CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

FASTOS DAS METAMORPHOSES V

O roubo de Europa por Jupiter

(Traduzido do LivroII)

O gran Jove no céo Mercurio chama,
E sem lhe declarar o amor, que o fere,
«Vae, ministro fiel dos meus decretos,
Vae, filho meu, co'a sólita presteza;
Desce á terra (lhe diz) d'onde se avista
Tua mãe reluzindo á sestra parte,
E que os seus naturaes Sidon nomeam.
O armentio real, que ao lorjge a relva
No monte anda a pascer, dirige á praia.»
Disse, e já da montanha o gado expulso
Caminha á fresca praia, onde costuma
A do sidonio rei mimosa filha
Espairecer, folgar co'as tyrias virgens.
A magestade, o amor não bem se ajustam:
Jámais o mesmo peito os accommoda.
Do sceptro a gravidade em fim depondo
O pae, e o rei dos deuses, Jove, aquelle
Que armada tem do raio a sacra dextra.
E que ao minimo aceno abala o mundo,
Veste fórma taurina entre as manadas
Muge, e piza formoso as brandas hervas.
E' côr da neve, que nem pés calcaram,
Nem co'as azas desfez o sol chuvoso;
Altêa airosamente o mobil collo;
Das espadoas lhe pende, e bambalêa
A candida barbella, as breves pontas
D'industriosa mão lavor parecem,
Ganham no lustre á pérola mais pura.
Não tem pezado cenho, olhar terrivel,
Antes benigna paz lhe alegra a fronte.
A filha de Agnor admira o touro,
Extranha ser tão bello, e ser tão manso.
Ao principio, inda assim, teme tocar-lhe;
Vae-se depois avisinhando a elle,
E as flôres, que apanhou, lhe applica aos beiços.
Eil-o já pela relva salta, e brinca,
Já põe na fulva arêa o niveo lado.
Á virgem pouco a pouco o medo extingue,
E agora off'rece brandamente o peito
Só para que lh'o afague a mão formosa,
Agora as pontas, que a real donzella
De recentes boninas lhe engrinalda.
Ella, em fim, que não sabe a que se atreve,
Ousa nas alvas costas assentar-se.
De espaço á beira-mar descendo o nume,
Põe mentiroso pé n'agua primeira,
Vae depois mais ávante. .. em fim, nadando,
Leva a preza gentil por entre as ondas.
Ella de olhos na praia, ella medrosa
Segura uma das mãos n'u,ma das pontas,
Sobre o dorso agitado a outra encosta;
Enfuna o vento as susurrantes vestes.
Despida finalmente a falsa imagem,
Eis apparece o. deus, eis brilha Jove,
E em teus bosques, oh Creta, Amor triumpha

Submited by

domingo, novembro 1, 2009 - 19:51

Poesia Consagrada :

No votes yet

Bocage

imagem de Bocage
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 10 anos 1 semana
Membro desde: 10/12/2008
Conteúdos:
Pontos: 1162

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Bocage

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia Consagrada/Geral GLOSAS LV 2 1.175 02/27/2018 - 09:20 Português
Poesia Consagrada/Geral APÓLOGOS IX 1 1.387 03/24/2011 - 17:43 Português
Fotos/ - bocage 0 3.704 11/23/2010 - 23:36 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XIII 0 2.983 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XIV 0 2.724 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XV 0 2.469 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XVI 0 3.147 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XVII 0 3.029 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XVIII 0 3.145 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XIX 0 2.623 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XX 0 3.065 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES III 0 2.325 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES IV 0 3.000 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES V 0 2.831 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES VI 0 3.275 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES VII 0 2.635 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES VIII 0 3.024 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES IX 0 2.820 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES X 0 2.442 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XI 0 2.554 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XII 0 3.683 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral EPISODIOS TRADUZIDOS VIII 0 1.021 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral EPISODIOS TRADUZIDOS IX 0 1.013 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral EPISODIOS TRADUZIDOS X 0 1.240 11/19/2010 - 15:56 Português
Poesia Consagrada/Geral EPISODIOS TRADUZIDOS XI 0 2.125 11/19/2010 - 15:56 Português