CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Para um colibri

     O que dizer sobre seu olhar? Impenetrável e incorruptível como o das mais lindas flores. De uma profundeza tamanha e de uma identidade única. És linda. De uma beleza sem limites e de uma calmaria tamanha que até os corações mais tempestuosos procuram conforto.
     Se amar é isso, então amo-te. Amo-te com um amor sem maldade, com um amor sem intenções diversas. Pudesse, estudaria teus padrões e tua singularidade e compor-te-ia em uma canção e entoaria em minha memória eternamente.
     Pudesse, fragmentaria minha essência e me converteria em uma unidade atemporal para poder acompanhar-te, como um ser que vigia aquilo que tanto preza. Notavelmente, percebo que não posso ter-te, mas só a possibilidade de te sonhar me conforta.
     Pudesse, colapsaria o tempo e carregar-te-ia para um paraíso intocável e apreciaria todas as curvas de seu corpo e as projeções de sua mente. Confesso-te que ainda não me confortaria. Fixaria meus olhos aos seus, buscando penetrar em sua essência.
     És leve e sinuosa como o navegar de um pássaro, porém única na sua diversidade. Teu olhar e tuas palavras soam como uma melodia, como uma projeção indecifrável, mas segura e encantadora.
     Como a mais jovial das rosas e a mais misteriosa tem na sua essência um padrão orientável. És tu, aquela cuja essência és intocada. Tão bela quanto a refração e difração de um feixe luminoso sobre um filete de água.
     Confesso-te que jamais lhe ofereceria todas as rosas, ou todos os aromas. Procuraria a rosa mais rara e a essência mais frágil e presentear-te-ia. Oferecer-te-ia a constelação mais distante e singular, a constelação mais bela e mais rara. Desenharia no teto do teu quarto um universo e preencheria de estrelas. Pincelaria teu nome com os pigmentos mais raros.
     Às vezes demasiadamente me pergunto o quanto durará este sentimento, pois desejo que ele seja eterno enquanto dure. Percebo que vivê-lo não basta, almejo eternizá-lo para contemplar-te eternamente. Então prefiro acreditar que não és humana, que és um sonho. Algo intocável e imprevisível.  Não almejo somente sonhar, quero existir junto a ti.
     Perfilo palavras e elas, vez por outra impactam em minha interpretação e vejo que tudo posso estar tão perto e às vezes tão longe de ti. Começo a acredita que este deve ser os devaneios de quem ama. Então prefiro acreditar naquela projeção que tive outrora. Você e eu perdidos em um loop temporal, distante de toda realidade humana a contemplar a imensidão do mundo.
     Vez por outra perco-me a imaginar tocando sua cintura e embalando-te como se embala um cântico. Percebo que amar já não é suficiente e que um coração temeroso deseja uma companhia eterna. Certa vez disseste-me que no final todo mundo morre. Confesso que percebi superficialidade em suas palavras, notei que o sentimento que há em ti não é tão completo, ou que não acredita em algo longo.
     Digo-te, pois, que no final ninguém morre. Que as memórias, assim como a fênix renascem em terrenos nunca dantes navegados. As memórias, as memórias nunca morrem, e nada morre. Não é que algo se tornou despercebido que não existe. O que acontece é que ainda não foi descoberto ou está emparedado na imensidão implacável das memórias.

Submited by

sábado, novembro 10, 2018 - 17:32

Poesia :

No votes yet

ntistacien

imagem de ntistacien
Online
Título: Membro
Última vez online: há 37 minutos 19 segundos
Membro desde: 04/22/2010
Conteúdos:
Pontos: 229

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of ntistacien

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos Feliz mesmo é poder olhar para os céus e contemplar teu olhar. Embriagar-se de amor e, ainda assim, continuar sóbrio. 0 8 01/15/2019 - 14:56 Português
Poesia/Pensamentos Foi a ingenuidade de seu olhar que desarmou meu nefasto coração. 0 7 01/15/2019 - 14:55 Português
Poesia/Geral A filosofia do lagarto: Autotomia 0 7 01/15/2019 - 14:51 Português
Poesia/Geral Silencioso grito a Brasiliana 0 10 01/14/2019 - 03:46 Português
Poesia/Geral Tempo 0 16 01/14/2019 - 03:02 Português
Poesia/Meditação Em pedaços 0 11 01/14/2019 - 02:50 Português
Poesia/Aforismo ntistacien 0 17 01/13/2019 - 05:47 Português
Poesia/Aforismo ntistacien 0 14 01/13/2019 - 05:45 Português
Poesia/Aforismo A virtude reside sob a máscara que admite existência em outrem. 0 13 01/13/2019 - 05:43 Português
Poesia/Desilusão Em pedaços 0 24 01/10/2019 - 02:15 Português
Poesia/Meditação Avulso 0 25 01/10/2019 - 01:55 Português
Poesia/Aforismo ntistacien 0 106 11/10/2018 - 18:26 Português
Poesia/Amor Para um colibri 0 84 11/10/2018 - 17:32 Português
Poesia/Geral Flores de abril 0 113 11/10/2018 - 17:21 Português
Poesia/Geral Vazio poema 1 276 11/14/2013 - 12:46 Português
Poesia/Geral Vazio poema 0 181 11/12/2013 - 22:34 Português
Poesia/Geral Ausência e Solidão 1 296 11/01/2013 - 06:06 Português
Poesia/Geral Poema a um anjo 0 516 07/03/2011 - 04:22 Português
Poesia/Geral Vago poema 0 316 06/29/2011 - 00:58 Português
Poesia/Geral Sonata de Outono 0 303 06/06/2011 - 16:53 Português
Fotos/ - a 0 725 11/23/2010 - 23:55 Português
Poesia/Amor Confissão de um poeta 0 328 11/18/2010 - 15:41 Português
Poesia/Geral Olhar 0 343 11/18/2010 - 15:40 Português
Poesia/Geral Representação 0 331 11/18/2010 - 15:39 Português
Poesia/Aforismo Notícia 0 295 11/18/2010 - 15:39 Português