CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

“Mea Culpa”

É possível ler na paisagem urbana
Aquilo que é difícil, impossível ver
No meu rosto, o esgar sem esforço
Que nem todos entendem, provo a

Loucura a trepar por igrejas frias, nuas
Pra ver o tísico universo, paciente
Responder a um cego mudo brando,
Eu sou o resultado de algo que nego,

Consequente à minha própria
Inconsequência mecânica,
Por conseguinte exponho na pele
E exponencio na consciência sobretudo

O privilégio régio, magnânimo
Como se fosse vício, delinquência
Galga, quiçá consciente a noção do crime
De pungente mea-culpa,

O aborto métrico, sintético,
O desacato mental genérico,
O pensar mais baixo, mais rude, mais duro,
Resinoso, oscilante e menos pragmático,

Eu sou o mau exemplo, o mau futuro
De tudo aquilo que julgam acerca,
A insanidade mental perfeita,
Com mais defeitos que qualidades,

O pé de atleta, o carbúnculo, o seboso,
O obstetra cego, o nado morto, o gordo,
O gago, enfim o geneticamente cru e cruel,
O amargo na boca, o rabo torto da porca …

Jorge Santos (06/2022)

https://namastibet.wordpress.com/

http://namastibetpoems.blogspot.com

Submited by

domingo, novembro 20, 2022 - 20:18

Poesia :

No votes yet

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 semanas 22 horas
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 42009

Comentários

imagem de Odairjsilva

Muito bom. Gostei!

Muito bom. Gostei!

imagem de Odairjsilva

Muito bom. Gostei!

Muito bom. Gostei!

imagem de Odairjsilva

Muito bom. Gostei!

Muito bom. Gostei!

imagem de Odairjsilva

Muito bom. Gostei!

Muito bom. Gostei!

imagem de Odairjsilva

Muito bom. Gostei!

Muito bom. Gostei!

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Pra lá do crepúsculo 30 226 03/06/2024 - 12:12 Português
Poesia/Geral Por onde passo não há s’trada. 30 271 02/18/2024 - 21:21 Português
Poesia/Geral Sonhei-me sonhando, 17 312 02/12/2024 - 17:06 Português
Ministério da Poesia/Geral A alegria que eu tinha 23 210 12/11/2023 - 21:29 Português
Ministério da Poesia/Geral Notas de um velho nojento 7 240 12/06/2023 - 22:30 Português
Ministério da Poesia/Geral (Creio apenas no que sinto) 17 136 12/02/2023 - 11:12 Português
Ministério da Poesia/Geral Vamos falar de mapas 15 338 11/30/2023 - 12:20 Português
Ministério da Poesia/Geral São como nossas as lágrimas 9 256 11/28/2023 - 12:11 Português
Poesia/Geral Entrego-me a quem eu era, 28 353 11/28/2023 - 11:47 Português
Ministério da Poesia/Geral O Homem é um animal “púbico” 11 222 11/26/2023 - 19:59 Português
Ministério da Poesia/Geral A essência do uso é o abuso, 1 454 11/25/2023 - 12:02 Português
Ministério da Poesia/Geral Insha’Allah 2 265 11/24/2023 - 13:43 Português
Ministério da Poesia/Geral No meu espírito chove sempre, 12 251 11/24/2023 - 13:42 Português
Ministério da Poesia/Geral Os destinos mil de mim mesmo. 21 273 11/24/2023 - 13:42 Português
Poesia/Geral “Daqui-a-nada” 20 847 11/24/2023 - 12:17 Português
Ministério da Poesia/Geral Cada passo que dou 0 375 11/24/2023 - 10:27 Português
Ministério da Poesia/Geral Quem sou … 0 352 11/24/2023 - 10:26 Português
Ministério da Poesia/Geral Ricardo Reis 0 85 11/24/2023 - 10:24 Português
Ministério da Poesia/Geral A dança continua 0 224 11/24/2023 - 10:23 Português
Ministério da Poesia/Geral A importância de estar … 0 168 11/24/2023 - 10:17 Português
Ministério da Poesia/Geral Se eu fosse eu 0 117 11/24/2023 - 10:15 Português
Ministério da Poesia/Geral Má Casta 0 267 11/24/2023 - 10:14 Português
Ministério da Poesia/Geral Neruda Passáro 0 191 11/24/2023 - 10:12 Português
Ministério da Poesia/Geral Pouco sei, pouco faço 0 139 11/24/2023 - 10:11 Português
Ministério da Poesia/Geral Do que tenho dito … 0 285 11/24/2023 - 10:09 Português