CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Boca Do Inferno

De vaga encrespas cuspos adamastores, devastas mansidões, guisas de cruas cornucópias infinitas no mar que importa aos ombros, o longe das nações solitárias.
Bosquejas arbustos de sal, fendes fustes de onda quebrada, que troa inunda um dédalo de torrentes anciãs, qual carrascos crepitantes de seios rudes e frescos no caldeiro que remoinha as translações e percebe as diásporas do limo.
Vi-te leques do oriente em intervalos pernoitados a cear pátrias improváveis nas persianas do ocaso.
Vi-te cactos de veludo e harpas heróicas a refrescarem mulheres, feitiços, sereias e todas mãos que me acariciaram o peito com afecto, iodo e salina.
Tens ritmo sazonal dos séculos em debandada…
A erosão perpétua das tuas revoltas são estátuas submersas no tempo que convertem os homens em antepassados.
Por isso regresso á escarpa incrédula dos teus gritos atlânticos.
Olho o céu das palavras em constelação que me foram corpo, língua, sangue e veia na tua boca ofendida.
Sou das tuas correntes o equador e a linha que sopra cálido o processo da vida e das harmonias fecundas.
Tenho rimas de ventre que honrei no fim dos horizontes onde desembarcava antárctico o meu corpo pela rosa-dos-ventos.
De vaga encrespas cuspos adamastores, devastas mansidões, guisas de cruas cornucópias infinitas no mar que importa aos ombros, o longe das nações solitárias…
Serei sempre os teus regressos ainda que vociferes o inferno na tua boca de pedra…
Sei-te a calma…
Porque te conjuguei todos os verbos num afago de alga e de seda na rebentação dos teus medos.
E sereno consigo a noite pelo vento que geme colírios nos olhos.
Nada mais que a felicidade…
Porque sei o barulho que faz o silêncio bater nas rochas…
A cair no chão, nas águas, na alma, no peito…
Na boca, na tua boca…
Onde o inferno adormece quando olho para ti.

Submited by

quinta-feira, julho 4, 2013 - 21:44

Poesia :

No votes yet

Lapis-Lazuli

imagem de Lapis-Lazuli
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 40 semanas
Membro desde: 01/11/2010
Conteúdos:
Pontos: 1178

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Lapis-Lazuli

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Fotos/ - 3517 1 1.898 03/13/2018 - 20:32 Português
Poesia/Aforismo In Vapore Sano 4 1.242 03/13/2018 - 20:32 inglês
Poesia/Aforismo Era só isto que eu queria dizer 1 986 02/27/2018 - 09:22 inglês
Poesia/Aforismo salgo :33 Isaías sonha que aos fala aos camones 0 961 06/20/2014 - 14:41 inglês
Poesia/Geral Boca Do Inferno 0 4.546 07/04/2013 - 21:44 Português
Poesia/Pensamentos veludo 3 1.684 05/15/2013 - 16:34 Português
Poesia/Aforismo Segundo Reza a Morte 0 1.177 10/04/2011 - 16:19 Português
Poesia/Meditação Fumo 0 1.423 09/23/2011 - 11:00 Português
Poesia/Aforismo De olhos fechados 3 1.830 09/20/2011 - 21:11 Português
Poesia/Aforismo Tundra 0 1.549 09/20/2011 - 15:36 Português
Poesia/Meditação Vazio 3 1.611 09/16/2011 - 10:00 Português
Poesia/Aforismo Intento 0 1.029 09/05/2011 - 15:52 Português
Poesia/Aforismo Palma Porque sim...Minha Senhora da Solidão 0 1.249 08/29/2011 - 10:13 Português
Poesia/Aforismo Editorial 0 1.381 08/29/2011 - 10:08 Português
Poesia/Pensamentos Ermo Corpo Desabitado 0 1.483 08/29/2011 - 10:04 Português
Poesia/Aforismo Dos passos que fazem eco 1 1.173 06/21/2011 - 21:06 Português
Poesia/Meditação Autoretrato sem dó menor 3 2.143 03/28/2011 - 22:34 Português
Poesia/Aforismo Todo o mundo que tenho 2 1.467 03/09/2011 - 07:23 Português
Fotos/ - 3516 0 2.592 11/23/2010 - 23:55 Português
Fotos/ - 3518 0 2.503 11/23/2010 - 23:55 Português
Fotos/ - 2672 0 3.655 11/23/2010 - 23:51 Português
Prosas/Outros A ultima vez no mundo 0 1.189 11/18/2010 - 22:56 Português
Prosas/Outros Os filhos de Emilia Batalha 0 1.441 11/18/2010 - 22:56 Português
Poesia/Desilusão Veredictos 0 1.093 11/18/2010 - 15:41 Português
Poesia/Intervenção Nada mais fácil que isto 0 1.588 11/18/2010 - 15:41 Português