CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Crise Lamentável

CRISE LAMENTÁVEL

Gostava tanto de mexer na vida,
De ser quem sou – mas de poder tocar-lhe...
E não há forma: cada vez perdida
Mais a destreza de saber pegar-lhe.

Viver em casa como toda a gente
Não ter juízo nos meus livros – mas
Chegar ao fim do mês sempre com as
Despesas pagas religiosamente.

Não Ter receio de seguir pequenas
E convidá-las para me pôr nelas –
À minha Torre ebúrnea abrir janelas,
Numa palavra, e não fazer mais cenas.

Ter força um dia pra quebrar as roscas
Desta engrenagem que empenando vai.
– Não mandar telegramas ao meu Pai,
– Não andar por Paris, como ando, às moscas.

Levantar-me e sair – não precisar
De hora e meia antes de vir prà rua.
– Pôr termo a isto de viver na lua,
– Perder a frousse das correntes de ar.

Não estar sempre a bulir, a quebrar coisas
Por casa dos amigos que frequento –
Não me embrenhar por histórias melindrosas
Que em fantasia apenas argumento

Que tudo em é fantasia alada,
Um crime ou bem que nunca se comete
Por meu Azar ou minha Zoina suada...

Poemas Dispersos, Paris – Janeiro

Submited by

quarta-feira, abril 1, 2009 - 00:29

Poesia Consagrada :

No votes yet

MariodeSaCarneiro

imagem de MariodeSaCarneiro
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 9 anos 3 semanas
Membro desde: 03/31/2009
Conteúdos:
Pontos: 120

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of MariodeSaCarneiro

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Fotos/ - Mario de Sa Carneiro 0 683 11/23/2010 - 23:33 Português
Poesia Consagrada/Geral Ângulo 0 490 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Sete Canções de Declínio 0 440 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Taciturno 0 474 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Apoteose 0 460 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral 7 0 481 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Vislumbre 0 340 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral 16 0 470 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral A Queda 0 324 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Rodopio 0 314 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Vontade de Dormir 0 398 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Inter-Sonho 0 286 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Escavação 0 339 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Partida 0 281 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Ápice 0 334 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Amor O amor 0 941 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Serradura 0 467 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Estátua Falsa 0 581 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Caranguejola 0 532 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Manucure 0 536 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Crise Lamentável 0 477 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral O Fantasma 0 464 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral El-Rei 0 417 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral AQUELOUTRO 0 499 11/19/2010 - 15:49 Português
Poesia Consagrada/Geral Quasi 0 538 11/19/2010 - 15:49 Português