CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

REFAZENDO O MUNDO

Veio num sonho um “ser” que não sei de onde
Se veio do sul, leste, oeste ou do norte
Também não lembro qual seu meio de transporte
A pé, de carro, disco voador ou de bonde
Ele me deu então uma missão sagrada
Semelhante a histórias que eu já conheço
Fizemos um contrato onde cobrei meu preço
O suficiente pra cumprir essa jornada

Minha tarefa é fazer na terra a paz
Cessar a violência, o roubo, a intolerância
Trazer luz na escuridão da ignorância
Já que religião nem política isso faz
Não tem papel e assinatura registrada
É na palavra coisa só para quem pode
Como antigamente no fio de bigode
Pois letras e carimbos já não valem nada

Pedi então ao “ser” um tempo pra pensar
Sobre tornar real o que eu não acredito
Não quero me tornar apenas outro mito
Mas ele quis logo então me contratar
Coloquei minha condição de forma franca
Ele me ouviu e atendeu minha exigência:
-Eu quero cumprir logo essa incumbência
Prontamente o “ser” deu-me uma carta branca

Daqui pra frente sou quem dita o catecismo
E nesse mundo só vai ver-se coisa boa
O necessário pra viver cada pessoa
O fim de toda a espécie de fanatismo
Aqui tudo vai funcionar do meu jeito
A justiça sempre reinará sobre os fatos
Revogados por mim serão os velhos tratos
O “ser” de outro mundo deu-me esse direito

De Martin Luther King vou fazer real
O sonho de todos sermos irmãos um dia
A klu klups klan e os nazistas com alegria
Vão sambar juntos com negros no carnaval
O anjo da guarda eu vou fazer trabalhar
Criança não vai morar nem comer no lixo
Terá do bom e tudo no maior capricho
Sem risco de morrer na favela ou no mar

O mundo animal vai ser modificado
Carnívoros só irão comer vegetais
A exemplo dos homens irão ser iguais
Nenhum irá nascer só pra ser devorado
Tudo eu farei de dia claro, com presença
Discretamente sem querer ficar famoso
Não quero me tornar um ser misterioso
Pra que o medo da morte alimente a crença

Eu que não sou de fazer contrato “na perna”
Falei a “ele” de algo que eu muito preciso:
-Pra dar certeza de que tudo eu realizo,
Providencie pra que eu tenha vida eterna
Olhou-me então o “ser” de um mundo diferente
Falou bem claro com sua voz de bondade:
-Pelo que sei da Terra nem a eternidade,
Para essa missão vai ser o suficiente

Pediu que eu mesmo assim comece, em tom sereno
Antes que a solução seja o fim do povo
Partiu prometendo criar um prazo novo
Que vai fazer o tempo eterno ser pequeno
Pela missão a mim confiada eu agradeço
Disse eu ao ser antes dele seguir viagem
Se alguém acreditar eu digo de passagem
Que tudo isso será apenas o começo.

Sérgio da Silva Teixeira
BAGÉ/RS/BRASIL.

Submited by

sábado, janeiro 26, 2019 - 01:45

Poesia :

No votes yet

Sérgio Teixeira

imagem de Sérgio Teixeira
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 3 horas 28 minutos
Membro desde: 01/24/2011
Conteúdos:
Pontos: 437

Comentários

imagem de J. Thamiel

coment

caramba! Onde conseguiu tanto conteúdo? eu quero emprestado esta sua musa.

imagem de Sérgio Teixeira

MUSA

O nome dela é IMAGINAÇÃO MISTURADA COM INFORMAÇÃO.
Mas eu gostaria de ter a tua musa, que é a dos poetas de verdade, e que se chama INSPIRAÇÃO, meu prezado amigo poeta J. Thamiel.
Obrigado pela preciosa visita.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Sérgio Teixeira

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Soneto SONETO À ESPERANÇA 0 4 09/18/2020 - 23:31 Português
Poesia/Geral DESPEDIDA 0 170 07/04/2020 - 21:40 Português
Poesia/Geral POR UNS E OUTROS MOTIVOS (RACISMO) 3 392 06/16/2020 - 21:07 Português
Poesia/Geral SOMOS TODOS IGUAIS (?) 2 459 05/25/2020 - 21:23 Português
Poesia/Geral O CANTAR DO MEU SILÊNCIO 2 284 05/06/2020 - 16:26 Português
Poesia/Soneto SONETO ÀS FLORES DA SEXTA-FEIRA SANTA 0 305 04/10/2020 - 16:10 Português
Poesia/Geral DÉCIMAS DO MAL QUE FEZ A PAZ MUNDIAL 2 402 03/27/2020 - 01:51 Português
Poesia/Geral ANALISTA DE MIM MESMO 0 242 03/17/2020 - 14:38 Português
Poesia/Soneto SONETO DO MORTO VIVO 1 396 02/29/2020 - 03:04 Português
Poesia/Soneto SONETO DA EXPERIÊNCIA 0 379 02/17/2020 - 17:52 Português
Poesia/Soneto SONETO DO ACASO 0 312 02/07/2020 - 11:45 Português
Poesia/Geral INÚTIL SABER (DÉCIMAS) 0 389 01/22/2020 - 22:41 Português
Fotos/Pessoais LIVRO RECENTE 0 423 01/05/2020 - 14:06 Português
Fotos/Pessoais LIVRO RECENTE 0 621 01/05/2020 - 13:59 Português
Poesia/Geral AGONIA DO ANO 0 282 12/30/2019 - 00:45 Português
Poesia/Geral DEVANEIO 2 610 12/22/2019 - 12:08 Português
Poesia/Geral ADEUS À PRIMAVERA 0 593 12/22/2019 - 11:36 Português
Poesia/Geral O IDÓLATRA 0 277 11/10/2019 - 17:29 Português
Poesia/Geral RIMAS COM SINAIS 0 392 10/16/2019 - 01:35 Português
Poesia/Soneto SONETO DO SER INVISÍVEL 2 611 10/02/2019 - 23:54 Português
Poesia/Geral SUPERSTIÇÃO (SEXTA-FEIRA TREZE) 1 502 09/13/2019 - 17:22 Português
Poesia/Geral SENTIMENTOS E CORES 1 600 08/19/2019 - 13:00 Português
Poesia/Geral MEU TEMPO, MEU REINO 2 593 08/18/2019 - 19:38 Português
Poesia/Geral SOLSTÍCIO DE INVERNO 2 780 06/23/2019 - 12:42 Português
Poesia/Geral CANTO, SILÊNCIO E LIBERDADE 3 847 06/03/2019 - 12:39 Português