CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Ou você se cala oh você se - ode

 (Tão só e apenas, uma ode de intervenção...)

“Cala-te!”, ouves pronunciar desde a primeira hora, mal acabas de chegar a este mundo e, embora de inicio não te o digam talvez por seres demasiado jovem e inocente e não poderes compreender, na certa que o proferem mentalmente naquelas noites de choro em que não deixas ninguém descansar
– estranha forma de agir daqueles que também vivem sem levantar a voz para os seus opressores.

Mas depois que começam a mandar-te calar, cada vez surgem mais pessoas a fazê-lo e tu começas a fundir as lágrimas com as emoções acumuladas no íntimo, de tal modo que nunca a chegas a saborear devidamente os instantes de alegria, que nascem esporadicamente e logo sucumbem, naufragados nos abismos da inútil esterilidade.

E vais-te calando a todas as investidas de uma auto intitulada “sociedade evoluída”, impostas como verdades absolutas, como se cada ser humano não fosse ele próprio único e inimitável e, por isso mesmo, merecedor de uma atenção específica.

Calas-te para poderes assimilar a importância da disciplina;

Calas-te e segues as regras da sadia convivência de mais uma serviçal ovelha;

Calas-te ante a disparidade entre a dimensão dos direitos e dos deveres;

Calas-te por ser essa a doutrina seguida pelos teus antecessores;

Calas-te mesmo que a sociedade caminhe para o retorno à escravatura;

Calas-te mesmo quando observas os atropelos que os teus semelhantes sofrem;

Calas-te mesmo que apertem em exclusivo os teus calos…

Talvez nesse instante não te contenhas e acabes por gritar, mesmo que interiormente;

Talvez até descarregues essa fúria acumulada em cima algum companheiro de infortúnio, ainda mais subserviente que tu;

Talvez a tua voz venha finalmente a ser ouvida e ganhes os teus três minutos de audiência, mas apenas como um exemplo de grande inimigo da sociedade
– os bodes expiatórios são sempre convenientes aos senhores do mundo.

Poderás então falar e fazer ouvir a tua voz, mas quanto mais o fizeres, mais te irás enterrar no lodo de inimagináveis manipulações.
E quando te amordaçarem de vez, ficarás como um exemplo a nunca seguir e, mais que uns minutos de fama, ficarás para a história como um traidor da tua própria espécie.

Entretanto terás tempo para rever o teu percurso e, apesar de seguro das tuas razões, sobrarão nebulosas dúvidas para flagelar o teu espírito…

Quem segue o rebanho, há-de achar que o silêncio nunca será dourado, mas lá vai sobrevivendo
– se é que isso é viver?!...

Quem levanta a sua revolta e ousa fazer ouvir a voz, pode interrogar-se qual teria sido o momento mais adequado para falar
– se é que esse momento existe?!...

Quem fala por falar, procurando tendenciosamente agradar a todos, apenas falta ao respeito àquilo que representam as palavras
– se é que os bobos da corte algum vez fizeram sentido?!...

Seja qual for o trilho seguido, parece claro que você – vulgar ser humano – estará sempre condenado a cair num labirinto sem qualquer escapatória e - quer na subserviência, quer na revolta - o seu infortunado destino ficará definitivamente selado.

12.01.2013, Henricabilio

Submited by

terça-feira, janeiro 22, 2013 - 21:51

Poesia :

No votes yet

Henricabilio

imagem de Henricabilio
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 6 anos 9 semanas
Membro desde: 03/15/2012
Conteúdos:
Pontos: 1480

Comentários

imagem de Adolfo

Charada?!??

E se eu te disse que praticamente estou sem palavras, terás previsto onde neste meio me encaixo?

imagem de Henricabilio

100 palavras...

Ficaste sem palavras?!...
Encaro isso como um elogio
(ou não será?!)

rss

Grato pela presença!

_Abilio

imagem de Adolfo

Até cem elogios... ou sem!

Até cem elogios... ou sem! (riso)

Sempre por aqui ;)

imagem de Maria Letra

CALAR

Calar amordaça sentimentos, mas também pode reflectir uma ordem dada pelo nosso bom senso. Pessoalmente, gosto de praticar o silêncio, para dar espaço a períodos de reflexão.
Revi-me em muito do que escreveu. Gostei.

Um abraço amigo.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henricabilio

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Meditação Nem sempre existe Poesia em ti... 25 1.323 12/13/2019 - 16:57 Português
Poesia/Dedicado DEDICATÓRIA: TU QUE VIAJAS COMIGO. 4 630 02/27/2018 - 11:42 Português
Poesia/Desilusão Pesadelo número três 1 636 06/04/2013 - 10:50 Português
Poesia/Fantasia POEMA ESCRITO ENQUANTO DORMIA 3 766 03/25/2013 - 22:49 Português
Poesia/Pensamentos criArte: Autores versus Leitores 1 765 02/07/2013 - 02:49 Português
Poesia/Intervenção Ou você se cala oh você se - ode 4 654 01/28/2013 - 20:10 Português
Poesia/Meditação Uma árvore tem sempre esperança 1 683 12/09/2012 - 17:19 Português
Poesia/Meditação Absurdos existenciAis 3 949 11/30/2012 - 00:11 Português
Poesia/Intervenção Poema por linhas tortas 3 926 11/21/2012 - 15:38 Português
Prosas/Ficção Cientifica CONTACTO ALIENÍGENA - No tempo em que os homens falavam 6 1.908 11/16/2012 - 18:03 Português
Prosas/Ficção Cientifica CONTACTO ALIENÍGENA - A MORTE QUE VEIO DO ESPAÇO 1 881 11/08/2012 - 21:08 Português
Poesia/Meditação Testamento poÉtico 2 692 10/13/2012 - 23:40 Português
Poesia/Amizade Dar à palavra o sentimento 3 579 09/25/2012 - 21:14 Português
Poesia/Alegria À pedra no meio do caminho 6 734 09/16/2012 - 18:28 Português
Poesia/Meditação Poema Big Bang 3 1.657 08/21/2012 - 23:29 Português
Prosas/Ficção Cientifica CONTACTO ALIENÍGENA - AOS OLHOS DE QUEM VÊ... 3 4.439 08/11/2012 - 23:40 Português
Prosas/Ficção Cientifica CONTACTO ALIENÍGENA - A GAIOLA 2 3.974 08/11/2012 - 23:20 Português
Ministério da Poesia/Geral VAMOS FAZER UM HAIKAI?!... 5 897 08/11/2012 - 23:16 Português
Poesia/Poetrix 7 jogos de palavras em 7 poetrix 8 1.013 07/16/2012 - 09:47 Português
Prosas/Mistério COM UM ÚNICO TIRO... (Microconto) 5 698 07/08/2012 - 01:04 Português
Poesia/Alegria Um poema breve, muito breve 15 916 07/05/2012 - 23:28 Português
Poesia/Meditação PEÇO PERDÃO 12 784 06/23/2012 - 17:36 Português
Poesia/Meditação Novo Poema ao Espelho|ohlepsE 4 856 06/22/2012 - 22:04 Português
Poesia/Geral Criatividade versus censura 8 894 06/10/2012 - 23:10 Português
Ministério da Poesia/Meditação As nascentes das ideias 5 865 05/28/2012 - 22:51 Português