CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Objectos próximos,


Durmo com um punhal na nuca
E outro onde sinto menos, objectos
Próximos sempre me meteram medo,
Imagino o sol progredindo plos cabelos
E por entre os cinco dedos duma mão,

O som do cotovelo quando movo o braço,
Lembra-me sem querer, o mar e o rochedo,
Fico gelado nos dedos e maldigo o inverno
Frio, hoje como nunca apenas no coração
Consinto esse frio visível e sem disfarce,

Durmo com um punhal na nuca, queima
Quando me toca na face, lembra a morte
Não de todo negra, mas cinzenta pouco
Clara, como a sorte ou o sentir do beijo
Na aragem, é como a paixão, não se demora,

Mal me acontece estar triste, penso nela,
Tenho logo outra razão pra contrariar
Isso, estou triste porque existo pra fora,
Melhor não há, viver não é ruim, assim
Amo as coisas simples, o vinho tinto,

Dois seios, o pão, o cantar do galo,
O sorriso dela, o alecrim, o agasalho, um gato
No inverno, o sorriso meu, uma vela,
Um saguão e a escada e o fim do livro lido em
Vão, quanto o final de um sonho mau ou

Nada mais que meu, que a sensação de tê-lo
Sonhado, a meio sono como é hábito e em
Forma de pensamento e tacto, algo como se fosse
Outro sentido, quinto ou primeiro, em alta voz,
Falando comigo em Braille, como sempre faço.

http://joel-matos.blogspot.com
Joel Matos (Março 2020)

Submited by

quarta-feira, abril 15, 2020 - 12:06

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 semana 3 dias
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 41021

Comentários

imagem de Joel

obrigado pela leitura

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Ministério da Poesia/Geral Sem nada … 2 241 07/07/2021 - 15:16 Português
Poesia/Geral A tenaz negação do eu, 2 172 07/01/2021 - 16:31 Português
Poesia/Geral Sou minha própria imagem, 2 234 07/01/2021 - 12:50 Português
Poesia/Geral Há um vão à minha espera 2 202 07/01/2021 - 12:50 Português
Poesia/Geral leve 4 1.826 06/28/2021 - 15:39 Português
Poesia/Geral Feliz como poucos … 1 544 06/24/2021 - 11:53 Português
Poesia/Geral Deus Ex-Machina, “Anima Vili” ... 1 608 06/24/2021 - 11:38 Português
Poesia/Geral Da significação aos sonhos ... 1 555 06/22/2021 - 10:01 Português
Ministério da Poesia/Geral Sonho sem fim, nem fundo ... 1 610 06/21/2021 - 16:27 Português
Ministério da Poesia/Geral Absurdo e Sem-Fim… 1 1.029 06/21/2021 - 16:26 Português
Ministério da Poesia/Geral A Rua ao meu lado ou O Valor do riso... 1 876 06/21/2021 - 16:25 Português
Ministério da Poesia/Geral Rua dos Douradores 30 ... 1 717 06/21/2021 - 16:25 Português
Ministério da Poesia/Geral Excerto “do que era certo” 1 637 06/21/2021 - 16:25 Português
Ministério da Poesia/Geral Ladram cães à distância, Mato o "Por-Matar" ... 2 747 06/21/2021 - 16:22 Português
Ministério da Poesia/Geral Morri lívido e nu ... 1 716 06/21/2021 - 16:22 Português
Ministério da Poesia/Geral Sou "O-Feito-Do-Primeiro-Vidente" 1 683 06/21/2021 - 16:21 Português
Ministério da Poesia/Geral Pedra, tesoura ou papel..."Do que era certo" 1 859 06/21/2021 - 16:21 Português
Ministério da Poesia/Geral Nada se parece comigo 1 670 06/21/2021 - 16:20 Português
Ministério da Poesia/Geral Quantos Césares fui eu !!! 1 760 06/21/2021 - 16:20 Português
Ministério da Poesia/Geral "Sic est vulgus" 1 1.106 06/21/2021 - 16:19 Português
Ministério da Poesia/Geral Como morre um Rei de palha... 1 684 06/21/2021 - 15:44 Português
Ministério da Poesia/Geral Vivo do oficio das paixões 1 902 06/21/2021 - 15:44 Português
Ministério da Poesia/Geral Patchwork... 2 970 06/21/2021 - 15:44 Português
Poesia/Geral A síndrome de Savanah 1 991 06/21/2021 - 15:43 Português
Poesia/Geral A sucessão dos dias e a sede de voyeur ... 1 631 06/21/2021 - 15:42 Português