CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

A um Deus pouco divino …

Quero que nunca mais desponte o dia
Em lugar nenhum do mundo, pra que eu
Durma desperto, dividido entre o que conheço
E o que lembro e o sonho intimo, profundo,

Divino de ser tudo quanto a minha vista vê e
Reconhece como sendo o que existe, tudo quanto
Há e em mim mora, pois de Deus não sei nada,
Quero que nunca mais desponte o dia,

Enquanto eu viro outro mundo em roda na procura
Da cura pra este de que se esqueceu um Deus
Pouco divino, entre Ele e eu não há concílio
Moral ou o que afirmam ter sido, a julgar

Pla ausência de fé, nem é lei nem dá prisão,
Tudo “coisas” só, o resto são crenças entre Tu,
Nós e o mundo lá fora, já nem sei se quero partir
Ou chegar, pensar e sentir são opiniões diversas,

Nada mais que rostos de trinta mil máscaras,
Sinal que é fácil trocar palavas por ensejos,
-Gestos são oposição de polegares, expressões
Ventrículas tal como o bocejar barroco

De um retábulo não longe nem perto, em
Moscavide, é como me sinto, ignorado em
Ponto cruz, deserdado de magia na iris,
Num mundo onde salva tem gosto a malva,

Mas ainda com raiva d’fogo uso a palavra,
Uso a palavra magia quando olho
Nos olhos Teus, sendo eles azuis d’mar
Invento o uso, quando não sei de cor as cores

Do arco-íris, do vento acariciando a cevada,
O sentido e a boca me envelheceram, sim,
-De tantas palavras gastas, nem todas
Com gosto a salva e a sim, e a nada …

A um Deus pouco divino …

http://joel-matos.blogspot.com
Joel Matos (Março 2020)

Submited by

quarta-feira, abril 15, 2020 - 12:23

Ministério da Poesia :

Your rating: None Average: 5 (1 vote)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 3 semanas 1 dia
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 40680

Comentários

imagem de Joel

Obrigado a todos por lerem o que partilho e o que escrevo,

Obrigado a todos por lerem o que partilho e o que escrevo, nestes momentos difíceis que atravessamos toda a partilha é como Dizia Bernardo Soares “A mais vil de todas as necessidades — a da confidência, a da confissão. E a necessidade da alma de ser exterior ” Obrigado a todos …

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral O Amor é uma nação em risco, 1 308 05/03/2020 - 00:37 Português
Ministério da Poesia/Geral Ninguém me distingue de quem sou eu ... 1 128 04/20/2020 - 23:34 Português
Ministério da Poesia/Geral A um Deus pouco divino … 1 167 04/19/2020 - 12:02 Português
Poesia/Geral “Hic sunt dracones”, A dor é tudo … 4 334 04/15/2020 - 16:25 Português
Poesia/Geral A Morte não é Bem-Vinda ... 2 284 04/15/2020 - 15:46 Português
Poesia/Geral Objectos próximos, 0 415 04/15/2020 - 12:06 Português
Poesia/Geral Daniel Faria, excerto “Do que era certo” 0 358 04/15/2020 - 11:58 Português
Ministério da Poesia/Geral O avesso do espelho... 5 146 03/01/2020 - 21:02 Português
Poesia/Geral A síndrome de Savanah 0 181 03/01/2020 - 20:26 Português
Ministério da Poesia/Geral O Estado da Dúvida 2 164 01/24/2020 - 21:05 Português
Ministério da Poesia/Geral Patchwork... 0 252 01/08/2020 - 14:05 Português
Ministério da Poesia/Geral Vivo do oficio das paixões 0 238 01/08/2020 - 13:55 Português
Ministério da Poesia/Geral Como morre um Rei de palha... 0 153 01/08/2020 - 13:50 Português
Ministério da Poesia/Geral "Sic est vulgus" 0 221 01/08/2020 - 12:47 Português
Ministério da Poesia/Geral Quantos Césares fui eu !!! 0 173 01/08/2020 - 12:40 Português
Ministério da Poesia/Geral Nada se parece comigo 0 187 01/08/2020 - 12:34 Português
Ministério da Poesia/Geral Pedra, tesoura ou papel..."Do que era certo" 0 177 01/08/2020 - 12:27 Português
Ministério da Poesia/Geral Sou "O-Feito-Do-Primeiro-Vidente" 0 139 01/08/2020 - 12:11 Português
Ministério da Poesia/Geral Morri lívido e nu ... 0 203 01/08/2020 - 12:03 Português
Ministério da Poesia/Geral Ladram cães à distância, Mato o "Por-Matar" ... 0 226 01/08/2020 - 11:45 Português
Ministério da Poesia/Geral Excerto “do que era certo” 0 214 01/08/2020 - 11:38 Português
Ministério da Poesia/Geral Rua dos Douradores 30 ... 0 224 01/08/2020 - 11:32 Português
Ministério da Poesia/Geral A Rua ao meu lado ou O Valor do riso... 0 140 01/08/2020 - 11:24 Português
Ministério da Poesia/Geral Absurdo e Sem-Fim… 0 225 01/08/2020 - 11:17 Português
Ministério da Poesia/Geral Sonho sem fim, nem fundo ... 0 177 01/08/2020 - 11:01 Português