propósitos ao ser humano em geral e à humanidade, como se fossemos um cardume de anchovas livres e felizes, num mar sem redes ou tramas menores, convençai…conversai …

Joel matos 07/2018
http://joel-matos.blogspot.com

Submited by

segunda-feira, agosto 6, 2018 - 17:01

Ministério da Poesia :

Your rating: None Average: 5 (1 vote)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 dia 7 horas
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 40682

Comentários

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Oração a um Deus Anão 0 1.289 01/13/2011 - 11:58 Português
Poesia/Fantasia Roxxanne 0 1.679 01/13/2011 - 12:00 Português
Prosas/Contos Núri'as Ring 0 1.456 01/13/2011 - 12:01 Português
Prosas/Lembranças Cruz D'espinhos 0 2.086 01/13/2011 - 12:02 Português
Poesia/Geral Não mudo 0 913 01/13/2011 - 13:53 Português
Poesia/Geral Luto 1 1.186 01/15/2011 - 21:33 Português
Poesia/Geral Gosto de coisas, poucas 0 1.235 01/28/2011 - 18:02 Português
Poesia/Geral Tão íntimo como beber 1 792 02/01/2011 - 23:07 Português
Poesia/Geral A raiz do nada 0 863 02/03/2011 - 21:23 Português
Ministério da Poesia/Geral gosto 0 1.636 03/02/2011 - 16:29 Português
Poesia/Geral ciclo encerrado 0 1.149 03/11/2011 - 23:29 Português
Poesia/Geral o dia em que o eu me largou 2 1.067 12/30/2011 - 13:24 Português
Poesia/Geral Sombras no nevoeiro 0 708 02/16/2013 - 22:59 Português
Poesia/Geral O que é emoção e o que não o é... 0 791 02/16/2013 - 23:01 Português
Poesia/Geral Quando eu morrer actor 0 411 02/16/2013 - 23:02 Português
Poesia/Geral Pudesse eu 0 537 11/07/2013 - 12:29 Português
Poesia/Geral Na cidade fantasma... 0 389 11/07/2013 - 12:30 Português
Poesia/Geral Vivesse eu... 0 890 11/07/2013 - 12:31 Português
Poesia/Geral Tenho escrito demasiado em horas postas 2 1.625 11/07/2013 - 12:59 Português
Prosas/Outros Mad'in China 0 784 11/07/2013 - 16:31 Português
Prosas/Outros O regressO 1 1.527 11/07/2013 - 16:34 Português
Prosas/Outros GR 11 (14 dias) correndo de Irun a Cap de Creus 0 1.031 11/07/2013 - 16:37 Português
Poesia/Geral houve tempos 0 545 11/08/2013 - 11:05 Português
Poesia/Geral Quem 0 657 11/08/2013 - 11:07 Português
Poesia/Geral Meca e eu 0 547 11/08/2013 - 11:08 Português