CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Rosa Em Azul

Rosa Em Azul

Meus olhos, bem fora das linhas do meu corpo
Eles sentem na íris o meu invisível sangue claro,
A frágil e doce verdade que repousa no colo do meu escopo,
A ferida bela que derrama nos escombros do oceano,
E o que todos vêem é o ego camuflado no vidro do meu copo,
A ilusória aparência transparente do céu em primeiro plano.

Amanheço e estou azul, sempre nunca o sendo.
Só respiro a fatídica distorção de não me ter em mim,
A dissonância de ser o pôr-do-sol num meio-dia de Verão
E por isso bebo o esquecer do vinho do qual estou a fim
Na esperança de adormecer silhueta simétrica da minha emoção.

Tão longe de estar perto por estar tão próximo da tua distância
É suficiente um ténue toque para saber onde jaz a minha rosa raiz.
Trespassas-me, serena flor de pigmento vivo que me traça em ânsia
E desespero na esfera da espera da tela em que circula o teu verniz
Enquanto flamejo o bafo gélido do engano divino de nascer discordância.

Recordar uma lenda, o desencontro fatal de um lobo e de um falcão,
A aliança do dia e da noite separada por género e tom de prosa.
Como em mim, o amor entre a física e a química num só alçapão,
No escuro difuso, os “meus” dedos azuis mergulhados num coração rosa,
Sobreposto a um eclipse, o impressionismo a despir-me de Platão.

E se somos duas marionetas de paradigmas que nós próprios criámos
Deixem-me ainda assim despertar na máscara da minha natureza.
Entrelaçados, o vermelho nos lençóis brancos em que nos fundámos,
Unhas da mesma árvore, glaciares ardentes num trecho mútuo de subtileza,
Não mais opostos iguais, um espelho recíproco da tez em que nos casámos.

Talvez seja uma planta de muitas lágrimas numa carne de poucas palavras,
A sensibilidade sublime que na física mente a química que deveras sente,
Ou o mero fingimento de um papel que à realidade congelada entreguei.
Vem, dilúculo supremo e faz perecer a heterocromia com que encaro o meu poente.
E no poslúdio, como musa, entrelaço os suaves fios de novelo em que me viciei
Até que vejo, sob o labirinto dos meus longos cabelos, um lago narcisista de outra cor.

(28-10-2012)

Submited by

domingo, outubro 28, 2012 - 20:22

Poesia :

No votes yet

Fran Silveira

imagem de Fran Silveira
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 22 semanas 2 dias
Membro desde: 09/29/2012
Conteúdos:
Pontos: 152

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Fran Silveira

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos Como Voltar Um Lugar A Mim? 0 239 12/28/2018 - 21:00 Português
Poesia/Meditação Horror Ao Vazio 0 283 05/08/2018 - 05:18 Português
Poesia/Comédia Super-Pouco (Dêem-me Um Pouco De Atenção, Por Favor, Se Faz Favor) 0 317 03/14/2017 - 23:07 Português
Poesia/Paixão Adoração 0 310 02/25/2017 - 12:48 Português
Poesia/Pensamentos (Turquesa '98) 0 357 12/29/2016 - 07:09 Português
Poesia/Fantasia Avelãs & Libélulas 1 215 12/08/2016 - 13:53 Português
Poesia/Amor Ganchos 0 331 10/26/2015 - 03:13 Português
Poesia/Fantasia (En)Canto Do Cisne Laranja 0 475 11/23/2013 - 02:57 Português
Poesia/Paixão 14 0 417 11/11/2013 - 01:12 Português
Poesia/Paixão Quimono Circunflexo 0 493 11/01/2013 - 03:28 Português
Prosas/Pensamentos Espiral 0 463 08/16/2013 - 01:44 Português
Prosas/Pensamentos Ecrã 0 487 08/15/2013 - 20:42 Português
Poesia/Fantasia Alba Atroz / Panda Crónico 0 419 07/31/2013 - 23:50 Português
Prosas/Pensamentos Transcorrer 0 448 02/11/2013 - 00:31 Português
Prosas/Outros Manifesto Depurista 0 352 02/09/2013 - 17:29 Português
Poesia/Pensamentos Memento Mori 0 485 11/29/2012 - 04:25 Português
Poesia/Pensamentos Rosa Em Azul 0 409 10/28/2012 - 20:22 Português
Poesia/Pensamentos Lanterna De Papel 3 536 10/15/2012 - 22:41 Português
Poesia/Pensamentos Anos De Chocolate 1 423 10/06/2012 - 16:17 Português
Poesia/Pensamentos Palavra Puxa Silêncio 0 304 10/06/2012 - 15:13 Português
Poesia/Fantasia Última Noite Na Ponte Dos Sonhos 0 391 10/04/2012 - 14:57 Português
Poesia/Paixão Reacção À Química 0 392 10/04/2012 - 14:54 Português
Poesia/Desilusão Enfado-me Deste Fado / Epopeia Do Fracasso 0 602 10/04/2012 - 14:44 Português
Poesia/Tristeza Catalisa Dor 0 371 10/01/2012 - 01:52 Português
Poesia/Pensamentos 1993-2008; 2011-? 0 429 10/01/2012 - 01:50 Português