CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

"Je ne dis rien, tu m'écoutes"

Somente à poesia é que se aplica
A convenção mnemónica de amar sem volta.
Como qualquer fenómeno meteorológico,
Pra ser compreendido, há que ser estudado,

“Je ne dis rien, tu m’écoutes” é o axioma
De ser poeta e eu não consigo alterá-lo,
Mas isso não me explica, nada se explica
Sem ser tocado, somente me reconheces,

Eu não creio em nada, qualquer coisa amo,
Um relógio é uma mesa, igual a beleza
Dos ramos de uma mesma giesta, tudo
Será esquecido ou apenas eu record’o passado,

Pra ser compreendido há que ser estudado,
Ramos buscam ramos, que seja eu esgalhos
D’abeto gigante, nada indica que sim, nada se
Deve achar, a dúvida é em si mesmo um fim,

Somente à poesia é que se aplica, ao agnostico
O tampo da mesa e ao agiota o tempo
Que se retira a quem se for, mesmo a mim…
Sou conduzido por acidente a um sonho

Sem cura, culpa da memória que divide
Os erros entre mim e eu infiel, infiéis os líricos,
É a maneira de dizerem o que pensam,
Sem largarem das mãos o céu, só meu,

Sou eu …”Je ne dis rien, tu m’écoutes”

Jorge Santos (05/2018)
http://namastibetpoems.blogspot.com

Submited by

sexta-feira, junho 8, 2018 - 10:52

Ministério da Poesia :

Your rating: None Average: 5 (1 vote)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 6 horas 11 minutos
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 40706

Comentários

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Vencido 3 34 11/25/2020 - 18:26 Português
Poesia/Geral Esquecer é ser esquecido 0 187 09/28/2020 - 14:47 Português
Poesia/Geral Na minha terra não há terra, 0 576 06/02/2020 - 15:16 Português
Poesia/Geral A sucessão dos dias e a sede de voyeur ... 0 326 06/02/2020 - 15:09 Português
Poesia/Geral O Amor é uma nação em risco, 1 682 05/02/2020 - 23:37 Português
Ministério da Poesia/Geral Ninguém me distingue de quem sou eu ... 1 399 04/20/2020 - 22:34 Português
Ministério da Poesia/Geral A um Deus pouco divino … 1 581 04/19/2020 - 11:02 Português
Poesia/Geral “Hic sunt dracones”, A dor é tudo … 4 951 04/15/2020 - 15:25 Português
Poesia/Geral A Morte não é Bem-Vinda ... 2 603 04/15/2020 - 14:46 Português
Poesia/Geral Objectos próximos, 0 691 04/15/2020 - 11:06 Português
Poesia/Geral Daniel Faria, excerto “Do que era certo” 0 573 04/15/2020 - 10:58 Português
Ministério da Poesia/Geral O avesso do espelho... 5 433 03/01/2020 - 20:02 Português
Poesia/Geral A síndrome de Savanah 0 577 03/01/2020 - 19:26 Português
Ministério da Poesia/Geral O Estado da Dúvida 2 333 01/24/2020 - 20:05 Português
Ministério da Poesia/Geral Patchwork... 0 556 01/08/2020 - 13:05 Português
Ministério da Poesia/Geral Vivo do oficio das paixões 0 489 01/08/2020 - 12:55 Português
Ministério da Poesia/Geral Como morre um Rei de palha... 0 379 01/08/2020 - 12:50 Português
Ministério da Poesia/Geral "Sic est vulgus" 0 610 01/08/2020 - 11:47 Português
Ministério da Poesia/Geral Quantos Césares fui eu !!! 0 410 01/08/2020 - 11:40 Português
Ministério da Poesia/Geral Nada se parece comigo 0 422 01/08/2020 - 11:34 Português
Ministério da Poesia/Geral Pedra, tesoura ou papel..."Do que era certo" 0 503 01/08/2020 - 11:27 Português
Ministério da Poesia/Geral Sou "O-Feito-Do-Primeiro-Vidente" 0 404 01/08/2020 - 11:11 Português
Ministério da Poesia/Geral Morri lívido e nu ... 0 404 01/08/2020 - 11:03 Português
Ministério da Poesia/Geral Ladram cães à distância, Mato o "Por-Matar" ... 0 450 01/08/2020 - 10:45 Português
Ministério da Poesia/Geral Excerto “do que era certo” 0 376 01/08/2020 - 10:38 Português