CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

VAMOS FAZER UM HAIKAI?!...

* * *
“A friagem de uma manhã fria, o calor de um dia quente, a lisura de uma pedra, a brancura de uma gaivota, a lonjura das montanhas distantes, a pequenez de uma florzinha, a humidade de uma estação chuvosa – tudo isso é motivo para um haicai”.
R.H.Blyth
***

O Haiku é conhecido no ocidente por Haikai ou Haicai e é um género poético nascido no Japão, a partir de um outro género: o Tanka.
Enquanto o Tanka é constituído por duas estrofes (três mais dois versos), o Haicai possui apenas uma estrofe de três versos. Em qualquer dos estilos existem regras métricas obrigatórias: O Tanka em formato 5-7-5 / 7-7 (ou seja, 31 sílabas poéticas) e o Haikai em 5-7-5 (ou seja, 17 sílabas poéticas).

O Haicai foi praticado, incentivado e expandido graças à sensibilidade do mestre Matsuo Basho, que chegou a ter milhares de discípulos.
Dizia ele: “Não Importa a idade que se tenha, pois é a criança que existe em cada um de nós, que sabe ler, entender e escrever o Haicai”.

Primavera à noite:
Belas cerejas! Para elas
Aurora desponta!
(Adaptação de um haicai de Matsuo Basho)

O Haicai tem a particularidade de não admitir título – os poemas devem ser numerados para melhor identificação – e também não admite rimas.
Deve descrever algo que está ao alcance do olhar de qualquer um – como se de uma foto da Natureza se tratasse – mas que apenas o autor consegue apreender e colocar no poema. Tal pormenor condiciona a que seja apenas o tempo presente aquele que nos importa.

Haicai não despreza o humor, mas deve evitar-se a piada gratuita e a cacofonia.
Há que valorizar também os contrastes da luz e das sombras, das cores, dos sons, que por si só identifiquem a Estação do ano ou “kigo”.

Para lá da rocha,
A sombra projecta Paz…
As cabras refrescam-se. (Henricabilio)

Neste Haicai existem vários elementos da Natureza: A rocha; as cabras que buscam a sombra dessa rocha; Por outro lado, a sombra é um sinónimo de Paz – um refúgio do calor ardente – que nos leva a assumir o Verão como a Estação eleita.
Além disso deve observar-se as sílabas de cada verso do haikai, no formato 5-7-5:
Pa-1, ra-2, lá-3, da-4, ro-5 (cha)
A-1, som-2, bra-3, pro-4, jec-5, ta-6, Paz-7
As-1, ca-2, bras-3, re-4, fres-5 (cam-se)]

Deve utilizar-se palavras simples e de uso comum para mais fácil compreensão e evitar as metáforas, tão importantes na restante poesia; além do mais, o Haicai é quase exclusivamente intuitivo e pouco tem de intelectual.

Existem ainda temas considerados inadequados, como religião, política, crimes, sexo, doenças, sentimentalismo vazio, etc. Não é próprio do Haikai usar qualquer tipo de rimas, embora alguns autores as utilizem, em versões mais liberais do Haicai.

Evite falar na primeira pessoa do singular o que equivale por dizer que descrevendo ou não um acontecimento observado pelo autor, o mesmo deve ser apresentado de uma forma que qualquer leitor se sinta identificado com o instantâneo.

Deve ser o mais descritivo possível, servindo-se do seu poder de síntese para tentar que fique eternizado esse momento no tempo.

No Brasil, Helena Kolody, filha de imigrantes ucranianos, foi dos primeiros poetas a cultivar o Haicai, tendo por esse facto sido muito criticada, uma vez que à primeira vista é uma poesia muito simples e de versos brancos e curtos. Mas há que saber encontrar a profundidade dos sentimentos na subtileza das palavras.
Dizia ela: “Poesia é transfiguração da realidade em beleza, pela magia das palavras:”

De grinalda branca,
Toda vestida de luar,
A pereira sonha. (Helena Kolody)

[Repare na candura poética utilizada para exprimir admiração pela beleza da árvore florida, a ponto de ser equiparada a uma noiva. Esse encantamento é transportado do autor para a árvore, com o verso final “A pereira sonha” e, por isso mesmo, a Estação assumida é a Primavera.]

O autor que tenciona escrever Haicais, deve recorrer ao seu sentido poético e observar a Natureza sob novas perspectivas e assim mostrar ao mundo as maravilhas que todos estão a perder por não valorizarem os nadas que muito significam.

O Haicai aí está, com a graciosidade das palavras pequenas, que florescem nos corações grandiosos!

Para finalizar este pequeno estudo, deixo três Haicais da minha autoria:

I
Um pássaro canta!...
A fêmea embala os ovos…
Geração feliz!

II
Luar de canícula,
Ilumina o nobre rio.
Rumor cristalino!

III
O sol na alvorada
Manda a noite para a cama…
Orvalho transpira!

13.03.2011, Henricabilio

Submited by

sexta-feira, julho 13, 2012 - 23:21

Ministério da Poesia :

Your rating: None Average: 5 (2 votes)

Henricabilio

imagem de Henricabilio
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 6 anos 10 semanas
Membro desde: 03/15/2012
Conteúdos:
Pontos: 1480

Comentários

imagem de Karlinha Cunha

(:

Gostei, ensinamentos..

imagem de Henricabilio

para quem ama a peosia, uma

para quem ama a peosia,
uma viagem que vale a pena,

Saudações!

Abilio

imagem de Rafael Neves

Muito educativo da tua parte

Muito educativo da tua parte Abilio. Obrigado pela lição. Amanhã vou acordar e passear pela serra para inspirar os meus haikai

imagem de Henricabilio

Haikai

Este é o tipo de texto que deveria ser mais lido
por aqueles que apreciam literatura...

Lamento que tal não aconteça.

Grato pela presença!

Abilio

imagem de Adolfo

((:

...que (pensam que) apreciam literatura...

Muito verdade. Até porque, concordando com a forma como tu pensas, caro Abilío, é como outra vez disse um amigo meu, Haru (que já não posta por aqui há um bom tempo, falando nele...): para escrever um soneto é preciso estudo pra c**alho! rsrs

Até mais! Logo torno a comentar algo mais sobre este texto também.

Abraço,

Adolfo.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henricabilio

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Meditação Nem sempre existe Poesia em ti... 25 1.326 12/13/2019 - 16:57 Português
Poesia/Dedicado DEDICATÓRIA: TU QUE VIAJAS COMIGO. 4 634 02/27/2018 - 11:42 Português
Poesia/Desilusão Pesadelo número três 1 640 06/04/2013 - 10:50 Português
Poesia/Fantasia POEMA ESCRITO ENQUANTO DORMIA 3 769 03/25/2013 - 22:49 Português
Poesia/Pensamentos criArte: Autores versus Leitores 1 766 02/07/2013 - 02:49 Português
Poesia/Intervenção Ou você se cala oh você se - ode 4 656 01/28/2013 - 20:10 Português
Poesia/Meditação Uma árvore tem sempre esperança 1 690 12/09/2012 - 17:19 Português
Poesia/Meditação Absurdos existenciAis 3 951 11/30/2012 - 00:11 Português
Poesia/Intervenção Poema por linhas tortas 3 930 11/21/2012 - 15:38 Português
Prosas/Ficção Cientifica CONTACTO ALIENÍGENA - No tempo em que os homens falavam 6 1.914 11/16/2012 - 18:03 Português
Prosas/Ficção Cientifica CONTACTO ALIENÍGENA - A MORTE QUE VEIO DO ESPAÇO 1 885 11/08/2012 - 21:08 Português
Poesia/Meditação Testamento poÉtico 2 697 10/13/2012 - 23:40 Português
Poesia/Amizade Dar à palavra o sentimento 3 582 09/25/2012 - 21:14 Português
Poesia/Alegria À pedra no meio do caminho 6 738 09/16/2012 - 18:28 Português
Poesia/Meditação Poema Big Bang 3 1.666 08/21/2012 - 23:29 Português
Prosas/Ficção Cientifica CONTACTO ALIENÍGENA - AOS OLHOS DE QUEM VÊ... 3 4.440 08/11/2012 - 23:40 Português
Prosas/Ficção Cientifica CONTACTO ALIENÍGENA - A GAIOLA 2 3.976 08/11/2012 - 23:20 Português
Ministério da Poesia/Geral VAMOS FAZER UM HAIKAI?!... 5 900 08/11/2012 - 23:16 Português
Poesia/Poetrix 7 jogos de palavras em 7 poetrix 8 1.018 07/16/2012 - 09:47 Português
Prosas/Mistério COM UM ÚNICO TIRO... (Microconto) 5 702 07/08/2012 - 01:04 Português
Poesia/Alegria Um poema breve, muito breve 15 917 07/05/2012 - 23:28 Português
Poesia/Meditação PEÇO PERDÃO 12 788 06/23/2012 - 17:36 Português
Poesia/Meditação Novo Poema ao Espelho|ohlepsE 4 858 06/22/2012 - 22:04 Português
Poesia/Geral Criatividade versus censura 8 897 06/10/2012 - 23:10 Português
Ministério da Poesia/Meditação As nascentes das ideias 5 867 05/28/2012 - 22:51 Português