CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

PEGASUS - CRONICA

     Abri a porta daquele quarto. Aquele quarto de hotel que não era o meu quarto. Aquele não era o meu lugar. E eu, cansado e descrente, deitei-me naquela cama. E pus-me a pensar em quantos por ali já havia passado. Em quantos destinos encontraram aquele lugar.

     Naquele quarto de hotel eu pensava sobre o mundo enquanto assistia a televisão. Procurava preencher o espaço com minhas ideias. Elaborava teorias. Até que adormeci, abraçado ao meu violão. Despertei algumas horas depois,  com o corpo dolorido devido a postura incorreta.

     Quando abri meus olhos imediatamente reconheci aquelas paredes. Eu não estava preso. Mas, não conseguia sair dali. Algo me detinha. Como se fizesse parte daquilo tudo, daquele lugar, naquele tempo. Apanhei minha jaqueta de couro que estava na cadeira e fui para a rua. Decifrei alguns sinais que chegavam até mim. Lembrei de conjugar meu verbo em algum pretérito perdido num oceano de mais-que-perfeitos. E reparei nos outros. Tantos, tão diferentes! Tão iguais!!! A garota do moleton branco, uma dúzia de pré-adolescentes utilizando  o mesmo tipo de vestimenta. O mesmo corte de cabelo, o mesmo jeito de falar a mesma incapacidade de pensar. Súbito, me pareceu que tudo aquilo havia se transformado. Um espaço aberto porém com limites. Eu estava num imenso viveiro.

    Acendi meu último cigarro. A fumaça elevou-se ao ar como que tentando alcançar as nuvens, lá em cima. Desisti da minha caminhada. Estava preso a uma teoria, a uma ideia, a uma situação da qual eu nada sabia. Era tudo ou nada! Resolvi voltar ao quarto de hotel. Aquele quarto que não era o meu quarto. E quando entrei descobri que ele já havia sido entregue a outra pessoa. "Um outro eu, provavelmente" - assim pensei! Olhei para aquele rosto, não me era estranho. Na verdade eu me vi sentado naquela cama, assistindo a televisão. Podia, inclusive, adivinhar os pensamentos dele. Ele, no entanto, não me viu. Sequer notou a minha presença. Sentei-me ao seu lado e tentei tocar a sua mão. Ele continuava a olhar para a tela sem esboçar um movimento sequer. Desisti da ação. Levantei-me e fui procurar um outro espaço. Pois aquele quarto de hotel, aquele quarto que não era meu, havia sido ocupado por outra pessoa. E aquela pessoa, que era eu mesmo, não se ocupava de mais nada. Ah não ser,  do seu próprio vazio.

Submited by

terça-feira, setembro 30, 2014 - 14:11

Prosas :

No votes yet

Daniel Kobra

imagem de Daniel Kobra
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 2 anos 18 semanas
Membro desde: 08/20/2013
Conteúdos:
Pontos: 859

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Daniel Kobra

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Amor deixa 0 1.749 06/21/2018 - 16:54 Português
Poesia/Dedicado Esses dias... 0 1.582 06/18/2018 - 11:41 Português
Fotos/Pessoais Fazendo musica... por aí 0 994 06/18/2018 - 11:22 Português
Fotos/Pessoais Detalhes 0 1.316 06/18/2018 - 11:21 Português
Fotos/Pessoais Palcos da vida - V 0 1.287 06/18/2018 - 11:20 Português
Fotos/Pessoais Palcos da vida - IV 0 1.155 06/18/2018 - 11:20 Português
Fotos/Pessoais Palcos da vida III 0 1.319 06/18/2018 - 11:19 Português
Fotos/Pessoais retrato 0 2.471 06/15/2018 - 19:51 Português
Poesia/Amor eu desejo... 0 1.157 06/15/2018 - 11:41 Português
Fotos/Pessoais Nos palcos da vida - II 0 1.047 06/15/2018 - 11:37 Português
Fotos/Pessoais Nos palcos da vida 0 1.152 06/15/2018 - 11:36 Português
Poesia/Pensamentos O Retorno 2 1.348 06/14/2018 - 17:38 Português
Prosas/Outros NÃO É NÃO! 0 1.279 06/14/2018 - 17:31 Português
Fotos/Pessoais Calçadas, ruas e praças 0 1.428 06/14/2018 - 17:12 Português
Fotos/Pessoais Sob as luzes 0 1.024 06/14/2018 - 17:11 Português
Fotos/Outros Por ai 0 1.367 06/14/2018 - 17:10 Português
Fotos/Pessoais Nos palcos da vida 0 1.415 06/14/2018 - 17:09 Português
Prosas/Outros ICARO (Crônica) 0 2.006 10/14/2014 - 14:25 Português
Poesia/Tristeza AUSÊNCIA 0 1.804 10/10/2014 - 14:57 Português
Prosas/Outros 4.4 (crônica) 0 1.543 10/10/2014 - 14:48 Português
Prosas/Outros UM TEXTO (crônica) 0 1.509 10/10/2014 - 14:24 Português
Poesia/Fantasia LUA INVEJOSA 0 1.610 10/07/2014 - 19:30 Português
Prosas/Contos NOSSA ETERNA FOME DE AFETO GENUÍNO 0 1.969 10/06/2014 - 18:10 Português
Prosas/Outros QUAL É O TEU SIGNO? (crônica) 0 1.193 10/03/2014 - 20:25 Português
Prosas/Contos A GRANDE FESTA DO PORCOS 0 2.368 10/02/2014 - 12:20 Português