CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

candeias as avessas

A oliveira.

Retorceu-se e revirou-se,

Tinha Consciência do pressagio,

Tão só ficou no monte vazio,

Longe da villa e das gentes,

As terras eram lavouras grandes,

Os campos transformaram-se,

Veio então torcido o vento grosso,

Empurrou-a pelas folhas,

E pelo tronco outrora forte,

Abanou-a como vassoura,

A raiz teimosa gemeu,

Mas não cedeu,

A chuva pesada veio, levou tudo,

Os grandes trigais por ceifar,

E as oliveiras com ela,

A terra ficou mais cinzenta,

E as noites nos lugares de casas,

Mais negros, negros nos rostos

E nos pratos rasos,

Sem mais azeite,

As candeias às avessas,

Com as oliveiras nos montes.

Jorge Santos

Submited by

segunda-feira, dezembro 21, 2009 - 14:02

Ministério da Poesia :

Your rating: None Average: 5 (1 vote)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 semana 9 horas
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 40888

Comentários

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Ministério da Poesia/Geral Sem nada … 0 101 03/31/2021 - 12:35 Português
Poesia/Geral Humano-descendentes 0 126 03/31/2021 - 12:24 Português
Poesia/Geral "Phallu" de Pompeii! 0 157 03/31/2021 - 12:10 Português
Poesia/Geral Confesso-me consciente por dentro … 0 162 03/31/2021 - 10:32 Português
Ministério da Poesia/Geral Deixemos descer à vala, o corpo que em vão nos deram 15 170 02/09/2021 - 09:55 Português
Ministério da Poesia/Geral A desconstrução 38 308 02/06/2021 - 22:18 Português
Ministério da Poesia/Geral Deixai-vos descer à vala, 0 107 02/06/2021 - 21:40 Português
Ministério da Poesia/Geral Permaneço mudo 0 89 02/06/2021 - 21:37 Português
Ministério da Poesia/Geral Os Dias Nossos do Isolamento 0 93 02/06/2021 - 21:35 Português
Poesia/Geral Gostar de estar vivo, dói! 0 77 02/06/2021 - 21:31 Português
Poesia/Geral Apologia das coisas bizarras 0 104 02/06/2021 - 21:29 Português
Poesia/Geral Meus sonhos são “de acordo” ao sonhado, 0 96 02/06/2021 - 21:27 Português
Ministério da Poesia/Geral Na terra onde ninguém me cala 1 95 02/06/2021 - 11:14 Português
Poesia/Geral Esquema gráfico para não sobreviver à morte … 5 141 02/05/2021 - 12:45 Português
Ministério da Poesia/Geral Tiras-me as palavras da boca 1 124 02/03/2021 - 19:31 Português
Ministério da Poesia/Geral A tenaz negação do eu, 1 135 01/25/2021 - 22:40 Português
Poesia/Geral O lugar que não se vê ... 0 141 01/25/2021 - 21:31 Português
Poesia/Geral Minh’alma é uma floresta 0 83 01/25/2021 - 20:58 Português
Ministério da Poesia/Geral Pangeia e a deriva continental 0 164 01/02/2021 - 19:34 Português
Ministério da Poesia/Geral A simbologia dos cimos 0 143 01/02/2021 - 19:23 Português
Ministério da Poesia/Geral Prefiro rosas púrpuras ... 0 86 01/02/2021 - 19:13 Português
Ministério da Poesia/Geral Por um ténue, pálido fio de tule 0 181 01/02/2021 - 18:59 Português
Ministério da Poesia/Geral Me perco em querer 0 134 01/02/2021 - 18:47 Português
Ministério da Poesia/Geral Epistemologia dos Sismos 0 136 01/02/2021 - 18:26 Português
Ministério da Poesia/Geral A sismologia nos símios 0 111 01/02/2021 - 18:11 Português