CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Contra o Amor

Enquanto os guerreiros regressam da empresa cruenta
Que tantos valentes soldados no Hades lançou,
Do amor a natura não cuida o gentil Menelau
Que os anos de guerra lhe reacenderam no peito.

          Amor a mulheres jamais incitou à batalha
          Aqueus ou troianos de nobre linhagem briosa –
          Apenas a honra, malévola honra, tal ira
          No imo do peito seria capaz de infundir.

Agora, de volta ao seu lar doce lar, sem receios,
Não pensa nem sente o que não tenha o nome de Helena.
Nem mesmo recorda que Eros, arqueiro indomável,
É filho suposto do divo senhor pai das guerras.

          Assim, pois, também, essas folhas ao vento, essa raça
          Volúvel qual Zéfiro, humana chamada, em excesso
          Se ama – e tanto mais ama quão menos reflete
          Que a deusa do amor foi gerada de uma castração.

Submited by

sábado, março 5, 2011 - 00:15

Poesia :

No votes yet

MauroBartolomeu

imagem de MauroBartolomeu
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 8 anos 3 semanas
Membro desde: 12/19/2009
Conteúdos:
Pontos: 110

Comentários

imagem de Verônica Vincenza

Semiótico e muito profundo.

Semiótico e muito profundo. Gostei!

Parabéns!

Verônica Vincenza 

imagem de MarneDulinski

Contra o Amor

Lindo poema, gostei, meus parabéns,

MarneDulinski

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of MauroBartolomeu

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral asfixia 0 526 08/06/2011 - 04:56 Português
Poesia/Haikai sem título 1 376 03/29/2011 - 14:19 Português
Poesia/Amor Contra o Amor 2 971 03/23/2011 - 14:56 Português
Fotos/ - MauroBartolomeu 0 696 03/05/2011 - 00:25 Português
Ministério da Poesia/Geral 30 0 549 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Geral 6 0 538 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Geral 29 0 576 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Geral 27 0 594 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Geral 28 0 670 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Geral 25 0 557 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Geral 26 0 700 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Geral 24 0 553 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Geral 23 0 633 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Geral 22 0 642 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Geral 20 0 533 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Geral 21 0 503 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Geral 14 0 686 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Geral 15 0 579 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Geral 16 0 438 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Amor 17 0 588 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Canção 18 0 599 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Geral 19 0 582 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Geral 8 0 553 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Geral 9 0 590 11/19/2010 - 18:12 Português
Ministério da Poesia/Canção 10 0 631 11/19/2010 - 18:12 Português