CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

(En)Canto Do Cisne Laranja

(En)Canto Do Cisne Laranja

Saída à francesa da dor doce de crescer
Tal como a vivi numa febre contida,
Um preto e branco a que falhei o exterior.
Deixa a Cinderela chegar a este bairro nenhum
E o gume que não amei nega-me em retrovisor.

Sou uma miúda trágica entre plátanos suburbanos
Com olhos a cortar cebola no arrebol secundário.
Algo digno, tudo o é na lava nostálgica dos danos.
Quantos que não conheci, tanto que não senti
No cenário emocional de beber ilusão de onde parti.

Melodrama, ou a melodia que invento na trama
De tempos de sonhos cujo mero sonhar era revigorar.
Já sete palmos de terra sobre sacos de plástico no ar,
Quando todos um procedural e daí cancela na chama.
Anomia, onde vou? Ao ser de ninguém a razão de parar...

Mas vem-me Cinderela e sou porcelana sentimental.
Finco pé no corredor a mitigar o carro desvanecente
Com os sentidos no grande céu tangerina em bandeja
Quando o adeus é uma claque a servir serenamente
O infinito refugiado na despedida aberta que me beija.

Quero dançar com os subúrbios neste asfalto que transpira.
Sem memória ou expectativa à baila no instante defronte. 
Posso ser um veado em slow diante de faróis no horizonte,
Posso morrer um vestido vermelho na estrada que expira
Angústia minha à boleia bela de sorrir o frágil estendido.

Faz-me tu Cinderela, numa assim chamada adolescência.  
Sou tão princesa na rua ruiva de regressar quimera a casa
Da escola ao fim da tarde na luz melancólica em cedência.
Um décimo de segundo, a vida do eu no estado que estou,
Tristeza eufórica na empatia tardia de não ter tédio algum.

Rituais de passagem, por que nunca de paragem?
Pudesse ficar envolto nos braços do momento,
Enredar em culs-de-sac seres sempre em viagem,
Não voltar a ser abóbora num fundo cinzento.

Louco mover, se ao deixar ir sou vazio por inteiro.
Falta-me tanto, aprender a permanecer passageiro
Num mundo que se recusa a ficar enquanto é eterno,
Num modo motel de estilhaçar o corpo moderno.

(23-11-2013)

Submited by

sábado, novembro 23, 2013 - 01:57

Poesia :

No votes yet

Fran Silveira

imagem de Fran Silveira
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 9 semanas 4 dias
Membro desde: 09/29/2012
Conteúdos:
Pontos: 152

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Fran Silveira

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos Como Voltar Um Lugar A Mim? 0 139 12/28/2018 - 20:00 Português
Poesia/Meditação Horror Ao Vazio 0 254 05/08/2018 - 04:18 Português
Poesia/Comédia Super-Pouco (Dêem-me Um Pouco De Atenção, Por Favor, Se Faz Favor) 0 267 03/14/2017 - 22:07 Português
Poesia/Paixão Adoração 0 292 02/25/2017 - 11:48 Português
Poesia/Pensamentos (Turquesa '98) 0 337 12/29/2016 - 06:09 Português
Poesia/Fantasia Avelãs & Libélulas 1 189 12/08/2016 - 12:53 Português
Poesia/Amor Ganchos 0 291 10/26/2015 - 02:13 Português
Poesia/Fantasia (En)Canto Do Cisne Laranja 0 425 11/23/2013 - 01:57 Português
Poesia/Paixão 14 0 397 11/11/2013 - 00:12 Português
Poesia/Paixão Quimono Circunflexo 0 456 11/01/2013 - 02:28 Português
Prosas/Pensamentos Espiral 0 407 08/16/2013 - 00:44 Português
Prosas/Pensamentos Ecrã 0 476 08/15/2013 - 19:42 Português
Poesia/Fantasia Alba Atroz / Panda Crónico 0 399 07/31/2013 - 22:50 Português
Prosas/Pensamentos Transcorrer 0 408 02/10/2013 - 23:31 Português
Prosas/Outros Manifesto Depurista 0 332 02/09/2013 - 16:29 Português
Poesia/Pensamentos Memento Mori 0 438 11/29/2012 - 03:25 Português
Poesia/Pensamentos Rosa Em Azul 0 383 10/28/2012 - 19:22 Português
Poesia/Pensamentos Lanterna De Papel 3 517 10/15/2012 - 21:41 Português
Poesia/Pensamentos Anos De Chocolate 1 388 10/06/2012 - 15:17 Português
Poesia/Pensamentos Palavra Puxa Silêncio 0 281 10/06/2012 - 14:13 Português
Poesia/Fantasia Última Noite Na Ponte Dos Sonhos 0 379 10/04/2012 - 13:57 Português
Poesia/Paixão Reacção À Química 0 353 10/04/2012 - 13:54 Português
Poesia/Desilusão Enfado-me Deste Fado / Epopeia Do Fracasso 0 572 10/04/2012 - 13:44 Português
Poesia/Tristeza Catalisa Dor 0 344 10/01/2012 - 00:52 Português
Poesia/Pensamentos 1993-2008; 2011-? 0 378 10/01/2012 - 00:50 Português