CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Quanto tempo...

Quão poucos olhos para tanta beleza!
Quanta morte cinza para tão pouca natureza!

Quão poucas mãos para tanto a fazer!
Quanto trabalho para tão pouco lazer!

Quão poucas pernas para tantos lugares!
Quantos podres pulmões para tão poucos ares!

Quão pouca coragem para tanto a conquistar!
Quantos escravos para tão poucos a mandar!

Quão pouca magia para tanta verdade!
Quanta maldade para tão pouca bondade!

Quão pouca vontade para tanto a realizar!
Quanto empenho para tão pouco se ajudar!

Quão pouca curiosidade para tanto a aprender!
Quão poucos ouvidos para tantos sons!

Quão poucas palavras para tanto a expressar!
Quão pouco dinheiro para tanta fome matar!

Quanto dinheiro para tão pouco se ajudar!
Quanto comodismo para tão pouca certeza!

Quantos altares para tão pouca fé!
Quão pouca vida para tanto a amar!

[size=xx-small][font=Courier]Vejam também os meus outros textos, comentem, ficarei feliz em receber comentários.[/font][/size]

Submited by

quinta-feira, junho 3, 2010 - 02:41

Poesia :

Your rating: None (2 votes)

MaynardoAlves

imagem de MaynardoAlves
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 9 semanas 5 dias
Membro desde: 05/02/2010
Conteúdos:
Pontos: 596

Comentários

imagem de MaynardoAlves

Quanto tempo...

Reflexões sobre a grandeza da vida e do mundo e sobre a finitude e irrelevância do ser humano diante do universo.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of MaynardoAlves

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Aforismo O vinhedo universal 0 351 05/07/2019 - 15:59 Português
Poesia/Meditação Metamorfose filosófica: bênção ou maldição? 1 357 12/03/2018 - 15:23 Português
Poesia/Intervenção Aos vivos que ficam ou Epitáfio II 1 489 10/09/2018 - 12:41 Português
Poesia/Geral Meu pequeno depoimento em prol do ateísmo 0 499 09/26/2018 - 00:17 Português
Poesia/Geral Revolucionário... revolucionário!? 1 457 09/25/2018 - 17:12 Português
Prosas/Outros Meu pequeno depoimento em prol do ateísmo 0 536 09/19/2018 - 19:13 Português
Poesia/Meditação O legado de um filósofo 1 399 09/17/2018 - 19:45 Português
Poesia/Intervenção Os novos mandamentos (ou melhor, conselhos) 1 558 08/28/2018 - 23:53 Português
Poesia/Fantasia O jardim de Epicuro 1 596 08/22/2018 - 16:14 Português
Poesia/Tristeza Em (des)construção 1 472 08/10/2018 - 14:46 Português
Poesia/Tristeza Máquina do tempo 1 502 08/08/2018 - 16:28 Português
Poesia/Tristeza Valores familiares 1 600 08/08/2018 - 16:21 Português
Poesia/Pensamentos Um lugar para chamar de seu 1 577 08/08/2018 - 16:14 Português
Poesia/Meditação Humilde-se! 1 588 05/21/2018 - 11:41 Português
Poesia/Tristeza Um inferno (para um poeta) 1 707 05/21/2018 - 11:34 Português
Prosas/Outros Onde? 2 526 03/08/2018 - 17:41 Português
Poesia/Comédia Meu amigo ócio 4 556 03/06/2018 - 15:20 Português
Poesia/Geral Promessas para uma vida nova 2 678 03/05/2018 - 20:09 Português
Poesia/Meditação Se Deus existisse... 4 641 03/05/2018 - 19:56 Português
Poesia/Intervenção Onde? 18 851 01/03/2018 - 18:28 Português
Poesia/Meditação Um instante infinito 1 666 11/17/2017 - 14:00 Português
Poesia/Desilusão Ainda no exílio (desde os dias de Gonçalves Dias) 1 618 11/08/2017 - 11:38 Português
Poesia/Canção Sem título (por luto) 1 630 10/27/2017 - 14:34 Português
Poesia/Geral Mensagem 1 628 03/27/2017 - 13:50 Português
Poesia/Aforismo O exagero de Sócrates 0 524 10/14/2016 - 19:50 Português