CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Grito do povo

O cortejo saiu à rua
a monarquia desfilava
com seu ar pomposo,
entre veludos, sedas e coroas.
O povo com seu ar cansado
e pouco aconchegado, de pés descalços
os viam desfilar.
As mãos cheias de tudo...
outras cheias de nada.
No fim do desfile,
a democracia de bandeira hasteada
onde se antevia liberdade,
o desfile monarca terminou,
eis o lugar da democracia
que desfilava e proclamava
igualdade entre iguais.
O povo trajava novas vestes de ilusão.
As mesas extensas com manjares abastados,
outras cheias de coisa alguma.
Entre sorrisos forçados,
fitas cortadas e palmas ensaiadas.
Eis as diferenças...
As mãos cheia de tudo...
outras cheias de nada.

Submited by

quarta-feira, novembro 19, 2008 - 20:06

Poesia :

No votes yet

AnaCoelho

imagem de AnaCoelho
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 35 semanas
Membro desde: 11/14/2008
Conteúdos:
Pontos: 1789

Comentários

imagem de Henrique

Re: Grito do povo

As mesas extensas com manjares abastados,
outras cheias de coisa alguma...

Um poema com arte, razão e sentimento!!!

:-)

imagem de ÔNIX

Re: Grito do povo

Ola Ana, é um prazer vê-la por aqui.

Lindo este seu poema. Parabéns

Eis as diferenças...
As mãos cheia de tudo...
outras cheias de nada.

Entre o tudo e o nada há sempre um todo maior

Dolores

imagem de MariaSousa

Re: Grito do povo

Um poema de todos os reinos e de todas as eras.

Gostei.

Bjs

imagem de zizo

Re: Grito do povo

O grito do povo é uma arma que pode ser decisiva quando usada com o devido objectivo.
Interessante AnaCoelho!!

Beijo

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of AnaCoelho

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Meditação Densidade do olhar 2 1.010 03/15/2018 - 09:38 Português
Poesia/Amor Contigo aprendi a sonhar 2 1.132 03/15/2018 - 09:37 Português
Poesia/Meditação Onde as nuvens pousam 1 580 11/07/2015 - 11:14 Português
Poesia/Meditação Lágrimas quentes 0 928 12/22/2012 - 20:02 Português
Poesia/Amor Juntos galgaremos as margens 0 1.185 12/20/2012 - 02:10 Português
Poesia/Aforismo Há uma pauta aberta 0 851 10/08/2012 - 06:36 Português
Poesia/Intervenção Fazer das letras os gestos 0 1.468 07/21/2012 - 21:14 Português
Poesia/Meditação Os vales da realidade 3 645 07/09/2012 - 08:10 Português
Poesia/Meditação Um oásis que flutua 0 454 06/25/2012 - 16:33 Português
Poesia/Dedicado Não há lábios nem lágrimas 0 950 06/24/2012 - 12:16 Português
Poesia/Meditação Num grito estagnado 1 929 06/21/2012 - 18:21 Português
Poesia/Amizade Amigo...preenchimento do verbo amar 1 894 06/20/2012 - 20:54 Português
Poesia/Meditação Cadências cálidas 1 758 06/14/2012 - 10:10 Português
Poesia/Meditação Esquina da palavra 1 1.513 06/13/2012 - 08:40 Português
Poesia/Intervenção Pura ilusão cega 3 799 04/15/2012 - 17:35 Português
Poesia/Meditação Esquina de cada utopia 1 1.101 01/06/2012 - 17:32 Português
Poesia/Meditação Os braços sonham ser asas 0 1.488 12/31/2011 - 01:49 Português
Poesia/Meditação Mar de nada 1 1.035 12/11/2011 - 19:44 Português
Poesia/Meditação Traição do destino 0 1.023 12/04/2011 - 22:41 Português
Poesia/Meditação Caminho aberto 0 1.050 11/30/2011 - 22:23 Português
Poesia/Meditação Desígnios da vida 0 849 11/29/2011 - 21:06 Português
Poesia/Amor Amor entre poetas 2 1.998 10/20/2011 - 13:08 Português
Poesia/Dedicado Agora Setembro Renasce 0 2.438 09/23/2011 - 05:35 Português
Poesia/Meditação Os argumentos de um poema 0 1.697 09/22/2011 - 03:49 Português
Poesia/Meditação EXCERTOS DA ALMA 1 1.550 09/19/2011 - 15:25 Português