CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Hoje falo eu

Nobre povo
Que em mim te vês
Sempre criticado e mal
Pois em vez
De te ver mudado
Como seria normal
Vejo que estás habituado
Ao cómodo mundo real

Quais revoluções
Ou manifestações citadinas!
Onde estão as demonstrações da paz?
Farás ideia,
De que por trás há chacinas,
E vacinas que existem
Esperando alvarás

Más condutas,
Tudo se rotula (até eu que sou abstracto)
E ela a gula,
Que me estrangula tornando-me usado
De essência nula
Sujo e barato

Tão precioso,
Eu sou e sei tudo do mundo humano
De modo hábil reflexo mundano
Escrito por um bom samaritano
Tornando-se herege por ser puritano

Quem me carrega
De corpo e alma vive triste
Ou constrangido com o que existe
Visto,
Que tudo continua idêntico!

 

E alega,
Que sendo distraído
Se sente desiludido
Vendo ser considerado
Seu conhecimento excêntrico!


Sou pacífico e atlântico
Científico e orgânico
Sou demais contradições,
sendo desprendido e mecânico
um iceberg vulcânico
Sou também as 4 estações.

Incomodo sou tirânico
Pragas rogo se nesse âmbito
Sou relevo dessas intenções,
Específico ou em cântico
Ilícito ou de “bem” digo
Para ambos as mesmas indicações.

Sou de sintaxe e semântico
Individual e quântico
De várias formas e porções
Sou sexual e romântico
Desde a rapidinha ao tântrico
Prazer sem definições!
 

Submited by

segunda-feira, fevereiro 28, 2011 - 22:50

Ministério da Poesia :

No votes yet

tquintans

imagem de tquintans
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 7 anos 6 semanas
Membro desde: 02/28/2011
Conteúdos:
Pontos: 153

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of tquintans

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Musica/Hip Hop Eu sou tu és 0 2.713 02/28/2011 - 23:02 Português
Musica/Hip Hop estou sozinho 0 2.458 02/28/2011 - 22:59 Português
Ministério da Poesia/Geral Hoje falo eu 0 1.288 02/28/2011 - 22:50 Português
Ministério da Poesia/Geral Cantilena 0 1.316 02/28/2011 - 22:50 Português
Ministério da Poesia/Geral Prisão domiciliária 0 732 02/28/2011 - 22:49 Português
Ministério da Poesia/Geral A árvore de espera 0 958 02/28/2011 - 22:49 Português
Ministério da Poesia/Geral Algo que não acaba 0 1.111 02/28/2011 - 22:48 Português
Ministério da Poesia/Geral Estive no inferno 0 1.422 02/28/2011 - 22:47 Português
Ministério da Poesia/Geral Se eu não quiser escrever 0 873 02/28/2011 - 22:46 Português
Ministério da Poesia/Geral Se eu não quiser escrever 0 1.112 02/28/2011 - 22:44 Português
Ministério da Poesia/Geral Não escrevo de vez em quando 0 793 02/28/2011 - 22:44 Português
Ministério da Poesia/Geral A reza 0 945 02/28/2011 - 22:42 Português
Ministério da Poesia/Geral O mito 0 1.065 02/28/2011 - 22:41 Português
Ministério da Poesia/Geral Na pradaria 0 990 02/28/2011 - 22:40 Português
Ministério da Poesia/Geral Sem televisão 0 835 02/28/2011 - 22:39 Português
Ministério da Poesia/Geral Libertação mundana 0 848 02/28/2011 - 22:38 Português
Ministério da Poesia/Geral Apático 0 918 02/28/2011 - 22:38 Português
Ministério da Poesia/Geral Da paxe(um bêbado a ler) 0 830 02/28/2011 - 22:37 Português
Ministério da Poesia/Geral uma flor 0 1.072 02/28/2011 - 22:36 Português
Ministério da Poesia/Geral Melancolia 0 872 02/28/2011 - 22:35 Português
Ministério da Poesia/Geral Deixa-me respirar 0 1.131 02/28/2011 - 22:23 Português
Ministério da Poesia/Geral Pela palavra (ou pelo significado) 0 959 02/28/2011 - 22:22 Português
Ministério da Poesia/Geral O problema da nossa era 0 1.053 02/28/2011 - 22:21 Português
Ministério da Poesia/Geral Ou sombra ou consciência 0 914 02/28/2011 - 22:21 Português
Ministério da Poesia/Geral E nem sei! 0 1.083 02/28/2011 - 22:20 Português