CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

FASTOS DAS METAMORPHOSES XIX

A apotheosis de Romulo, e Hersilia

(Traduzido do Livro XIV)

Tacio morrêra, e Romulo aos dous povos
Equilibrava as leis, quando Mavorte
Dos mortaes, e immortaes ao rei supremo
(Deposto o morrião) fallou d'est'arte:
«O tempo é vindo, oh pae (por quanto Roma
Em robusto alicerce está segura,
E um só braço a modera) é vindo o tempo
Em que alto galardão, promessa antiga
A mim, teu filho, a Romulo, teu neto,
Credor do grande premio, se effeitue,
E o destinado ao céo se roube á terra.
No conselho dos deuses tu outr'hora
Me disseste, senhor: (e o pio annuncio
Gravei no coração, gravei na mente)
— Erguido aos céos por ti será teu filho: —
Ratifica a palavra sacro-sancta.»

Ao guerreiro annuiu o omnipotente:
Os ares condensou de opacas nuvens,
No raio, no trovão pôz medo á terra.
O impavido Gradivio, á luz, o estrondo,
Vê que é dado o signal do rapto augusto.
E, firmado na lança, ao carro salta.
Brutos, oppressos de temão sanguento.
O sonoro flagello açouta, espérta,
Dirigindo-se o deus por entre os ares,
Pára no Palatino, umbroso cume,
E ao filho, que ali julga os seus Quirites,
Arrebata d'ali co'a mão nervosa.
Nas auras se lhe vae quanto é da morte,
Qual a plumbea porção que sáe da funda
Seu reçumante humor perde voando.
Toma o romano heróe radiosa face,
Face mais digna da morada eterna,
Tal como a que se vê na purpurada
Imagem de Quirino, imagem sua.

Por morto o claro esposo Hersilia chora:
Eis dos céos a rainha ordena a Iris
Que baixe ao mundo, e que á viuva excelsa
Estas benignas vozes pronuncie:
«Oh da gente sabina, e lacia gente
Honra primaria, singular matrona,
Já digna esposa d'um varão sublime,
Do deus Quirino agora esposa digna !
Não chores: se teu Ínclito consorte
Morrendo estás por vêr, segue-me os passos,
Comigo ao bosque vem, que lá verdeja
No cimo Quirinal, e assombra os lares
Do monarcha romano.» — Iris submissa
Pelo arco immenso de vistosas côres
Desce rapidamente: eil-a na terra,
E o que ella a Juno ouviu lhe escuta Hersilia.
«Oh deusa ! (proferiu a alta matrona,
De pejo os olhos elevando apenas)
Qual d'ellas és não sei, mas sei que és deusa:
Não cabe esse esplendor a um ente humano.
Guia, ah! Guia-me a vêr o ausente esposo:
Se olhal-o inda uma vez me daes, oh Fados,
A presença dos céos terei na sua.»
N'isto ao Romuleo monte se encaminha,
E lêda o sóbe co'a Thaumantia virgem.
Subito, das estrellas despegado,
Vem direito á montanha ethereo lume;
Os cabellos de Hersilia toca, inflamma,
E com ella apoz si revôa aos astros.
De Roma o fundador nos céos a acolhe;
Muda-lhe o corpo antigo, o antigo nome,
Ora lhe chama, e de Quirino ao lado
Gosa com elle dos romanos cultos.

Submited by

domingo, novembro 1, 2009 - 21:31

Poesia Consagrada :

No votes yet

Bocage

imagem de Bocage
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 9 anos 20 semanas
Membro desde: 10/12/2008
Conteúdos:
Pontos: 1162

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Bocage

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia Consagrada/Geral GLOSAS LV 2 1.017 02/27/2018 - 10:20 Português
Poesia Consagrada/Geral APÓLOGOS IX 1 1.230 03/24/2011 - 18:43 Português
Fotos/ - bocage 0 3.448 11/24/2010 - 00:36 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XIII 0 2.814 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XIV 0 2.559 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XV 0 2.297 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XVI 0 2.974 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XVII 0 2.809 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XVIII 0 2.904 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XIX 0 2.433 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XX 0 2.808 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES III 0 2.126 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES IV 0 2.781 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES V 0 2.637 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES VI 0 3.013 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES VII 0 2.411 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES VIII 0 2.828 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES IX 0 2.635 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES X 0 2.205 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XI 0 2.347 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral FASTOS DAS METAMORPHOSES XII 0 3.498 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral EPISODIOS TRADUZIDOS VIII 0 826 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral EPISODIOS TRADUZIDOS IX 0 927 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral EPISODIOS TRADUZIDOS X 0 1.080 11/19/2010 - 16:56 Português
Poesia Consagrada/Geral EPISODIOS TRADUZIDOS XI 0 1.943 11/19/2010 - 16:56 Português