CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Reencontro com a sua estrela

Reencontro com a sua estrela
- Ok, ok, não vale a pena contra argumentar…
Virou-lhe as costas, deixando-o concentrado na conversa animada que iniciara com alguém. Nem sequer sentiu curiosidade em saber quem poderia ser ou que assunto o animava tanto.
Na cozinha finalizou as tarefas que entretanto deixara, para que no dia seguinte o seu almoço fosse decente, em conformidade com as recomendações da sua médica.
Pensativa,dolorosamente pensativa, acusava uma insatisfação que a assustava.. Sempre fora uma pessoa bem disposta, provavelmente passiva em relação a atitudes que a desgostavam, mas relevava. Afinal a vida era tão curta! Que raio, também a sua!!! E daí o susto. Para que reflectia agora mais do que antes?
Como em breves flashes de máquina fotográfica que fixa um momento, um rosto, uma paisagem, assim os impulsos mentais chegavam tão nítidos! O álbum da sua vida abria-se e não conseguia desviar os olhos.
Não conseguia perceber bem o que a incomodava. Desejou ser cirurgiã para delimitar o local que queria intervencionar, limpando-se de incómodos que a tomavam revelando-se numa tristeza vaga.
Estava uma noite estrelada, apercebeu-se. O seu canapé de eleição, chamava-a. Desta vez, não seria para ler. Ele que não pensasse que iria partilhar com ele as palavras que lia em voz alta. Hoje seria uma leitura para dentro dela. Fechou os olhos. O luar deixava perceber uma mulher de traços finos, uma altivez que só olhos especiais perceberiam. Nunca os procurou…
O ar sarcástico do marido sempre a incomodara. Devolvia-lhe um ar brincalhão, brindava-o com um humor ao qual ele não resistia. E passava ao capítulo seguinte. Capitulava, sabia, mas sentia-se bem. Parecia sair vencedora destes conflitos de personalidades. Chegara a sorrir interiormente com estas vitórias! Ele acharia que teria ganho, pois o seu ar de menino ganhador era por demais evidente.
Seguia-se quase sempre um silêncio. Pesado, mas encoberto com os episódios das séries que seguia religiosamente.
Nesse dia, porém, o céu estrelado atraiu-a. Distraidamente fixou uma estrela.Reviu-se nela. Estrela de um palco que um dia fora o seu sonho. Maquinalmente levantou-se, vestiu o vestido que realçava o seu porte, retocou a leve maquilhagem e saiu.
A peça, onde lhe chegaram a augurar um futuro promissor, estava em reposição. Ia reencontrar-se com a sua estrela. Mesmo mortiça, hoje, no seu olhar, estava brilhante e ofuscava o luar…
Odete Ferreira - 10-07-2011

Submited by

segunda-feira, julho 18, 2011 - 00:47

Prosas :

No votes yet

Odete Ferreira

imagem de Odete Ferreira
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 ano 3 semanas
Membro desde: 01/11/2011
Conteúdos:
Pontos: 1924

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odete Ferreira

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Tristeza Entardecer com sabor a despedida 1 1.557 03/15/2018 - 13:59 Português
Poesia/Tristeza Música 1 1.386 03/15/2018 - 13:58 Português
Poesia/Desilusão Apenas mais um dia 1 2.006 03/15/2018 - 13:57 Português
Poesia/Meditação Se a vida fosse sempre assim 1 1.454 03/15/2018 - 13:56 Português
Ministério da Poesia/Fantasia Seres incompletos 3 1.754 03/15/2018 - 13:56 Português
Prosas/Outros No sopé da montanha 1 860 03/08/2018 - 19:01 Português
Poesia/Meditação Tempo(s) 1 1.543 03/08/2018 - 18:43 Português
Poesia/Fantasia Surrealidades 1 1.327 03/08/2018 - 18:42 Português
Poesia/Tristeza Emocão 5 1.769 03/08/2018 - 16:48 Português
Poesia/Dedicado Mulher-Dor 3 977 03/08/2018 - 16:14 Português
Poesia/Intervenção E a festa veste-se em cada madrugada 3 1.603 02/27/2018 - 11:43 Português
Poesia/Meditação À míngua 0 1.415 12/30/2015 - 22:36 Português
Poesia/Intervenção Não invoquem o meu nome em vão 0 1.829 11/25/2015 - 02:18 Português
Prosas/Outros Da alma 0 883 09/01/2015 - 19:58 Português
Poesia/Fantasia Surreal XXVIII 0 1.302 09/01/2015 - 19:29 Português
Poesia/Intervenção Da destemperança 0 2.479 08/26/2015 - 01:35 Português
Poesia/Meditação E no entre-Tanto faço caminho 0 1.663 07/02/2015 - 23:55 Português
Poesia/Meditação E continuamos pequeninos! 0 2.273 06/02/2015 - 20:15 Português
Poesia/Intervenção Nem te renego nem me nego 0 2.035 04/25/2015 - 02:08 Português
Poesia/Dedicado Laudatória 0 1.093 03/24/2015 - 19:03 Português
Poesia/Dedicado És...Mulher 0 1.565 03/08/2015 - 18:53 Português
Poesia/Amor Vida(s) 0 1.438 02/14/2015 - 18:07 Português
Poesia/Amor Moras nos meus sonhos 0 1.632 02/13/2015 - 16:30 Português
Poesia/Dedicado Olhares 0 2.405 01/22/2015 - 01:58 Português
Prosas/Outros Do exato momento da VIragem 0 1.504 12/30/2014 - 14:27 Português