CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Cânticos

Cânticos
I
Falso grito este que te consome, vago
Suspiros de vozes mortas vagam
Na inquietude do passo de dança
Que dança na lenta melodia do suicídio.

Não faltaram gritos extasiados nem vozes suspensas
Para cantar este medo frágil que te consome
Este medo sem nome, apenas medo
Febril medo das guerrilhas dos farrapos.

Não ocorreu revolução, pouco menos, bem menos
Antes mundo era grande e teu suspiro era pequeno
Hoje é pequeno e vago o teu profundo suspiro.
Sei que não comeste do pão da Padaria espiritual, apenas.

O Pão que o diabo amassou a luz do meio dia
Sobre o trópico de Capricórnio
Ao som das índias Ocidentais e Orientais
Com ares de cachimbo da paz.

II

Cadê a paz dos teus suspiros
Os sons cálidos, as vozes vivazes
Pasto, mato, revolução, revolução
Em plena brasiliana.

III

Mas requebra o teu samba, José
E liberta a Rosa do povo
Sobre O discurso do método
Em plena Arte de escrever.

Não será este teu grito de revolução
Visto que tua voz jaz sobre a lapinha
Sei que há uma luz no fim do túnel
Aberta pelos Capitães de areia.

IV

Esta praça não é mais a mesma
Como não é mais a mesma utopia
Como a mesma mulata
Sobre a profundidade dos chapadões.

Submited by

quinta-feira, setembro 2, 2010 - 05:38

Poesia :

No votes yet

ntistacien

imagem de ntistacien
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 11 horas 27 minutos
Membro desde: 04/22/2010
Conteúdos:
Pontos: 229

Comentários

imagem de Henrique

Re: Cânticos

Não faltaram gritos extasiados nem vozes suspensas
Para cantar este medo frágil que te consome
Este medo sem nome, apenas medo
Febril medo das guerrilhas dos farrapos.

Todo o poema está fantástico!!!

:-)

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of ntistacien

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos Feliz mesmo é poder olhar para os céus e contemplar teu olhar. Embriagar-se de amor e, ainda assim, continuar sóbrio. 0 7 01/15/2019 - 14:56 Português
Poesia/Pensamentos Foi a ingenuidade de seu olhar que desarmou meu nefasto coração. 0 7 01/15/2019 - 14:55 Português
Poesia/Geral A filosofia do lagarto: Autotomia 0 7 01/15/2019 - 14:51 Português
Poesia/Geral Silencioso grito a Brasiliana 0 10 01/14/2019 - 03:46 Português
Poesia/Geral Tempo 0 16 01/14/2019 - 03:02 Português
Poesia/Meditação Em pedaços 0 10 01/14/2019 - 02:50 Português
Poesia/Aforismo ntistacien 0 17 01/13/2019 - 05:47 Português
Poesia/Aforismo ntistacien 0 13 01/13/2019 - 05:45 Português
Poesia/Aforismo A virtude reside sob a máscara que admite existência em outrem. 0 13 01/13/2019 - 05:43 Português
Poesia/Desilusão Em pedaços 0 18 01/10/2019 - 02:15 Português
Poesia/Meditação Avulso 0 23 01/10/2019 - 01:55 Português
Poesia/Aforismo ntistacien 0 104 11/10/2018 - 18:26 Português
Poesia/Amor Para um colibri 0 83 11/10/2018 - 17:32 Português
Poesia/Geral Flores de abril 0 112 11/10/2018 - 17:21 Português
Poesia/Geral Vazio poema 1 275 11/14/2013 - 12:46 Português
Poesia/Geral Vazio poema 0 180 11/12/2013 - 22:34 Português
Poesia/Geral Ausência e Solidão 1 295 11/01/2013 - 06:06 Português
Poesia/Geral Poema a um anjo 0 515 07/03/2011 - 04:22 Português
Poesia/Geral Vago poema 0 314 06/29/2011 - 00:58 Português
Poesia/Geral Sonata de Outono 0 302 06/06/2011 - 16:53 Português
Fotos/ - a 0 724 11/23/2010 - 23:55 Português
Poesia/Amor Confissão de um poeta 0 326 11/18/2010 - 15:41 Português
Poesia/Geral Olhar 0 341 11/18/2010 - 15:40 Português
Poesia/Geral Representação 0 330 11/18/2010 - 15:39 Português
Poesia/Aforismo Notícia 0 294 11/18/2010 - 15:39 Português