CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

E eu deixei meus olhos

E eu deixei meus olhos
Sobre a mesa que são
Doze a contar do centro
Os meus dedos que dizem

Quem sou não, pauso
A minh’alma na pele
E admito ter deixado
De morar em mim

E morro no que deixei
Por entre os dedos
Ou seja um amor inteiro
Por habitar, suponho

No centro que a mesa
Tem, um céu doce…
Doze olhos meus
Que deixei no campo,

No entanto a contar
Me perco e na pele
Dos seios teus serei
Boca, Onde deixei

Meus olhos não ando
Nem mando este
Coração lá passar, passeando
O que sinto

Por uma outra,
Uma-outra-mesa…
Preciso separar dos meus,
Pois olhos são estados,

Dois p’las minhas contas,
E eu a olhar procurando
Explicar o que vejo a quem
Quer quer seja

Mais olhos que boca ou tenha
Sentimentos vulgares,
De farsa ou
Habilidade de acrobata,

Cor de rocha, rosto meu …

Jorge Santos (Fevereiro 2022)

https://namastibet.wordpress.com

http://namastibetpoems.blogspot.com

Submited by

sexta-feira, fevereiro 25, 2022 - 18:27

Poesia :

No votes yet

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 11 horas 15 segundos
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 41452

Comentários

imagem de Joel

E eu deixei meus olhos Sobre

E eu deixei meus olhos
Sobre a mesa que são
Doze a contar do centro
Os meus dedos que dizem

Quem sou não, pauso
A minh’alma na pele
E admito ter deixado
De morar em mim

E morro no que deixei
Por entre os dedos
Ou seja um amor inteiro
Por habitar, suponho

No centro que a mesa
Tem, um céu doce…
Doze olhos meus
Que deixei no campo,

No entanto a contar
Me perco e na pele
Dos seios teus serei
Boca, Onde deixei

Meus olhos não ando
Nem mando este
Coração lá passar, passeando
O que sinto

Por uma outra,
Uma-outra-mesa…
Preciso separar dos meus,
Pois olhos são estados,

Dois p’las minhas contas,
E eu a olhar procurando
Explicar o que vejo a quem
Quer quer seja

Mais olhos que boca ou tenha
Sentimentos vulgares,
De farsa ou
Habilidade de acrobata,

Cor de rocha, rosto meu …

Jorge Santos (Fevereiro 2022)

https://namastibet.wordpress.com

http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

E eu deixei meus olhos Sobre

E eu deixei meus olhos
Sobre a mesa que são
Doze a contar do centro
Os meus dedos que dizem

Quem sou não, pauso
A minh’alma na pele
E admito ter deixado
De morar em mim

E morro no que deixei
Por entre os dedos
Ou seja um amor inteiro
Por habitar, suponho

No centro que a mesa
Tem, um céu doce…
Doze olhos meus
Que deixei no campo,

No entanto a contar
Me perco e na pele
Dos seios teus serei
Boca, Onde deixei

Meus olhos não ando
Nem mando este
Coração lá passar, passeando
O que sinto

Por uma outra,
Uma-outra-mesa…
Preciso separar dos meus,
Pois olhos são estados,

Dois p’las minhas contas,
E eu a olhar procurando
Explicar o que vejo a quem
Quer quer seja

Mais olhos que boca ou tenha
Sentimentos vulgares,
De farsa ou
Habilidade de acrobata,

Cor de rocha, rosto meu …

Jorge Santos (Fevereiro 2022)

https://namastibet.wordpress.com

http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

E eu deixei meus olhos Sobre

E eu deixei meus olhos
Sobre a mesa que são
Doze a contar do centro
Os meus dedos que dizem

Quem sou não, pauso
A minh’alma na pele
E admito ter deixado
De morar em mim

E morro no que deixei
Por entre os dedos
Ou seja um amor inteiro
Por habitar, suponho

No centro que a mesa
Tem, um céu doce…
Doze olhos meus
Que deixei no campo,

No entanto a contar
Me perco e na pele
Dos seios teus serei
Boca, Onde deixei

Meus olhos não ando
Nem mando este
Coração lá passar, passeando
O que sinto

Por uma outra,
Uma-outra-mesa…
Preciso separar dos meus,
Pois olhos são estados,

Dois p’las minhas contas,
E eu a olhar procurando
Explicar o que vejo a quem
Quer quer seja

Mais olhos que boca ou tenha
Sentimentos vulgares,
De farsa ou
Habilidade de acrobata,

Cor de rocha, rosto meu …

Jorge Santos (Fevereiro 2022)

https://namastibet.wordpress.com

http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

E eu deixei meus olhos Sobre

E eu deixei meus olhos
Sobre a mesa que são
Doze a contar do centro
Os meus dedos que dizem

Quem sou não, pauso
A minh’alma na pele
E admito ter deixado
De morar em mim

E morro no que deixei
Por entre os dedos
Ou seja um amor inteiro
Por habitar, suponho

No centro que a mesa
Tem, um céu doce…
Doze olhos meus
Que deixei no campo,

No entanto a contar
Me perco e na pele
Dos seios teus serei
Boca, Onde deixei

Meus olhos não ando
Nem mando este
Coração lá passar, passeando
O que sinto

Por uma outra,
Uma-outra-mesa…
Preciso separar dos meus,
Pois olhos são estados,

Dois p’las minhas contas,
E eu a olhar procurando
Explicar o que vejo a quem
Quer quer seja

Mais olhos que boca ou tenha
Sentimentos vulgares,
De farsa ou
Habilidade de acrobata,

Cor de rocha, rosto meu …

Jorge Santos (Fevereiro 2022)

https://namastibet.wordpress.com

http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

E eu deixei meus olhos Sobre

E eu deixei meus olhos
Sobre a mesa que são
Doze a contar do centro
Os meus dedos que dizem

Quem sou não, pauso
A minh’alma na pele
E admito ter deixado
De morar em mim

E morro no que deixei
Por entre os dedos
Ou seja um amor inteiro
Por habitar, suponho

No centro que a mesa
Tem, um céu doce…
Doze olhos meus
Que deixei no campo,

No entanto a contar
Me perco e na pele
Dos seios teus serei
Boca, Onde deixei

Meus olhos não ando
Nem mando este
Coração lá passar, passeando
O que sinto

Por uma outra,
Uma-outra-mesa…
Preciso separar dos meus,
Pois olhos são estados,

Dois p’las minhas contas,
E eu a olhar procurando
Explicar o que vejo a quem
Quer quer seja

Mais olhos que boca ou tenha
Sentimentos vulgares,
De farsa ou
Habilidade de acrobata,

Cor de rocha, rosto meu …

Jorge Santos (Fevereiro 2022)

https://namastibet.wordpress.com

http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

E eu deixei meus olhos Sobre

E eu deixei meus olhos
Sobre a mesa que são
Doze a contar do centro
Os meus dedos que dizem

Quem sou não, pauso
A minh’alma na pele
E admito ter deixado
De morar em mim

E morro no que deixei
Por entre os dedos
Ou seja um amor inteiro
Por habitar, suponho

No centro que a mesa
Tem, um céu doce…
Doze olhos meus
Que deixei no campo,

No entanto a contar
Me perco e na pele
Dos seios teus serei
Boca, Onde deixei

Meus olhos não ando
Nem mando este
Coração lá passar, passeando
O que sinto

Por uma outra,
Uma-outra-mesa…
Preciso separar dos meus,
Pois olhos são estados,

Dois p’las minhas contas,
E eu a olhar procurando
Explicar o que vejo a quem
Quer quer seja

Mais olhos que boca ou tenha
Sentimentos vulgares,
De farsa ou
Habilidade de acrobata,

Cor de rocha, rosto meu …

Jorge Santos (Fevereiro 2022)

https://namastibet.wordpress.com

http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

E eu deixei meus olhos Sobre

E eu deixei meus olhos
Sobre a mesa que são
Doze a contar do centro
Os meus dedos que dizem

Quem sou não, pauso
A minh’alma na pele
E admito ter deixado
De morar em mim

E morro no que deixei
Por entre os dedos
Ou seja um amor inteiro
Por habitar, suponho

No centro que a mesa
Tem, um céu doce…
Doze olhos meus
Que deixei no campo,

No entanto a contar
Me perco e na pele
Dos seios teus serei
Boca, Onde deixei

Meus olhos não ando
Nem mando este
Coração lá passar, passeando
O que sinto

Por uma outra,
Uma-outra-mesa…
Preciso separar dos meus,
Pois olhos são estados,

Dois p’las minhas contas,
E eu a olhar procurando
Explicar o que vejo a quem
Quer quer seja

Mais olhos que boca ou tenha
Sentimentos vulgares,
De farsa ou
Habilidade de acrobata,

Cor de rocha, rosto meu …

Jorge Santos (Fevereiro 2022)

https://namastibet.wordpress.com

http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

E eu deixei meus olhos Sobre

E eu deixei meus olhos
Sobre a mesa que são
Doze a contar do centro
Os meus dedos que dizem

Quem sou não, pauso
A minh’alma na pele
E admito ter deixado
De morar em mim

E morro no que deixei
Por entre os dedos
Ou seja um amor inteiro
Por habitar, suponho

No centro que a mesa
Tem, um céu doce…
Doze olhos meus
Que deixei no campo,

No entanto a contar
Me perco e na pele
Dos seios teus serei
Boca, Onde deixei

Meus olhos não ando
Nem mando este
Coração lá passar, passeando
O que sinto

Por uma outra,
Uma-outra-mesa…
Preciso separar dos meus,
Pois olhos são estados,

Dois p’las minhas contas,
E eu a olhar procurando
Explicar o que vejo a quem
Quer quer seja

Mais olhos que boca ou tenha
Sentimentos vulgares,
De farsa ou
Habilidade de acrobata,

Cor de rocha, rosto meu …

Jorge Santos (Fevereiro 2022)

https://namastibet.wordpress.com

http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

E eu deixei meus olhos Sobre

E eu deixei meus olhos
Sobre a mesa que são
Doze a contar do centro
Os meus dedos que dizem

Quem sou não, pauso
A minh’alma na pele
E admito ter deixado
De morar em mim

E morro no que deixei
Por entre os dedos
Ou seja um amor inteiro
Por habitar, suponho

No centro que a mesa
Tem, um céu doce…
Doze olhos meus
Que deixei no campo,

No entanto a contar
Me perco e na pele
Dos seios teus serei
Boca, Onde deixei

Meus olhos não ando
Nem mando este
Coração lá passar, passeando
O que sinto

Por uma outra,
Uma-outra-mesa…
Preciso separar dos meus,
Pois olhos são estados,

Dois p’las minhas contas,
E eu a olhar procurando
Explicar o que vejo a quem
Quer quer seja

Mais olhos que boca ou tenha
Sentimentos vulgares,
De farsa ou
Habilidade de acrobata,

Cor de rocha, rosto meu …

Jorge Santos (Fevereiro 2022)

https://namastibet.wordpress.com

http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

E eu deixei meus olhos Sobre

E eu deixei meus olhos
Sobre a mesa que são
Doze a contar do centro
Os meus dedos que dizem

Quem sou não, pauso
A minh’alma na pele
E admito ter deixado
De morar em mim

E morro no que deixei
Por entre os dedos
Ou seja um amor inteiro
Por habitar, suponho

No centro que a mesa
Tem, um céu doce…
Doze olhos meus
Que deixei no campo,

No entanto a contar
Me perco e na pele
Dos seios teus serei
Boca, Onde deixei

Meus olhos não ando
Nem mando este
Coração lá passar, passeando
O que sinto

Por uma outra,
Uma-outra-mesa…
Preciso separar dos meus,
Pois olhos são estados,

Dois p’las minhas contas,
E eu a olhar procurando
Explicar o que vejo a quem
Quer quer seja

Mais olhos que boca ou tenha
Sentimentos vulgares,
De farsa ou
Habilidade de acrobata,

Cor de rocha, rosto meu …

Jorge Santos (Fevereiro 2022)

https://namastibet.wordpress.com

http://namastibetpoems.blogspot.com

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Espírito de andante ... 37 174 05/26/2022 - 16:07 Português
Poesia/Geral Feliz como poucos … 3 880 03/24/2022 - 13:15 Português
Poesia/Geral Nada, fora o novo ... 17 184 03/19/2022 - 21:01 Português
Poesia/Geral A tenaz negação do eu, 8 501 03/19/2022 - 20:58 Português
Poesia/Geral Nunca tive facilidade de 29 201 03/11/2022 - 18:20 Português
Poesia/Geral Tudo em mim, 13 216 02/25/2022 - 18:40 Português
Poesia/Geral E eu deixei meus olhos 12 232 02/25/2022 - 18:40 Português
Poesia/Geral Meu instinto é dado pelos dedos mindinhos 22 228 02/25/2022 - 18:39 Português
Ministério da Poesia/Geral Sem nada … 17 813 02/19/2022 - 16:18 Português
Poesia/Geral Até que mais seja 33 236 02/17/2022 - 11:28 Português
Poesia/Geral Send'a própria imagem minha, Continuo'a ser eu ess’outro … 18 187 01/21/2022 - 19:07 Português
Poesia/Geral Perfeitos no amor e no pranto … 46 214 01/20/2022 - 23:04 Português
Ministério da Poesia/Geral O facto de respirar … 43 412 01/19/2022 - 21:36 Português
Poesia/Geral Não me substituam a realidade 36 177 01/15/2022 - 10:31 Português
Ministério da Poesia/Geral Sou tudo quanto dou e devo ... 18 346 01/04/2022 - 19:16 Português
Poesia/Geral Cada um de todos nós é todo'mundo, 31 456 12/11/2021 - 21:10 Português
Poesia/Geral Sou minha própria imagem, 2 541 07/01/2021 - 12:50 Português
Poesia/Geral Há um vão à minha espera 2 508 07/01/2021 - 12:50 Português
Poesia/Geral leve 4 2.323 06/28/2021 - 15:39 Português
Poesia/Geral Deus Ex-Machina, “Anima Vili” ... 1 1.120 06/24/2021 - 11:38 Português
Poesia/Geral Da significação aos sonhos ... 1 1.010 06/22/2021 - 10:01 Português
Ministério da Poesia/Geral Sonho sem fim, nem fundo ... 1 1.029 06/21/2021 - 16:27 Português
Ministério da Poesia/Geral Absurdo e Sem-Fim… 1 1.474 06/21/2021 - 16:26 Português
Ministério da Poesia/Geral A Rua ao meu lado ou O Valor do riso... 1 1.425 06/21/2021 - 16:25 Português
Ministério da Poesia/Geral Rua dos Douradores 30 ... 1 1.134 06/21/2021 - 16:25 Português