CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Indigno eu,

Escritor mecânico e doente, incurável monstro,
Indigno eu, organismo morto, sem paladar
Ou gosto, aroma sequer, eu- vulgar sol-posto,
Com talento apenas de brisa indolente, inimputável

Tal qual roupa suja de sangue fresco sob uma laje
De cimento seco, indigno eu perante gente ou
Acontecimento e na indelicadeza de não pensar
Neles, a insaciabilidade de um cão vadio, sujas cores

Numa cabana sem “backyard”, escrevo sem esforço
Entre as quatro tábuas de um mero quintal e ainda
Digo que me perdi, de mim para mim e sempre com
Mau discurso, num Catalão que ninguém fala, nem eu

Mesmo entendo, perguntando as horas, 19″maybe-less”.
Se me manifesto pela saliva do nariz, Salvo a consciência,
Perco-me no que digo, na memória e na forragem do umbigo,
A trajectória não tem leme, vagão ou rumo,

Escrevo “por-bem-dizer” o que conluio ser uma tela
De superfícies cavas, expressando o que é a face humana
E manuscrita, não falando daqueles que não têm
Remédio comigo. Os dias grandes não costumam repetir-se,

É um facto, cabe a mim situar-me no melhor lugar
E pensar diferente e cada minuto de dia, na galeria,
Na plateia ou no balcão, para que esta pareça uma outra peça,
Sem me sentir prisioneiro do teatro,

Posso sempre sair para a praça, Jogar matraquilhos
Ou assistir da bancada ao clube da terra,
Enormes são os dias que não se repetem, nem mesmo
Eu, repito-me escrevendo, concluí que sou um viciado

Em rotinas pequenas, pequenos são os meus dias e a rotina,
Escrevo o que ninguém escuta eu dizer falando,
Sou que eu digo, do umbigo e em roda dele,
Situo-o no meio-dia e eu em órbita do nariz, na saliva

Desvalorizada, vulgar, parda vida em que vivo
Sem me fazer ouvir, enviesada …

Jorge Santos 09/2019
http://namastibetpoems.blogspot.com

Submited by

quinta-feira, outubro 17, 2019 - 18:18

Ministério da Poesia :

Your rating: None Average: 5 (1 vote)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 3 dias 14 horas
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 40617

Comentários

imagem de Joel

Digo que me perdi, de mim

Digo que me perdi, de mim para mim e sempre com
Mau discurso, num Catalão que ninguém fala, nem eu

Mesmo entendo

imagem de Joel

Digo que me perdi, de mim

Digo que me perdi, de mim para mim e sempre com
Mau discurso, num Catalão que ninguém fala, nem eu

Mesmo entendo

imagem de Joel

Digo que me perdi, de mim

Digo que me perdi, de mim para mim e sempre com
Mau discurso, num Catalão que ninguém fala, nem eu

Mesmo entendo

imagem de Joel

Digo que me perdi, de mim

Digo que me perdi, de mim para mim e sempre com
Mau discurso, num Catalão que ninguém fala, nem eu

Mesmo entendo

imagem de Joel

Digo que me perdi, de mim

Digo que me perdi, de mim para mim e sempre com
Mau discurso, num Catalão que ninguém fala, nem eu

Mesmo entendo

imagem de Joel

Digo que me perdi, de mim

Digo que me perdi, de mim para mim e sempre com
Mau discurso, num Catalão que ninguém fala, nem eu

Mesmo entendo

imagem de Joel

Digo que me perdi, de mim

Digo que me perdi, de mim para mim e sempre com
Mau discurso, num Catalão que ninguém fala, nem eu

Mesmo entendo

imagem de Joel

Digo que me perdi, de mim

Digo que me perdi, de mim para mim e sempre com
Mau discurso, num Catalão que ninguém fala, nem eu

Mesmo entendo

imagem de Joel

Digo que me perdi, de mim

Digo que me perdi, de mim para mim e sempre com
Mau discurso, num Catalão que ninguém fala, nem eu

Mesmo entendo

imagem de Joel

Digo que me perdi, de mim

Digo que me perdi, de mim para mim e sempre com
Mau discurso, num Catalão que ninguém fala, nem eu

Mesmo entendo

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Ministério da Poesia/Geral O Estado da Dúvida 2 29 01/24/2020 - 20:05 Português
Ministério da Poesia/Geral Patchwork... 0 35 01/08/2020 - 13:05 Português
Ministério da Poesia/Geral Vivo do oficio das paixões 0 17 01/08/2020 - 12:55 Português
Ministério da Poesia/Geral Como morre um Rei de palha... 0 26 01/08/2020 - 12:50 Português
Ministério da Poesia/Geral "Sic est vulgus" 0 34 01/08/2020 - 11:47 Português
Ministério da Poesia/Geral Quantos Césares fui eu !!! 0 18 01/08/2020 - 11:40 Português
Ministério da Poesia/Geral Nada se parece comigo 0 20 01/08/2020 - 11:34 Português
Ministério da Poesia/Geral Pedra, tesoura ou papel..."Do que era certo" 0 21 01/08/2020 - 11:27 Português
Ministério da Poesia/Geral Sou "O-Feito-Do-Primeiro-Vidente" 0 24 01/08/2020 - 11:11 Português
Ministério da Poesia/Geral Morri lívido e nu ... 0 30 01/08/2020 - 11:03 Português
Ministério da Poesia/Geral Ladram cães à distância, Mato o "Por-Matar" ... 0 30 01/08/2020 - 10:45 Português
Ministério da Poesia/Geral Excerto “do que era certo” 0 30 01/08/2020 - 10:38 Português
Ministério da Poesia/Geral Rua dos Douradores 30 ... 0 51 01/08/2020 - 10:32 Português
Ministério da Poesia/Geral A Rua ao meu lado ou O Valor do riso... 0 18 01/08/2020 - 10:24 Português
Ministério da Poesia/Geral Absurdo e Sem-Fim… 0 25 01/08/2020 - 10:17 Português
Ministério da Poesia/Geral Sonho sem fim, nem fundo ... 0 17 01/08/2020 - 10:01 Português
Poesia/Geral Da significação aos sonhos ... 0 41 01/08/2020 - 09:54 Português
Poesia/Geral Deus Ex-Machina, “Anima Vili” ... 0 33 01/08/2020 - 09:44 Português
Poesia/Geral Feliz como poucos … 0 50 01/08/2020 - 09:32 Português
Ministério da Poesia/Geral As estrelas, os Estrôncios e os Sonhos. 39 763 11/28/2019 - 11:37 Português
Ministério da Poesia/Geral Dreaming Of A Better World 122 311 11/10/2019 - 18:37 Português
Poesia/Geral Escrevo o que ninguém escuta ... 108 408 10/22/2019 - 14:40 Português
Poesia/Geral Supondo-me desperto 85 1.037 10/22/2019 - 14:39 Português
Ministério da Poesia/Geral Venho de uma pequena ciência, 148 340 10/22/2019 - 14:38 Português
Ministério da Poesia/Geral Indigno eu, 92 289 10/22/2019 - 14:37 Português