CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

16

16

Esta inconstancia de mim próprio em vibração
É que me ha de transpôr às zonas intermédias,
E seguirei entre cristais de inquietação,
A retinir, a ondular... Soltas as rédeas,
Meus sonhos, leões de fogo e pasmo domados a tirar
A tôrre d'ouro que era o carro da minh'Alma,
Transviarão pelo deserto, muribundos de Luar -
E eu só me lembrarei num baloiçar de palma...
Nos oásis, depois, hão de se abismar gumes,
A atmosfera ha de ser outra, noutros planos:
As rãs hão de coaxar-me em roucos tons humanos
Vomitando a minha carne que comeram entre estrumes...

* * *

Há sempre um grande Arco ao fundo dos meus olhos...
A cada passo a minha alma é outra cruz,
E o meu coração gira: é uma roda de côres...
Não sei aonde vou, nem vejo o que persigo...
Já não é o meu rastro o rastro d'oiro que ainda sigo...
Resvalo em pontes de gelatina e de bolôres...
Hoje, a luz para mim é sempre meia-luz...

. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .

As mesas do Café endoideceram feitas ar...
Caiu-me agora um braço... Olha, lá vai êle a valsar
Vestido de casaca, nos salões do Vice-Rei...

(Subo por mim acima como por uma escada de corda,
E a minha Ansia é um trapézio escangalhado...).

Mário de Sá-Carneiro

Submited by

quarta-feira, abril 1, 2009 - 02:06

Poesia Consagrada :

No votes yet

MariodeSaCarneiro

imagem de MariodeSaCarneiro
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 8 anos 23 semanas
Membro desde: 04/01/2009
Conteúdos:
Pontos: 120

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of MariodeSaCarneiro

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Fotos/ - Mario de Sa Carneiro 0 582 11/24/2010 - 00:33 Português
Poesia Consagrada/Geral Ângulo 0 433 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Sete Canções de Declínio 0 389 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Taciturno 0 440 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Apoteose 0 411 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral 7 0 452 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Vislumbre 0 317 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral 16 0 437 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral A Queda 0 293 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Rodopio 0 284 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Vontade de Dormir 0 372 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Inter-Sonho 0 262 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Escavação 0 294 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Partida 0 241 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Ápice 0 305 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Amor O amor 0 676 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Serradura 0 429 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Estátua Falsa 0 528 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Caranguejola 0 484 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Manucure 0 489 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Crise Lamentável 0 446 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral O Fantasma 0 436 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral El-Rei 0 382 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral AQUELOUTRO 0 463 11/19/2010 - 16:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Quasi 0 478 11/19/2010 - 16:49 Português