CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

O PECADO DE NOÉ

De repente, espalham na TV que o novo fim do mundo está marcado para as 5h02min da manhã seguinte. Pontualmente. E isso é tudo o que Noé e os outros sabem...
Que horas seriam agora? Oito, oito e quinze?
Noé não se desespera. “Pelo menos, ainda tenho a noite inteira pela frente!”, exclama de si para si.
E aí se veste, se perfuma e fala para a mãe que vai dar uma volta.
A velha choraminga:
“Vou ficar aqui sozinha, meu filho?”
“Volto cedo, mãe”, responde Noé, saindo sem olhar para trás...
Não olha mesmo – e certamente não é por medo de virar estátua de sal, nem de açúcar, nem de coisa nenhuma.

...

E é olhando sempre em frente que ele entra no barzinho amarelo da esquina, ali perto:
“Bota uma bem gelada aí, Vandercildo!”
O dono do bar serve a bebida, dramatizando:
“Noé, te dou todas as cervejas do meu freezer se você me deixar entrar na sua arca!”
Animadíssimo com a proposta, Noé entorna dois copos cheios, um atrás do outro...
O amigo sorri, “Não vai se afogar, hem, Noé!”, e então corre para atender outro cliente.
Noé torna a encher o copo... E, pela oitocentésima vez, se pergunta por que a mãe botou nele aquele nome antiquado.
“Acho um nome bonito, só isso!”, era o que ela dizia.
Mas Noé não acreditava nela. Para ele, ali tinha coisa. Infelizmente, agora era tarde demais para descobrir a verdade...

...

Lá pela quinta cerveja (ou seria a sétima?), Rafaela aparece. Linda e decotada, só de birra a vizinha teimava em resistir às investidas de Noé.
“Oi, Noé. Tomando o seu último gole?”
“Oi, gostosa. Bebe uma comigo?”
“Até duas, meu amor!”
E, sem um tiquinho assim de cerimônia, ela vai logo se sentando no colo dele.
“Eita fim do mundo porreta!”, pensa Noé, mordendo a língua.

...

“Ai, Noé... Tem certeza de que sua mãe não vai ouvir nada?”
“Ela tá ferrada no sono, docinho. Relaxa...”
Mas, nem bem eles começam a transar...
“Noé!”
Rafaela se esconde atrás da cama, Noé mete o olho na fresta:
“Quê que foi, mãe?”
“Ouvi um barulho, meu filho...”
“Não é nada, mãe. Volte a dormir.”
A velha, contrariada, sai arrastando os chinelos.
Noé não perde tempo: lacra a porta e sobe de vez na crista do grande dilúvio...

...

Quando o sexo acaba, o dia já vem clareando. Rafaela olha ao redor e não se contém:
“Iuhuuu, eu tô na arca! Viva! Viva!”
Noé quer vibrar também, mas vomita horrores em cima da futura mãe do seu filho e em seguida cai num sono de pedra.
Furiosa, Rafaela se lava no banheiro e sai do quarto de mansinho.
Então dá de cara com a mãe de Noé sentada no sofá da sala.
A pecadora, coitada!, não tem nem como não tremer na base diante do olhar de cão daquele Deus enfurecido...
 

Submited by

quinta-feira, setembro 15, 2011 - 04:08

Prosas :

No votes yet

Hélio Sena

imagem de Hélio Sena
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 4 anos 25 semanas
Membro desde: 09/12/2011
Conteúdos:
Pontos: 64

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Hélio Sena

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Paixão POSSE 1 506 06/01/2016 - 12:07 Português
Prosas/Contos CONFUSÃO DE AMOR 2 406 05/24/2016 - 02:18 Português
Prosas/Contos CAMINHOS PERIGOSOS 2 634 05/20/2016 - 06:20 Português
Prosas/Contos A CRUZ 0 584 05/13/2016 - 12:25 Português
Prosas/Contos MINGAU PARA DOIS 0 461 05/12/2016 - 14:04 Português
Poesia/Geral CEIA 0 410 04/26/2016 - 15:15 Português
Poesia/Amor MARCA 0 350 04/26/2016 - 15:13 Português
Prosas/Contos COISAS DO OUTONO 0 1.409 09/21/2011 - 05:51 Português
Prosas/Outros A ÚLTIMA PALAVRA 0 529 09/18/2011 - 21:27 Português
Poesia/Geral INSÔNIA 1 538 09/17/2011 - 02:18 Português
Prosas/Contos A COR DA NOITE 0 708 09/16/2011 - 21:31 Português
Prosas/Contos O PECADO DE NOÉ 0 635 09/15/2011 - 04:08 Português
Prosas/Outros ONDE MORAM AS BORBOLETAS 0 1.764 09/15/2011 - 04:03 Português
Prosas/Contos LOS DIABITOS 0 938 09/14/2011 - 05:17 Português
Prosas/Contos À PROCURA DA FLOR 2 654 09/14/2011 - 05:09 Português
Prosas/Contos MEU QUASE ASSASSINATO 0 673 09/13/2011 - 03:50 Português
Prosas/Contos ANTES DA MEIA-NOITE 0 628 09/12/2011 - 05:37 Português