CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

“Daqui-a-nada”

“Daqui-a-nada” desfaço-me em sorriso,
Porque a vida, ou é relevada ou não é
Pra ser levada assim, “tanto-a-sério”,
Há gente por exemplo que nunca dorme,

Encurralados entre o “divã” ea divisão
Menos mobilizada, a cama. Há gente que
Nunca morde ou ainda não foi mordida
“Às-cegas” p'la fúria séria, sem expiação.

Loucura, glória nem daqui a'nad'ontem,
Agora ainda é cedo pra dormir, deixem-
-Me rir mais um pouco, ao fim e ao cabo
A delícia é no absurdo que é acordar

Sonhando ser agora, só “ind'à bocado ,”
“Daqui-a-nada” desfaço-me en'semanas
E troço d'quen'chegar d'facto nado morto
Ou fora d'horas, o que chegar em'último,

Não “vale-pra-nada”, é mais um “tonto”,
“Daqui-a-pouco” é hoje, amanhã, depois
O Yin-yang não será en'terreno elevado,
A contar do fundo meio campo, na praia

Do “tanto-se-me-dá”, canto livre direto.
Há gente que nunca vem, por exemplo
Chamuças ao sábado ou não bebe vinho
Verde, Porto só “de quando em quando,”

Ind'à-pouco, daqui-a-nada …

Joel Matos (Novembro 2022)

http://joel- matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

Submited by

sexta-feira, novembro 24, 2023 - 08:59

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 semana 3 dias
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 41974

Comentários

imagem de Joel

“Daqui-a-nada” desfaço-me em

“Daqui-a-nada” desfaço-me em sorriso,
Porque a vida, ou é relevada ou não é
Pra ser levada assim, “tanto-a-sério”,
Há gente por exemplo que nunca dorme,

Encurralados entre o “divã” ea divisão
Menos mobilizada, a cama. Há gente que
Nunca morde ou ainda não foi mordida
“Às-cegas” p'la fúria séria, sem expiação.

Loucura, glória nem daqui a'nad'ontem,
Agora ainda é cedo pra dormir, deixem-
-Me rir mais um pouco, ao fim e ao cabo
A delícia é no absurdo que é acordar

Sonhando ser agora, só “ind'à bocado ,”
“Daqui-a-nada” desfaço-me en'semanas
E troço d'quen'chegar d'facto nado morto
Ou fora d'horas, o que chegar em'último,

Não “vale-pra-nada”, é mais um “tonto”,
“Daqui-a-pouco” é hoje, amanhã, depois
O Yin-yang não será en'terreno elevado,
A contar do fundo meio campo, na praia

Do “tanto-se-me-dá”, canto livre direto.
Há gente que nunca vem, por exemplo
Chamuças ao sábado ou não bebe vinho
Verde, Porto só “de quando em quando,”

Ind'à-pouco, daqui-a-nada …

Joel Matos (Novembro 2022)

http://joel- matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

“Daqui-a-nada” desfaço-me em

“Daqui-a-nada” desfaço-me em sorriso,
Porque a vida, ou é relevada ou não é
Pra ser levada assim, “tanto-a-sério”,
Há gente por exemplo que nunca dorme,

Encurralados entre o “divã” ea divisão
Menos mobilizada, a cama. Há gente que
Nunca morde ou ainda não foi mordida
“Às-cegas” p'la fúria séria, sem expiação.

Loucura, glória nem daqui a'nad'ontem,
Agora ainda é cedo pra dormir, deixem-
-Me rir mais um pouco, ao fim e ao cabo
A delícia é no absurdo que é acordar

Sonhando ser agora, só “ind'à bocado ,”
“Daqui-a-nada” desfaço-me en'semanas
E troço d'quen'chegar d'facto nado morto
Ou fora d'horas, o que chegar em'último,

Não “vale-pra-nada”, é mais um “tonto”,
“Daqui-a-pouco” é hoje, amanhã, depois
O Yin-yang não será en'terreno elevado,
A contar do fundo meio campo, na praia

Do “tanto-se-me-dá”, canto livre direto.
Há gente que nunca vem, por exemplo
Chamuças ao sábado ou não bebe vinho
Verde, Porto só “de quando em quando,”

Ind'à-pouco, daqui-a-nada …

Joel Matos (Novembro 2022)

http://joel- matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

“Daqui-a-nada” desfaço-me em

“Daqui-a-nada” desfaço-me em sorriso,
Porque a vida, ou é relevada ou não é
Pra ser levada assim, “tanto-a-sério”,
Há gente por exemplo que nunca dorme,

Encurralados entre o “divã” ea divisão
Menos mobilizada, a cama. Há gente que
Nunca morde ou ainda não foi mordida
“Às-cegas” p'la fúria séria, sem expiação.

Loucura, glória nem daqui a'nad'ontem,
Agora ainda é cedo pra dormir, deixem-
-Me rir mais um pouco, ao fim e ao cabo
A delícia é no absurdo que é acordar

Sonhando ser agora, só “ind'à bocado ,”
“Daqui-a-nada” desfaço-me en'semanas
E troço d'quen'chegar d'facto nado morto
Ou fora d'horas, o que chegar em'último,

Não “vale-pra-nada”, é mais um “tonto”,
“Daqui-a-pouco” é hoje, amanhã, depois
O Yin-yang não será en'terreno elevado,
A contar do fundo meio campo, na praia

Do “tanto-se-me-dá”, canto livre direto.
Há gente que nunca vem, por exemplo
Chamuças ao sábado ou não bebe vinho
Verde, Porto só “de quando em quando,”

Ind'à-pouco, daqui-a-nada …

Joel Matos (Novembro 2022)

http://joel- matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

“Daqui-a-nada” desfaço-me em

“Daqui-a-nada” desfaço-me em sorriso,
Porque a vida, ou é relevada ou não é
Pra ser levada assim, “tanto-a-sério”,
Há gente por exemplo que nunca dorme,

Encurralados entre o “divã” ea divisão
Menos mobilizada, a cama. Há gente que
Nunca morde ou ainda não foi mordida
“Às-cegas” p'la fúria séria, sem expiação.

Loucura, glória nem daqui a'nad'ontem,
Agora ainda é cedo pra dormir, deixem-
-Me rir mais um pouco, ao fim e ao cabo
A delícia é no absurdo que é acordar

Sonhando ser agora, só “ind'à bocado ,”
“Daqui-a-nada” desfaço-me en'semanas
E troço d'quen'chegar d'facto nado morto
Ou fora d'horas, o que chegar em'último,

Não “vale-pra-nada”, é mais um “tonto”,
“Daqui-a-pouco” é hoje, amanhã, depois
O Yin-yang não será en'terreno elevado,
A contar do fundo meio campo, na praia

Do “tanto-se-me-dá”, canto livre direto.
Há gente que nunca vem, por exemplo
Chamuças ao sábado ou não bebe vinho
Verde, Porto só “de quando em quando,”

Ind'à-pouco, daqui-a-nada …

Joel Matos (Novembro 2022)

http://joel- matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

“Daqui-a-nada” desfaço-me em

“Daqui-a-nada” desfaço-me em sorriso,
Porque a vida, ou é relevada ou não é
Pra ser levada assim, “tanto-a-sério”,
Há gente por exemplo que nunca dorme,

Encurralados entre o “divã” ea divisão
Menos mobilizada, a cama. Há gente que
Nunca morde ou ainda não foi mordida
“Às-cegas” p'la fúria séria, sem expiação.

Loucura, glória nem daqui a'nad'ontem,
Agora ainda é cedo pra dormir, deixem-
-Me rir mais um pouco, ao fim e ao cabo
A delícia é no absurdo que é acordar

Sonhando ser agora, só “ind'à bocado ,”
“Daqui-a-nada” desfaço-me en'semanas
E troço d'quen'chegar d'facto nado morto
Ou fora d'horas, o que chegar em'último,

Não “vale-pra-nada”, é mais um “tonto”,
“Daqui-a-pouco” é hoje, amanhã, depois
O Yin-yang não será en'terreno elevado,
A contar do fundo meio campo, na praia

Do “tanto-se-me-dá”, canto livre direto.
Há gente que nunca vem, por exemplo
Chamuças ao sábado ou não bebe vinho
Verde, Porto só “de quando em quando,”

Ind'à-pouco, daqui-a-nada …

Joel Matos (Novembro 2022)

http://joel- matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

“Daqui-a-nada” desfaço-me em

“Daqui-a-nada” desfaço-me em sorriso,
Porque a vida, ou é relevada ou não é
Pra ser levada assim, “tanto-a-sério”,
Há gente por exemplo que nunca dorme,

Encurralados entre o “divã” ea divisão
Menos mobilizada, a cama. Há gente que
Nunca morde ou ainda não foi mordida
“Às-cegas” p'la fúria séria, sem expiação.

Loucura, glória nem daqui a'nad'ontem,
Agora ainda é cedo pra dormir, deixem-
-Me rir mais um pouco, ao fim e ao cabo
A delícia é no absurdo que é acordar

Sonhando ser agora, só “ind'à bocado ,”
“Daqui-a-nada” desfaço-me en'semanas
E troço d'quen'chegar d'facto nado morto
Ou fora d'horas, o que chegar em'último,

Não “vale-pra-nada”, é mais um “tonto”,
“Daqui-a-pouco” é hoje, amanhã, depois
O Yin-yang não será en'terreno elevado,
A contar do fundo meio campo, na praia

Do “tanto-se-me-dá”, canto livre direto.
Há gente que nunca vem, por exemplo
Chamuças ao sábado ou não bebe vinho
Verde, Porto só “de quando em quando,”

Ind'à-pouco, daqui-a-nada …

Joel Matos (Novembro 2022)

http://joel- matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

“Daqui-a-nada” desfaço-me em

“Daqui-a-nada” desfaço-me em sorriso,
Porque a vida, ou é relevada ou não é
Pra ser levada assim, “tanto-a-sério”,
Há gente por exemplo que nunca dorme,

Encurralados entre o “divã” ea divisão
Menos mobilizada, a cama. Há gente que
Nunca morde ou ainda não foi mordida
“Às-cegas” p'la fúria séria, sem expiação.

Loucura, glória nem daqui a'nad'ontem,
Agora ainda é cedo pra dormir, deixem-
-Me rir mais um pouco, ao fim e ao cabo
A delícia é no absurdo que é acordar

Sonhando ser agora, só “ind'à bocado ,”
“Daqui-a-nada” desfaço-me en'semanas
E troço d'quen'chegar d'facto nado morto
Ou fora d'horas, o que chegar em'último,

Não “vale-pra-nada”, é mais um “tonto”,
“Daqui-a-pouco” é hoje, amanhã, depois
O Yin-yang não será en'terreno elevado,
A contar do fundo meio campo, na praia

Do “tanto-se-me-dá”, canto livre direto.
Há gente que nunca vem, por exemplo
Chamuças ao sábado ou não bebe vinho
Verde, Porto só “de quando em quando,”

Ind'à-pouco, daqui-a-nada …

Joel Matos (Novembro 2022)

http://joel- matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

“Daqui-a-nada” desfaço-me em

“Daqui-a-nada” desfaço-me em sorriso,
Porque a vida, ou é relevada ou não é
Pra ser levada assim, “tanto-a-sério”,
Há gente por exemplo que nunca dorme,

Encurralados entre o “divã” ea divisão
Menos mobilizada, a cama. Há gente que
Nunca morde ou ainda não foi mordida
“Às-cegas” p'la fúria séria, sem expiação.

Loucura, glória nem daqui a'nad'ontem,
Agora ainda é cedo pra dormir, deixem-
-Me rir mais um pouco, ao fim e ao cabo
A delícia é no absurdo que é acordar

Sonhando ser agora, só “ind'à bocado ,”
“Daqui-a-nada” desfaço-me en'semanas
E troço d'quen'chegar d'facto nado morto
Ou fora d'horas, o que chegar em'último,

Não “vale-pra-nada”, é mais um “tonto”,
“Daqui-a-pouco” é hoje, amanhã, depois
O Yin-yang não será en'terreno elevado,
A contar do fundo meio campo, na praia

Do “tanto-se-me-dá”, canto livre direto.
Há gente que nunca vem, por exemplo
Chamuças ao sábado ou não bebe vinho
Verde, Porto só “de quando em quando,”

Ind'à-pouco, daqui-a-nada …

Joel Matos (Novembro 2022)

http://joel- matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

“Daqui-a-nada” desfaço-me em

“Daqui-a-nada” desfaço-me em sorriso,
Porque a vida, ou é relevada ou não é
Pra ser levada assim, “tanto-a-sério”,
Há gente por exemplo que nunca dorme,

Encurralados entre o “divã” ea divisão
Menos mobilizada, a cama. Há gente que
Nunca morde ou ainda não foi mordida
“Às-cegas” p'la fúria séria, sem expiação.

Loucura, glória nem daqui a'nad'ontem,
Agora ainda é cedo pra dormir, deixem-
-Me rir mais um pouco, ao fim e ao cabo
A delícia é no absurdo que é acordar

Sonhando ser agora, só “ind'à bocado ,”
“Daqui-a-nada” desfaço-me en'semanas
E troço d'quen'chegar d'facto nado morto
Ou fora d'horas, o que chegar em'último,

Não “vale-pra-nada”, é mais um “tonto”,
“Daqui-a-pouco” é hoje, amanhã, depois
O Yin-yang não será en'terreno elevado,
A contar do fundo meio campo, na praia

Do “tanto-se-me-dá”, canto livre direto.
Há gente que nunca vem, por exemplo
Chamuças ao sábado ou não bebe vinho
Verde, Porto só “de quando em quando,”

Ind'à-pouco, daqui-a-nada …

Joel Matos (Novembro 2022)

http://joel- matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

“Daqui-a-nada” desfaço-me em

“Daqui-a-nada” desfaço-me em sorriso,
Porque a vida, ou é relevada ou não é
Pra ser levada assim, “tanto-a-sério”,
Há gente por exemplo que nunca dorme,

Encurralados entre o “divã” ea divisão
Menos mobilizada, a cama. Há gente que
Nunca morde ou ainda não foi mordida
“Às-cegas” p'la fúria séria, sem expiação.

Loucura, glória nem daqui a'nad'ontem,
Agora ainda é cedo pra dormir, deixem-
-Me rir mais um pouco, ao fim e ao cabo
A delícia é no absurdo que é acordar

Sonhando ser agora, só “ind'à bocado ,”
“Daqui-a-nada” desfaço-me en'semanas
E troço d'quen'chegar d'facto nado morto
Ou fora d'horas, o que chegar em'último,

Não “vale-pra-nada”, é mais um “tonto”,
“Daqui-a-pouco” é hoje, amanhã, depois
O Yin-yang não será en'terreno elevado,
A contar do fundo meio campo, na praia

Do “tanto-se-me-dá”, canto livre direto.
Há gente que nunca vem, por exemplo
Chamuças ao sábado ou não bebe vinho
Verde, Porto só “de quando em quando,”

Ind'à-pouco, daqui-a-nada …

Joel Matos (Novembro 2022)

http://joel- matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Por onde passo não há s’trada. 30 184 02/18/2024 - 20:21 Português
Poesia/Geral Sonhei-me sonhando, 17 201 02/12/2024 - 16:06 Português
Ministério da Poesia/Geral A alegria que eu tinha 23 170 12/11/2023 - 20:29 Português
Ministério da Poesia/Geral Notas de um velho nojento 7 208 12/06/2023 - 21:30 Português
Ministério da Poesia/Geral (Creio apenas no que sinto) 17 116 12/02/2023 - 10:12 Português
Ministério da Poesia/Geral Vamos falar de mapas 15 295 11/30/2023 - 11:20 Português
Ministério da Poesia/Geral São como nossas as lágrimas 9 232 11/28/2023 - 11:11 Português
Poesia/Geral Entrego-me a quem eu era, 28 324 11/28/2023 - 10:47 Português
Ministério da Poesia/Geral O Homem é um animal “púbico” 11 188 11/26/2023 - 18:59 Português
Ministério da Poesia/Geral A essência do uso é o abuso, 1 348 11/25/2023 - 11:02 Português
Ministério da Poesia/Geral Insha’Allah 2 184 11/24/2023 - 12:43 Português
Ministério da Poesia/Geral No meu espírito chove sempre, 12 209 11/24/2023 - 12:42 Português
Ministério da Poesia/Geral Os destinos mil de mim mesmo. 21 224 11/24/2023 - 12:42 Português
Poesia/Geral “Daqui-a-nada” 20 735 11/24/2023 - 11:17 Português
Ministério da Poesia/Geral Cada passo que dou 0 325 11/24/2023 - 09:27 Português
Ministério da Poesia/Geral Quem sou … 0 288 11/24/2023 - 09:26 Português
Ministério da Poesia/Geral Ricardo Reis 0 69 11/24/2023 - 09:24 Português
Ministério da Poesia/Geral A dança continua 0 208 11/24/2023 - 09:23 Português
Ministério da Poesia/Geral A importância de estar … 0 109 11/24/2023 - 09:17 Português
Ministério da Poesia/Geral Se eu fosse eu 0 103 11/24/2023 - 09:15 Português
Ministério da Poesia/Geral Má Casta 0 229 11/24/2023 - 09:14 Português
Ministério da Poesia/Geral Neruda Passáro 0 150 11/24/2023 - 09:12 Português
Ministério da Poesia/Geral Pouco sei, pouco faço 0 96 11/24/2023 - 09:11 Português
Ministério da Poesia/Geral Do que tenho dito … 0 229 11/24/2023 - 09:09 Português
Ministério da Poesia/Geral Com’um grito 0 124 11/24/2023 - 09:08 Português