CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Poema por linhas tortas

“Nunca conheci quem tivesse levado porrada.
Todos os meus conhecidos têm sido campeões em tudo.”
in “Poema em linha recta” (Fernando Pessoa” como Álvaro de Campos)

* * *

Eu, que nunca consigo sequer decorar nem uma quadra, por mais melodiosa que seja;
Eu, que nunca sei quem escreveu este ou aquele texto, por muito que ele me diga;
Eu, que chego a confundir autores com personagens e realidade com ficção, com uma absurda e patética simplicidade...

Contudo na vida real, tento olhar sempre o homem comum com a maior das condescendências e nunca encaro os políticos como homens especiais, por mais alto que o seu ego os eleve...

Sim: Não existe mais espaço nas passerelles da vaidade para o desfile de super-heróis que o planeta tem parido mecanicamente e que tanto se enaltecem reciprocamente!

Mas “super” para quê se pelos vistos já nem sequer existem vilões?!...
(No entanto, se for conveniente surgir um qualquer vilão para justificar alguma guerra, logo ele nasce como que por artes mágicas.)

Levando em linha de conta o que os super-heróis apregoam, ninguém promoveu o despesismo, nem a corrupção, nem o desperdício, nem a miséria, nem a fome, nem o desespero das pessoas – tudo não passa de mais uma criação espontânea.

Sim, Fernando Pessoa!...
Foste um visionário e a humanidade caiu clamorosamente no submundo da hipocrisia: Hoje como no teu tempo, continua a não existir quem tenha levado porrada, nem feito atos ridículos.

Além disso, também os meus conhecidos e não conhecidos de hoje são campeões em tudo e mais alguma coisa que se possa imaginar.

E percebendo estas verdades, sinto-me ainda mais sujo e miserável – não porque esteja sem banho ou passe excessivamente mal, mas porque sou mais um na multidão a permitir que estes tais "heróis" continuem a parasitar o desprotegido rebanho e que a minha espada nunca tenha verdadeiramente cortado em linha reta nos fantasmas da consciência.

Mas eu, não sou visionário e muito menos corajoso, daqueles valentes das lendas, que derrotavam a vilania assim que ela pensava sequer em colocar a cabeça fora do covil das piores intenções.

Eu, sou apenas um semeador de palavras envergonhadas, que vai tentando harmonizar umas quantas emoções avulsas que sucumbem a maioria das vezes ainda antes de nascerem.

E o planeta continua cada vez mais assente em linhas tortas, sem que exista alguém julgado e condenado por qualquer vil ação...

Iniciado em 27.02.2012,
Concluído em 15.11.2012.
Henricabilio

Nota: Para melhor entendimento da interação, recomendo a (re)leitura do "Poema em linha recta" de Fernando Pessoa

Submited by

quinta-feira, novembro 15, 2012 - 21:29

Poesia :

Your rating: None (2 votes)

Henricabilio

imagem de Henricabilio
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 6 anos 9 semanas
Membro desde: 03/15/2012
Conteúdos:
Pontos: 1480

Comentários

imagem de Maria Letra

POEMA POR LINHAS TORTAS

Retive a minha leitura um pouco mais tempo nesta sua percepção:
"E percebendo estas verdades, sinto-me ainda mais sujo e miserável – não porque esteja sem banho ou passe excessivamente mal, mas porque sou mais um na multidão a permitir que estes tais "heróis" continuem a parasitar o desprotegido rebanho e que a minha espada nunca tenha verdadeiramente cortado em linha reta nos fantasmas da consciência."
Eu também faço parte dessa multidão que permite heróis a parasitar. Temos que esperar que alguém mais adira ao nosso número, Henricabilio, até que estes nossos lamentos mudem a situação. Mas a barra é muito pesada, porque os "heróis" são muitos... e a nós falta, ainda, o milagre de sermos superissomesmo! Mas lá iremos!

imagem de Odete Ferreira

Parabéns,

Parabéns, meu amigo, por este texto.

Subscrevo os comentários dos amigos Docarmo e Sofia...

Bjo :)

imagem de Docarmo

O tal poema por linhas tortas

Hoje, efectivamente não há heróis mas filhos da mãe a lixarem as nossas vidas, lá isso existe e de que maneira! Os heróis reformaram-se e outros estão velhinhos e já não podem com as galáticas espadas para bramir e abrir caminhos nas veredas da selva civilizacional em que nos encontramos. Então: é fartar vilanagem! levamos porrada de todos os lados até ao momento em que nos vão roer os ossos porque os abutres também querem o seu quinhão. É o que se diz "estamos entregues à bicharada" porque já não há heróis e o nosso "sebastianismo" continua atavicamente no nosso ADN. Assim vamos vendo passar a banda comodamente no sofá a ver passar a tal banda de imbecis e incompetentes armados em heróis. Por isso eu digo - palavra de ordem - "Velhos de Todo o Mundo- Uni-vos"

Gostei de ler-te, amigo
Um abraço
Docarmo

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henricabilio

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Meditação Nem sempre existe Poesia em ti... 25 1.323 12/13/2019 - 16:57 Português
Poesia/Dedicado DEDICATÓRIA: TU QUE VIAJAS COMIGO. 4 632 02/27/2018 - 11:42 Português
Poesia/Desilusão Pesadelo número três 1 638 06/04/2013 - 10:50 Português
Poesia/Fantasia POEMA ESCRITO ENQUANTO DORMIA 3 767 03/25/2013 - 22:49 Português
Poesia/Pensamentos criArte: Autores versus Leitores 1 766 02/07/2013 - 02:49 Português
Poesia/Intervenção Ou você se cala oh você se - ode 4 655 01/28/2013 - 20:10 Português
Poesia/Meditação Uma árvore tem sempre esperança 1 686 12/09/2012 - 17:19 Português
Poesia/Meditação Absurdos existenciAis 3 950 11/30/2012 - 00:11 Português
Poesia/Intervenção Poema por linhas tortas 3 927 11/21/2012 - 15:38 Português
Prosas/Ficção Cientifica CONTACTO ALIENÍGENA - No tempo em que os homens falavam 6 1.908 11/16/2012 - 18:03 Português
Prosas/Ficção Cientifica CONTACTO ALIENÍGENA - A MORTE QUE VEIO DO ESPAÇO 1 882 11/08/2012 - 21:08 Português
Poesia/Meditação Testamento poÉtico 2 692 10/13/2012 - 23:40 Português
Poesia/Amizade Dar à palavra o sentimento 3 580 09/25/2012 - 21:14 Português
Poesia/Alegria À pedra no meio do caminho 6 736 09/16/2012 - 18:28 Português
Poesia/Meditação Poema Big Bang 3 1.660 08/21/2012 - 23:29 Português
Prosas/Ficção Cientifica CONTACTO ALIENÍGENA - AOS OLHOS DE QUEM VÊ... 3 4.439 08/11/2012 - 23:40 Português
Prosas/Ficção Cientifica CONTACTO ALIENÍGENA - A GAIOLA 2 3.974 08/11/2012 - 23:20 Português
Ministério da Poesia/Geral VAMOS FAZER UM HAIKAI?!... 5 898 08/11/2012 - 23:16 Português
Poesia/Poetrix 7 jogos de palavras em 7 poetrix 8 1.014 07/16/2012 - 09:47 Português
Prosas/Mistério COM UM ÚNICO TIRO... (Microconto) 5 700 07/08/2012 - 01:04 Português
Poesia/Alegria Um poema breve, muito breve 15 916 07/05/2012 - 23:28 Português
Poesia/Meditação PEÇO PERDÃO 12 786 06/23/2012 - 17:36 Português
Poesia/Meditação Novo Poema ao Espelho|ohlepsE 4 856 06/22/2012 - 22:04 Português
Poesia/Geral Criatividade versus censura 8 895 06/10/2012 - 23:10 Português
Ministério da Poesia/Meditação As nascentes das ideias 5 866 05/28/2012 - 22:51 Português