CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Feliz como poucos …

Nada há em mim maior que eu mesmo,
Vivem em nós temores de nós mesmos,
Todos falam e eu me calo, temendo repetir
-Me nos gestos gastos, excepto no bocejo

E na gaguez do uivo que emito, dos amargos
Lobos, estes representam a minha vitalidade
Perante a exuberância da morte, basta
Que me bata na porta menos grossa

E em Teixo para não me repetir no oco
Eco, na Faia, no falo, no veto, na Ágora
E em mim mesmo, quando falo assim,
Tamanho pequeno…

Sou feliz como poucos no mundo,
O riso da minoria satisfaz-me quanto basta,
Já que a lucidez não serve todos …
Somos poucos,

Mas não menos felizes que muitos outros,
(Se me faço entender)
Durmo em meios olhos,
Sonh’os inteiros, projecto-os em telas,

Para apreciação dos leigos,
Desde todos os ângulos,
Por todas as esquinas, todos os becos,
Recolho-os sem dor, em canteiros de flores,

Semeio nas veias e no olhar vazio
Dos múltiplos sonhos meus,
Sonhados-a-meias,
Pastel na cor…cinema em ante-estreias.

Joel Matos 10/2019
Http://joel-matos.blogspot.com

Submited by

quarta-feira, janeiro 8, 2020 - 10:32

Poesia :

No votes yet

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 3 dias 4 horas
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 40692

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Na minha terra não há terra, 0 302 06/02/2020 - 16:16 Português
Poesia/Geral A sucessão dos dias e a sede de voyeur ... 0 160 06/02/2020 - 16:09 Português
Poesia/Geral O Amor é uma nação em risco, 1 379 05/03/2020 - 00:37 Português
Ministério da Poesia/Geral Ninguém me distingue de quem sou eu ... 1 185 04/20/2020 - 23:34 Português
Ministério da Poesia/Geral A um Deus pouco divino … 1 257 04/19/2020 - 12:02 Português
Poesia/Geral “Hic sunt dracones”, A dor é tudo … 4 387 04/15/2020 - 16:25 Português
Poesia/Geral A Morte não é Bem-Vinda ... 2 347 04/15/2020 - 15:46 Português
Poesia/Geral Objectos próximos, 0 463 04/15/2020 - 12:06 Português
Poesia/Geral Daniel Faria, excerto “Do que era certo” 0 412 04/15/2020 - 11:58 Português
Ministério da Poesia/Geral O avesso do espelho... 5 226 03/01/2020 - 21:02 Português
Poesia/Geral A síndrome de Savanah 0 301 03/01/2020 - 20:26 Português
Ministério da Poesia/Geral O Estado da Dúvida 2 197 01/24/2020 - 21:05 Português
Ministério da Poesia/Geral Patchwork... 0 320 01/08/2020 - 14:05 Português
Ministério da Poesia/Geral Vivo do oficio das paixões 0 299 01/08/2020 - 13:55 Português
Ministério da Poesia/Geral Como morre um Rei de palha... 0 200 01/08/2020 - 13:50 Português
Ministério da Poesia/Geral "Sic est vulgus" 0 314 01/08/2020 - 12:47 Português
Ministério da Poesia/Geral Quantos Césares fui eu !!! 0 226 01/08/2020 - 12:40 Português
Ministério da Poesia/Geral Nada se parece comigo 0 243 01/08/2020 - 12:34 Português
Ministério da Poesia/Geral Pedra, tesoura ou papel..."Do que era certo" 0 263 01/08/2020 - 12:27 Português
Ministério da Poesia/Geral Sou "O-Feito-Do-Primeiro-Vidente" 0 195 01/08/2020 - 12:11 Português
Ministério da Poesia/Geral Morri lívido e nu ... 0 240 01/08/2020 - 12:03 Português
Ministério da Poesia/Geral Ladram cães à distância, Mato o "Por-Matar" ... 0 280 01/08/2020 - 11:45 Português
Ministério da Poesia/Geral Excerto “do que era certo” 0 250 01/08/2020 - 11:38 Português
Ministério da Poesia/Geral Rua dos Douradores 30 ... 0 292 01/08/2020 - 11:32 Português
Ministério da Poesia/Geral A Rua ao meu lado ou O Valor do riso... 0 203 01/08/2020 - 11:24 Português