CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Como morre um Rei de palha...

De futilidades e empatias tenho a aorta cheia,
Mas quando o céu morre e o frio se torna cinza,
Cai em mim um véu, que é mais magro que o cio
E do que o altar vazio - o mote de acabar o dia -

Se pudesse retiraria o coração amanhã e pela frente,
Para de repente, voltar a ser gente que nem fui,
Foi-me retirado pelas costas, por ironia e pela
Folha de um punhal estranho, de ferrolho velho,

Virei depois saldar as minhas dívidas de jogo,
Desde as bem maiores às mais mínimas,
Que a fé na sorte faz esquecer, Orixá me perdoe,
Pois nem outro vício tenho, jogo de manhã,

Até à calada da noite, amanhã cedo não haverá magia,
Nem nos reconhecermos, tampouco nos perceberemos,
Somos simples corações humanos, postumamente
Criados por um Senhor morto sem pressa,

Com a clarividência de um Sultão da Pérsia nado-morto,
Deposto pela simpatia de um fraco e gordo, inútil
Até ao sobrolho e sobre ele todo, disse-me que morrerei
Só, que é como morre um rei de palha, em pó...

Jorge Santos 12/2019
http://namastibetpoems.blogspot.com

Submited by

quarta-feira, janeiro 8, 2020 - 13:50

Ministério da Poesia :

Your rating: None Average: 5 (1 vote)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 3 semanas 2 dias
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 41452

Comentários

imagem de Joel

Obrigado pela leitura e pelos momentos em que partilho

Obrigado pela leitura e pelos momentos em que partilho

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Espírito de andante ... 37 303 05/26/2022 - 16:07 Português
Poesia/Geral Feliz como poucos … 3 1.007 03/24/2022 - 13:15 Português
Poesia/Geral Nada, fora o novo ... 17 299 03/19/2022 - 21:01 Português
Poesia/Geral A tenaz negação do eu, 8 589 03/19/2022 - 20:58 Português
Poesia/Geral Nunca tive facilidade de 29 314 03/11/2022 - 18:20 Português
Poesia/Geral Tudo em mim, 13 294 02/25/2022 - 18:40 Português
Poesia/Geral E eu deixei meus olhos 12 360 02/25/2022 - 18:40 Português
Poesia/Geral Meu instinto é dado pelos dedos mindinhos 22 340 02/25/2022 - 18:39 Português
Ministério da Poesia/Geral Sem nada … 17 905 02/19/2022 - 16:18 Português
Poesia/Geral Até que mais seja 33 328 02/17/2022 - 11:28 Português
Poesia/Geral Send'a própria imagem minha, Continuo'a ser eu ess’outro … 18 239 01/21/2022 - 19:07 Português
Poesia/Geral Perfeitos no amor e no pranto … 46 286 01/20/2022 - 23:04 Português
Ministério da Poesia/Geral O facto de respirar … 43 513 01/19/2022 - 21:36 Português
Poesia/Geral Não me substituam a realidade 36 251 01/15/2022 - 10:31 Português
Ministério da Poesia/Geral Sou tudo quanto dou e devo ... 18 488 01/04/2022 - 19:16 Português
Poesia/Geral Cada um de todos nós é todo'mundo, 31 606 12/11/2021 - 21:10 Português
Poesia/Geral Sou minha própria imagem, 2 626 07/01/2021 - 12:50 Português
Poesia/Geral Há um vão à minha espera 2 592 07/01/2021 - 12:50 Português
Poesia/Geral leve 4 2.438 06/28/2021 - 15:39 Português
Poesia/Geral Deus Ex-Machina, “Anima Vili” ... 1 1.217 06/24/2021 - 11:38 Português
Poesia/Geral Da significação aos sonhos ... 1 1.102 06/22/2021 - 10:01 Português
Ministério da Poesia/Geral Sonho sem fim, nem fundo ... 1 1.147 06/21/2021 - 16:27 Português
Ministério da Poesia/Geral Absurdo e Sem-Fim… 1 1.617 06/21/2021 - 16:26 Português
Ministério da Poesia/Geral A Rua ao meu lado ou O Valor do riso... 1 1.510 06/21/2021 - 16:25 Português
Ministério da Poesia/Geral Rua dos Douradores 30 ... 1 1.223 06/21/2021 - 16:25 Português