CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

A Confissão ( A Neruda)


A Confissão (de Neruda )

Foi numa noite assim fria que a nostalgia veio ao meu encontro e aqui parou,
Consta não haver antídoto que a derrote e eu poderia continuar fazendo os versos
Mais nostálgicos p’la noite dentro, mas o meu alento depressa voou,
Volteou nas estrelas, atravessou fronteiras, contagiou as violetas e declarou
Às mariposas: esta noite não vai haver tristeza, nem pesar, nem morte.
Poderei continuar fazendo versos com morte, tristeza exposta ou natureza viva,
Mas não me sentirei justificado se confessar apenas que vivo com agrado
Mas foi nesta noite fria que minh’alma inquieta evocou
 Um velho livro que encontrei em Mendoza (Argentina)
“Poesias de Pablo Neruda” dizia dentro: confesso que vivi…

Jorge Santos (19/11/2010)
http://joel-matos.blogspot.com

Submited by

quinta-feira, dezembro 16, 2010 - 20:47

Poesia :

Your rating: None (3 votes)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 14 horas 18 minutos
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 40706

Comentários

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

obrigado

obrigado

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Vencido 3 36 11/25/2020 - 18:26 Português
Poesia/Geral Esquecer é ser esquecido 0 187 09/28/2020 - 14:47 Português
Poesia/Geral Na minha terra não há terra, 0 576 06/02/2020 - 15:16 Português
Poesia/Geral A sucessão dos dias e a sede de voyeur ... 0 326 06/02/2020 - 15:09 Português
Poesia/Geral O Amor é uma nação em risco, 1 682 05/02/2020 - 23:37 Português
Ministério da Poesia/Geral Ninguém me distingue de quem sou eu ... 1 399 04/20/2020 - 22:34 Português
Ministério da Poesia/Geral A um Deus pouco divino … 1 582 04/19/2020 - 11:02 Português
Poesia/Geral “Hic sunt dracones”, A dor é tudo … 4 952 04/15/2020 - 15:25 Português
Poesia/Geral A Morte não é Bem-Vinda ... 2 603 04/15/2020 - 14:46 Português
Poesia/Geral Objectos próximos, 0 691 04/15/2020 - 11:06 Português
Poesia/Geral Daniel Faria, excerto “Do que era certo” 0 574 04/15/2020 - 10:58 Português
Ministério da Poesia/Geral O avesso do espelho... 5 435 03/01/2020 - 20:02 Português
Poesia/Geral A síndrome de Savanah 0 578 03/01/2020 - 19:26 Português
Ministério da Poesia/Geral O Estado da Dúvida 2 333 01/24/2020 - 20:05 Português
Ministério da Poesia/Geral Patchwork... 0 556 01/08/2020 - 13:05 Português
Ministério da Poesia/Geral Vivo do oficio das paixões 0 489 01/08/2020 - 12:55 Português
Ministério da Poesia/Geral Como morre um Rei de palha... 0 379 01/08/2020 - 12:50 Português
Ministério da Poesia/Geral "Sic est vulgus" 0 611 01/08/2020 - 11:47 Português
Ministério da Poesia/Geral Quantos Césares fui eu !!! 0 410 01/08/2020 - 11:40 Português
Ministério da Poesia/Geral Nada se parece comigo 0 423 01/08/2020 - 11:34 Português
Ministério da Poesia/Geral Pedra, tesoura ou papel..."Do que era certo" 0 503 01/08/2020 - 11:27 Português
Ministério da Poesia/Geral Sou "O-Feito-Do-Primeiro-Vidente" 0 404 01/08/2020 - 11:11 Português
Ministério da Poesia/Geral Morri lívido e nu ... 0 404 01/08/2020 - 11:03 Português
Ministério da Poesia/Geral Ladram cães à distância, Mato o "Por-Matar" ... 0 451 01/08/2020 - 10:45 Português
Ministério da Poesia/Geral Excerto “do que era certo” 0 376 01/08/2020 - 10:38 Português