CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Um instante infinito

Acredito na existência como sendo uma espécie de desfiar de um fio eterno,
sem início e sem fim, no qual se intercalam ciclos de diferentes formas de viver.
Esse fio evolutivo nem sempre é constante e sequer linear,
pois, acredito que, dependendo de nossos atos, "avançamos" ou "regredimos" neste fio,
tornando-o, por vezes, tortuoso, inconclusivo e inexato.
Nesta linha da existência somos fiapos que, unidos, damos sentido e consistência à ela;
cada fiapo é único, pessoal e intransferível e, ao mesmo tempo, se entrelaça e converge
de forma indissolúvel a todos os outros fiapos existentes
nas formas quânticas da teia do Universo;
e o tempo, no qual esta linha se desenrola, é algo muito relativo.
Somos apenas fiapos nessa linha de existência...
As pessoas felizes lembram do passado com gratidão,
alegram-se com o presente e encaram o futuro sem medo.
Mas, na prática, no tempo não podem existir nem passado, nem futuro.
Nele, existe apenas o presente infinitamente instantâneo;
o seu presente; o nosso presente.
Um instante infinito...
O tempo é algo igualmente real e virtual.
Na prática, o tempo é algo apenas imaginário, uma invenção sociocultural,
e é contado por nós para que tenhamos uma falsa e ilusória sensação
de que podemos controlá-lo: o futuro é algo que ainda não existe,
é apenas uma extensão paródica ou metafórica do presente;
o presente é algo que não tem extensão física;
o passado é algo que já não existe mais e não pode ser alterado.
O presente, o atual momento, o agora pode ser encolhido,
retalhado e espremido a uma partícula mínima,
infinitesimal de tempo e ainda assim será a coisa mais preciosa que podemos ter.
Acredito que o Universo, o espaço, a realidade
existem apoiados sobre um instante infinito que simplesmente "existe",
sem ter surgido num determinado momento, nem ter hora para acabar.
O tempo é algo tão selvagem, natural e poderoso que a tudo, a tudo consome!
O tempo existe e corre (ou não) independentemente de qualquer outra coisa.
Não nasceu, tampouco morrerá.
É o palco abstrato no qual tudo nasce, cresce e morre... ou se transforma.
Podemos alterar apenas o nosso espaço, nosso habitat, nossa física e nossa trajetória
neste palco da História; mas nunca, jamais, podemos, nem poderemos alterar o tempo
através do qual essa nossa história se desenrola.
Somos todos visitantes neste tempo e neste espaço.
E me sinto com sorte ao dividí-los com você.
Alguns de nossos objetivos são observar, aprender, crescer, amar...
e depois nos dissolvemos e voltamos para casa...
E, se você pudesse reviver a sua vida infinitas vezes até este exato ponto,
exatamente da forma como a viveu até agora, repetindo cada momento infinitas vezes?
Isso seria o maior dos presentes ou a maior maldição para você?
Como você vem vivendo o seu "instante infinito" até agora?

Submited by

sexta-feira, novembro 17, 2017 - 14:58

Poesia :

Your rating: None (7 votes)

MaynardoAlves

imagem de MaynardoAlves
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 semana 5 dias
Membro desde: 05/02/2010
Conteúdos:
Pontos: 596

Comentários

imagem de MaynardoAlves

Um instante infinito

Trata-se de reflexão sobre a efemeridade de nossa existência e a importância do ínfimo tempo que temos disponível para usufruir dela.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of MaynardoAlves

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Aforismo O vinhedo universal 0 289 05/07/2019 - 16:59 Português
Poesia/Meditação Metamorfose filosófica: bênção ou maldição? 1 306 12/03/2018 - 16:23 Português
Poesia/Intervenção Aos vivos que ficam ou Epitáfio II 1 442 10/09/2018 - 13:41 Português
Poesia/Geral Meu pequeno depoimento em prol do ateísmo 0 460 09/26/2018 - 01:17 Português
Poesia/Geral Revolucionário... revolucionário!? 1 367 09/25/2018 - 18:12 Português
Prosas/Outros Meu pequeno depoimento em prol do ateísmo 0 424 09/19/2018 - 20:13 Português
Poesia/Meditação O legado de um filósofo 1 367 09/17/2018 - 20:45 Português
Poesia/Intervenção Os novos mandamentos (ou melhor, conselhos) 1 490 08/29/2018 - 00:53 Português
Poesia/Fantasia O jardim de Epicuro 1 516 08/22/2018 - 17:14 Português
Poesia/Tristeza Em (des)construção 1 424 08/10/2018 - 15:46 Português
Poesia/Tristeza Máquina do tempo 1 442 08/08/2018 - 17:28 Português
Poesia/Tristeza Valores familiares 1 435 08/08/2018 - 17:21 Português
Poesia/Pensamentos Um lugar para chamar de seu 1 534 08/08/2018 - 17:14 Português
Poesia/Meditação Humilde-se! 1 538 05/21/2018 - 12:41 Português
Poesia/Tristeza Um inferno (para um poeta) 1 609 05/21/2018 - 12:34 Português
Prosas/Outros Onde? 2 429 03/08/2018 - 18:41 Português
Poesia/Comédia Meu amigo ócio 4 493 03/06/2018 - 16:20 Português
Poesia/Geral Promessas para uma vida nova 2 627 03/05/2018 - 21:09 Português
Poesia/Meditação Se Deus existisse... 4 589 03/05/2018 - 20:56 Português
Poesia/Intervenção Onde? 18 755 01/03/2018 - 19:28 Português
Poesia/Meditação Um instante infinito 1 560 11/17/2017 - 15:00 Português
Poesia/Desilusão Ainda no exílio (desde os dias de Gonçalves Dias) 1 544 11/08/2017 - 12:38 Português
Poesia/Canção Sem título (por luto) 1 565 10/27/2017 - 15:34 Português
Poesia/Geral Mensagem 1 580 03/27/2017 - 14:50 Português
Poesia/Aforismo O exagero de Sócrates 0 479 10/14/2016 - 20:50 Português