CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

(Ouçam-me, pra que eu possa…)

Ouçam-me só, para que eu possa…

O que escuto possuí um nó oblíquo como o destino,
Tem vazios e interstícios complexos, ausências,
Prevalece o que puder eu fundear entre as marés,
Amor, saudade ou o que a serenidade existencial

Conseguir não explicar e o que eu escuso,
Apesar de ser segredo, debato-a comigo,
É uma Pérgula d’esguelha com roseiras,
Nem-abertas nem-fechadas, invisível

Da entrada. O que me dói tanto é oblíquo,
Quanto a esfera armilar, do lado onde tudo pende,
É abismo fundo em mar noz, donde parece,
Ninguém vem e onde nem no chão cresce avenca,

Que erre eu o rumo tanto se me dá e ainda assim
Entendo mas não estou errado quando escuto
O preciso momento em que absoluto iniquo
Do meu pensar toca o imo do que sinto,

Se calhar atento, eu escuto a analogia dos erros
Repetidos noutra e noutras dimensões, ironia
Do órgão nativo e sem tempo que dói sem doer,
Mas seduz-me o espreitar pelas frinchas do mundo,

E o enrolar das ondas vela-me aquando a bonança,
Reina e o temporal amaina e me amansa, nasço
Ao destino com alfaias em forma de sinetas
De mil por mil alternáveis movimentos de ir e de vir,

A minha vida cresceu enviusada e em nó,
Ouçam-me só pra que eu possa ouvir
Quem cala e passa, que me diga onde pára
Meu destino, longe amonte e me foge ocioso,

Sem amarra nem mar pra parar,
Onde há-de ele me ir sonhar,
Onde há-de ele me vir sonhar,
(Ouçam-me só, pra que eu possa…)

Jorge Santos (12/2014)

Submited by

sexta-feira, fevereiro 23, 2018 - 18:31

Ministério da Poesia :

Your rating: None Average: 5 (1 vote)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 18 horas 1 minuto
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 40692

Comentários

imagem de Joel

escuto a analogia dos

escuto a analogia dos erros
Repetidos noutra e noutras dimensões, ironia
Do órgão nativo e sem tempo que dói sem doer,
Mas seduz-me o espreitar pelas frinchas do mundo,

E o enrolar das ondas vela-me aquando a bonança,
Reina e o temporal amaina e me amansa

imagem de Joel

escuto a analogia dos

escuto a analogia dos erros
Repetidos noutra e noutras dimensões, ironia
Do órgão nativo e sem tempo que dói sem doer,
Mas seduz-me o espreitar pelas frinchas do mundo,

E o enrolar das ondas vela-me aquando a bonança,
Reina e o temporal amaina e me amansa

imagem de Joel

escuto a analogia dos

escuto a analogia dos erros
Repetidos noutra e noutras dimensões, ironia
Do órgão nativo e sem tempo que dói sem doer,
Mas seduz-me o espreitar pelas frinchas do mundo,

E o enrolar das ondas vela-me aquando a bonança,
Reina e o temporal amaina e me amansa

imagem de Joel

escuto a analogia dos

escuto a analogia dos erros
Repetidos noutra e noutras dimensões, ironia
Do órgão nativo e sem tempo que dói sem doer,
Mas seduz-me o espreitar pelas frinchas do mundo,

E o enrolar das ondas vela-me aquando a bonança,
Reina e o temporal amaina e me amansa

imagem de Joel

escuto a analogia dos

escuto a analogia dos erros
Repetidos noutra e noutras dimensões, ironia
Do órgão nativo e sem tempo que dói sem doer,
Mas seduz-me o espreitar pelas frinchas do mundo,

E o enrolar das ondas vela-me aquando a bonança,
Reina e o temporal amaina e me amansa

imagem de Joel

escuto a analogia dos

escuto a analogia dos erros
Repetidos noutra e noutras dimensões, ironia
Do órgão nativo e sem tempo que dói sem doer,
Mas seduz-me o espreitar pelas frinchas do mundo,

E o enrolar das ondas vela-me aquando a bonança,
Reina e o temporal amaina e me amansa

imagem de Joel

escuto a analogia dos

escuto a analogia dos erros
Repetidos noutra e noutras dimensões, ironia
Do órgão nativo e sem tempo que dói sem doer,
Mas seduz-me o espreitar pelas frinchas do mundo,

E o enrolar das ondas vela-me aquando a bonança,
Reina e o temporal amaina e me amansa

imagem de Joel

escuto a analogia dos

escuto a analogia dos erros
Repetidos noutra e noutras dimensões, ironia
Do órgão nativo e sem tempo que dói sem doer,
Mas seduz-me o espreitar pelas frinchas do mundo,

E o enrolar das ondas vela-me aquando a bonança,
Reina e o temporal amaina e me amansa

imagem de Joel

escuto a analogia dos

escuto a analogia dos erros
Repetidos noutra e noutras dimensões, ironia
Do órgão nativo e sem tempo que dói sem doer,
Mas seduz-me o espreitar pelas frinchas do mundo,

E o enrolar das ondas vela-me aquando a bonança,
Reina e o temporal amaina e me amansa

imagem de Joel

escuto a analogia dos

escuto a analogia dos erros
Repetidos noutra e noutras dimensões, ironia
Do órgão nativo e sem tempo que dói sem doer,
Mas seduz-me o espreitar pelas frinchas do mundo,

E o enrolar das ondas vela-me aquando a bonança,
Reina e o temporal amaina e me amansa

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Ministério da Poesia/Geral No bater de duas asas​ ... 13 784 10/16/2018 - 09:34 Português
Poesia/Geral “From above to below” 13 511 10/16/2018 - 09:33 Português
Ministério da Poesia/Geral Conto … 13 325 10/16/2018 - 09:32 Português
Ministério da Poesia/Geral “From above to below” 13 736 10/16/2018 - 09:31 Português
Ministério da Poesia/Geral JOEL MATOS 14 1.528 10/16/2018 - 09:31 Português
Ministério da Poesia/Geral Antes de tud’o mais ... 13 600 10/16/2018 - 09:30 Português
Ministério da Poesia/Geral "Sinto" 13 1.022 10/16/2018 - 09:29 Português
Ministério da Poesia/Geral "Semper aeternum" 13 876 10/16/2018 - 09:28 Português
Ministério da Poesia/Geral Ao principio ... 14 779 10/16/2018 - 09:27 Português
Ministério da Poesia/Geral Em geral ... 13 745 10/16/2018 - 09:26 Português
Poesia/Geral A Confissão ( A Neruda) 13 1.756 10/16/2018 - 08:54 Português
Poesia/Geral “Entre duas aspas” 13 3.211 10/16/2018 - 08:53 Português
Poesia/Geral Como paisagem ao morrer o dia, o voar do ganso… 13 457 10/16/2018 - 08:52 Português
Poesia/Geral A verdade é Tenente ...Tio Lawrence. 13 4.017 10/16/2018 - 08:51 Português
Ministério da Poesia/Geral Tenho sonhado desperto … 12 583 10/16/2018 - 08:51 Português
Ministério da Poesia/Geral Subtil …. 13 1.512 10/16/2018 - 08:49 Português
Ministério da Poesia/Geral Pena ser levado a sério e ainda... 13 654 10/13/2018 - 19:12 Português
Ministério da Poesia/Aforismo Bonfim 10 1.796 08/08/2018 - 16:37 Português
Ministério da Poesia/Aforismo Mero 10 1.529 08/08/2018 - 16:35 Português
Ministério da Poesia/Aforismo furioso Inverno 10 2.020 08/08/2018 - 16:34 Português
Ministério da Poesia/Gótico d'azur 10 2.256 08/08/2018 - 16:33 Português
Ministério da Poesia/Aforismo sete luas 10 1.571 08/08/2018 - 16:31 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Barc'azul 10 1.508 08/08/2018 - 16:30 Português
Ministério da Poesia/Geral Puder-eu-o-ter 10 479 08/07/2018 - 16:44 Português
Poesia/Geral Toda leveza é possível enquanto dura o voo ... 10 290 08/07/2018 - 16:37 Português