CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Parte de Mim

Decidi finalmente livrar-me de ti de forma definitiva.
Procurei uma caixa para colocar lá todos os teus pertences, réstias de ti, que ainda andavam espalhadas por aí, como fantasmas alados que teimam em permanecer, negando a sua condição.

“Não deve ser preciso uma muito grande” – pensei eu – “Já passou tanto tempo…”

Coloquei-a em cima da cama e semi-deitado ao lado dela, comecei com calma, sem qualquer tipo de pressa, a colocá-los lá, um por um…

Comecei pelas tuas palavras.
Espalhadas por todos os cantos, pondo todos os meus espaços em completa desordem, fui recolhendo-as e com jeito, com um certo carinho nostálgico, acomodando-as uma a uma, sobre o fundo da caixa. Como é possível? Como é possível que fossem tantas? Em todos os lugares, todos os objectos, todas as lembranças, todas as memórias estavam palavras tuas…
Encheram quase toda a caixa. Fui procurar uma maior.

Coloquei a maior ao lado da primeira, despejei nela todo o conteúdo e continuei…

Passei para as frases.
Aqueles pedaços da tua voz que guardava ainda no vibrar dos meus tímpanos, rabiscados nos meus sentimentos, das quais tantas vezes me lembrava…
Tinhas o dom da palavra e esse hábito de verbalizares frases que deixavam em mim, marcas da tua presença. E até agora, eu ainda não me tinha apercebido do quanto e do tantas que elas eram…
Já não couberam todas na nova caixa! Tive de tratar de arranjar outra ainda maior.

Coloquei a maior agora no chão e despejei uma vez mais, todo o conteúdo da anterior e continuei…

Voltei-me para as imagens.
Desfolhando o álbum de nós, as imagens de ti gravadas na memória, foram passando como um show de slides. Um show que parecia não ter fim… Tinha imagens de ti em tantos lugares, tantas situações, tantas emoções… imagens de ti… imagens de nós…
Imagens das tuas mãos (das tuas mãos nas minhas), dos teus olhos (onde via reflectidos os meus na envolvência de um beijo), dos teus lábios (embrenhados nos meus, passeando-se pela minha pele), dos teus braços (envoltos em mim, nos nossos abraços)…
Foi quando me apercebi que as minhas memórias eram as nossas memórias e apesar de fazer um esforço nesse sentido, não consegui encontrar nenhuma da qual não fizesses parte…

Uma caixa não serve definitivamente. Terei de arranjar um caixote e desta vez, trarei o maior que arranjar.

E foi no jardim que continuei a limpeza.

A primavera deu-me o mote para a próxima secção: os odores.
Como tenho tão presentes em mim ainda os teus odores. Lembro-me do toque de cada essência do perfume que colocavas pela manhã, do perfume que colocavas para sairmos à noite, do odor de ti que deixavas na almofada, do odor de ti que ficava impregnado na tua roupa, mas sobretudo: do odor que a tua pele emanava! A tua pele acabada de sair do banho, a tua pele orvalhada no final das nossas danças a dois, sempre tão íntimas, sempre tão diferentes, sempre tão… nossas! As danças… as músicas… Tantas!!!

E então os sons!
Eram tantos os sons que guardava de ti. Para além dos teus sons, esses que emitias no esgar da intimidade de um Amor feito a dois corpos fundindo-se num só, para além desses sons… impressionante… tenho presentes em mim até os sons do teu quotidiano! O som de ti enquanto lavavas os dentes, sempre com os mesmos gestos, ao mesmo ritmo, em que as cerdas da escova desfilavam notas monocórdicas em uníssono; o som de quando lavavas as tuas mãos (essas mãos…) em gestos mecanizados e propositados; o som da fivela do teu cinto a tilintar enquanto vestias as calças; o som do correr do fecho das botas enquanto o cabedal se moldava ao formato das tuas pernas; o som da escova no teu cabelo, em sons curtos e decididos… Mas sobre todos… o som do teu sorriso… esse som mudo, dos lábios a arquear e a entreabrirem-se, desvendando o branco brilhante do esmalte dos teus dentes perfeitos…

Incrível como por vezes, somos ultrapassados pelos momentos, trespassados pelos sentimentos, sem que de tal nos apercebamos.

Comecei decidido a livrar-me definitivamente de ti,
E nesse processo,
Fui mergulhando cada vez mais fundo em mim,
Encontrando-te nos mais recônditos recantos do meu ser.
Enchi caixas e caixotes com os teus pertences,
E agora…

Nas caixas que foram ficando cheias ao longo do processo,
Nos caixotes nos quais coloquei todo e cada pedaço de ti,
Vejo,
Que não é apenas de ti que me estou a livrar,
Não és apenas tu, retalhos de ti, que estão despojados neles,
Mas todo um EU,
Que sem ti,
Fica tão absurdamente vazio…

Detenho-me e observo-os.
Observo-os e decido.

Esvazio os caixotes.
Despejo-te de novo em mim.

Tudo o que de ti ficou,
Tudo o que de ti existe…
Ficará assim…
Para sempre…

…como Parte de Mim!

Submited by

sexta-feira, junho 6, 2008 - 11:42

Prosas :

No votes yet

FPaixao

imagem de FPaixao
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 13 anos 36 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 80

Comentários

imagem de Veiga

Re: Parte de Mim

Qualquer coisa de excepcional.

imagem de JillyFall

Re: Parte de Mim

com o tempo, acredito que o "outro" acaba por se descolar.
gostei muito!

imagem de PalomaStella

Re: Parte de Mim

Quando é verdadeiro é sempre assim.
De uma forma ou de outra sempre fica.

Muito bom este conto.

Beijinhos

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of FPaixao

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Desilusão Sucumbimos 2 985 07/10/2012 - 11:46 Português
Fotos/ - Me 0 1.246 11/24/2010 - 00:33 Português
Prosas/Romance Por vezes... 0 773 11/18/2010 - 23:45 Português
Prosas/Drama Até Quando? 3 676 02/25/2010 - 04:40 Português
Prosas/Contos Quase 1 726 02/25/2010 - 04:09 Português
Prosas/Romance Tempo 1 608 02/25/2010 - 03:52 Português
Prosas/Contos Abismo 2 696 02/24/2010 - 16:07 Português
Prosas/Romance Quero que Saibas 4 761 02/24/2010 - 15:18 Português
Prosas/Contos Naqueles dias de Inverno 2 630 02/24/2010 - 15:16 Português
Prosas/Romance Palavras de um Amor Adiado 3 1.211 02/24/2010 - 14:42 Português
Prosas/Romance Impossíveis 3 717 02/24/2010 - 14:34 Português
Prosas/Contos O Farol 2 878 02/24/2010 - 14:28 Português
Poesia/Amor Hoje não vou falar de Ti 2 811 08/08/2009 - 15:12 Português
Prosas/Romance Pára o Relógio 1 701 11/01/2008 - 18:09 Português
Prosas/Contos Parte de Mim 3 701 06/08/2008 - 19:03 Português
Prosas/Contos Recordo 4 737 06/05/2008 - 20:06 Português
Prosas/Contos Busca 1 840 04/10/2008 - 21:04 Português
Prosas/Contos Anjo da Guarda 2 777 03/31/2008 - 23:14 Português
Prosas/Contos Mini 3 799 03/26/2008 - 22:55 Português
Prosas/Contos Esperei 1 691 03/17/2008 - 18:34 Português
Prosas/Contos Cheguei 1 811 03/12/2008 - 22:22 Português
Poesia/Amor Destroços 1 697 03/11/2008 - 00:41 Português
Prosas/Contos Piano 1 1.322 03/07/2008 - 13:16 Português