CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Diálogo sem fim #3

Quero que a minha história seja o mais vaga possível. Que até uma criança a possa ler, sem perceber os feitos mais hediondos que lhe estão intrínsecos. E que um adulto deseje ardentemente ter sido eu, por achar mais do que o que digo.

~

A Moderação assombra-me.
Bebo com ela, fumo com ela, fodo com ela.
O Excesso, inimigo da Regra, ri-se de nós e dos nossos pecados insignificantes. No fim, a Regra vai tomando conta do que é seu porque lho deram.

~

A disse a B: porque não permites então o excesso, a sua voz perpétua indicar-te o caminho, todos os caminhos, por mais dispares que possam ser? Em última análise, todos te levam à destruição. Mas a moderação também te vai matar.

B quis compreender o sentido das coisas e deixou-se ir atrás delas. Disse: o excesso já viveu debaixo do meu tecto. Dormi com ele, possuí-o e ele possuiu-me. Um dia acordei e ele não estava lá. Só percebi depois, quando o procurei. Percebi, então, que me devia ter matado com ele durante uma das visitas nocturnas que me fazia; mas era tarde demais. Veio o medo e a solidão na vez dele. Perdi-me em mim outra vez, mas desta vez sem ninguém para me mostrar o caminho.

~

Chegou o Trabalho. Ilegitimo filho da sobrevivência, descendente directo das Regras. O Trabalho eliminou o Excesso e impôs o Tempo e desfez a Vontade. E o mundo seguiu-o, desejou-o, passou a precisar dele e a lamentar-se – ó, coitados! – se ele faltava.
Antes, havia a liberdade.
Depois, a pressa, o compromisso, a vaidade.
Coitados dos sem trabalho, coitados! Livres esfomeados, pensadores livres sem ter em que pensar.

~

B disse ao Trabalho: não precisarei de ti, ainda que tenha sido abandonado pelo doce Excesso. O meu compromisso é para comigo.
Mas, sem o excesso, o compromisso já não era. Apercebera-se disso depois, quando tentou nega-lo – não conseguiu, já se tinha entranhado. Jurou que nunca mais, todos os dias lhe virou as costas e voltou para ele. Era infeliz e sentia-se a merda toda dos pobres.
Sonhava com o dia em que. Só não sabia o quê. Mas que! era preciso!
Alimentou-se à noite de si, como um vampiro alérgico a sangue. De dia foi zombie para os vivos e nunca pensava no assunto.

Submited by

terça-feira, outubro 9, 2012 - 13:31

Poesia :

No votes yet

infectofacto

imagem de infectofacto
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 3 anos 48 semanas
Membro desde: 03/20/2012
Conteúdos:
Pontos: 172

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of infectofacto

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Quanto 0 256 05/14/2015 - 12:15 Português
Poesia/Geral desolação 0 263 08/17/2014 - 16:00 Português
Poesia/Canção Começar 2 596 06/13/2014 - 11:23 Português
Poesia/Geral Desacção 0 213 06/08/2013 - 14:19 Português
Poesia/Desilusão Saio de mim 0 286 01/21/2013 - 17:51 Português
Poesia/Geral Cruzeiro 0 344 01/04/2013 - 01:45 Português
Poesia/Geral Diálogo sem fim #3 0 297 10/09/2012 - 13:31 Português
Poesia/Geral Calafrio 0 362 08/30/2012 - 02:02 Português
Poesia/Geral Jazz 0 333 08/17/2012 - 01:02 Português
Poesia/Geral Navego 1 367 08/06/2012 - 01:09 Português
Poesia/Geral Sonhos 0 304 07/17/2012 - 10:43 Português
Poesia/Geral Iluminação 0 313 06/01/2012 - 04:10 Português
Poesia/Geral (Untitled) 2 422 05/25/2012 - 21:22 Português
Poesia/Geral Ladainha 3 492 05/21/2012 - 04:10 Português
Poesia/Geral Justificação da realidade 4 475 05/20/2012 - 17:53 Português
Poesia/Geral Os felizes 2 460 05/14/2012 - 18:50 Português
Poesia/Geral No escuro 2 479 04/28/2012 - 22:20 Português
Poesia/Geral A carne 0 373 04/25/2012 - 12:13 Português
Poesia/Geral Da procura 2 432 04/25/2012 - 03:51 Português
Poesia/Geral O meu amigo 2 380 04/24/2012 - 23:22 Português
Poesia/Geral Os alienados 3 535 04/21/2012 - 22:17 Português
Poesia/Geral deus 4 475 04/21/2012 - 02:19 Português
Poesia/Geral Estupefacção 3 503 04/19/2012 - 22:55 Português
Poesia/Geral (Untitled) 2 459 04/19/2012 - 02:26 Português
Poesia/Geral Ritmo 1 374 04/19/2012 - 02:12 Português