CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Pra'lém do sonhar comum ...

Pra’lém do sonhar comum,
O essencial é não sentir comum demais …

Pra lá do eu, meu coração é o sonhar meu,
Tudo de resto é o fora de mim e o já agora,
A solução é não sentir o comum demais e o
Que real mais parece a mim, sem precisar de

Sonhos menos dúcteis, tão gerais quanto os
Monstros mortos ou a dócil paixão, segundo os
Logros vivos, como eles naturalmente sentem
À hora do chá e às cinco, n’ametade de tarde

Certa, parada quanto um jogo de premissas
Falsas, aleatoriamente bem verdadeiras, assim
É a nata do leite puro, para não sentir comum
Demais, a respiração aposta nas palavras tácteis,

Segundo uma dicotomia de escravo e seu dono,
Não se tocam e quando acontece o sonho morre,
Produzindo um som profundo embora leve,
Difícil de explicar escrevendo, se nem por gestos…

A unidade mínima na escrita, é o desassossego
E a solidão de quem escreve, uma anátema,
Porque escrever é o complexo e não a virtude,
É o erro e não o Graal que chamam de linguagem,

O ritual mórbido, que não há maneira de definir,
Senão pelo exagero, pois não existem palavras
Justas que definam o caos, a exegese do desapreço,
O menos cómodo dos suicídios e o cativeiro,

É o agir contra nós próprios que nos torna
Inteiros, embora estrangeiros em nossos fragmentos,
Como se fossemos um armazém de cabides
Desorganizados, onde penduramos fatos de outros,

Sensações anónimas e abomináveis, intervalos orgânicos
De conversas que não desejamos nos curtos metros
Quadrados desta nossa alma enviesada, cansada
De colóquios e considerações de precisão volumétrica …

(O essencial é não sentir comum demais)

Joel Matos 10/2019
Http://joel-matos.blogspot.com

Submited by

quinta-feira, outubro 17, 2019 - 20:59

Ministério da Poesia :

Your rating: None Average: 5 (1 vote)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 11 horas 14 minutos
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 40692

Comentários

imagem de Joel

voltem sempre

voltem sempre

imagem de Joel

voltem sempre

voltem sempre

imagem de Joel

voltem sempre

voltem sempre

imagem de Joel

voltem sempre

voltem sempre

imagem de Joel

ofereço o que sei...fazer de

ofereço o que sei...fazer de melhor...não preciso que agradeçam...bem hajam ...

imagem de Joel

ofereço o que sei...fazer de

ofereço o que sei...fazer de melhor...não preciso que agradeçam...bem hajam ...

imagem de Joel

ofereço o que sei...fazer de

ofereço o que sei...fazer de melhor...não preciso que agradeçam...bem hajam ...

imagem de Joel

ofereço o que sei...fazer de

ofereço o que sei...fazer de melhor...não preciso que agradeçam...bem hajam ...

imagem de Joel

ofereço o que sei...fazer de

ofereço o que sei...fazer de melhor...não preciso que agradeçam...bem hajam ...

imagem de Joel

ofereço o que sei...fazer de

ofereço o que sei...fazer de melhor...não preciso que agradeçam...bem hajam ...

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Na minha terra não há terra, 0 303 06/02/2020 - 16:16 Português
Poesia/Geral A sucessão dos dias e a sede de voyeur ... 0 164 06/02/2020 - 16:09 Português
Poesia/Geral O Amor é uma nação em risco, 1 386 05/03/2020 - 00:37 Português
Ministério da Poesia/Geral Ninguém me distingue de quem sou eu ... 1 188 04/20/2020 - 23:34 Português
Ministério da Poesia/Geral A um Deus pouco divino … 1 259 04/19/2020 - 12:02 Português
Poesia/Geral “Hic sunt dracones”, A dor é tudo … 4 392 04/15/2020 - 16:25 Português
Poesia/Geral A Morte não é Bem-Vinda ... 2 348 04/15/2020 - 15:46 Português
Poesia/Geral Objectos próximos, 0 467 04/15/2020 - 12:06 Português
Poesia/Geral Daniel Faria, excerto “Do que era certo” 0 416 04/15/2020 - 11:58 Português
Ministério da Poesia/Geral O avesso do espelho... 5 227 03/01/2020 - 21:02 Português
Poesia/Geral A síndrome de Savanah 0 307 03/01/2020 - 20:26 Português
Ministério da Poesia/Geral O Estado da Dúvida 2 200 01/24/2020 - 21:05 Português
Ministério da Poesia/Geral Patchwork... 0 327 01/08/2020 - 14:05 Português
Ministério da Poesia/Geral Vivo do oficio das paixões 0 305 01/08/2020 - 13:55 Português
Ministério da Poesia/Geral Como morre um Rei de palha... 0 206 01/08/2020 - 13:50 Português
Ministério da Poesia/Geral "Sic est vulgus" 0 318 01/08/2020 - 12:47 Português
Ministério da Poesia/Geral Quantos Césares fui eu !!! 0 230 01/08/2020 - 12:40 Português
Ministério da Poesia/Geral Nada se parece comigo 0 248 01/08/2020 - 12:34 Português
Ministério da Poesia/Geral Pedra, tesoura ou papel..."Do que era certo" 0 267 01/08/2020 - 12:27 Português
Ministério da Poesia/Geral Sou "O-Feito-Do-Primeiro-Vidente" 0 199 01/08/2020 - 12:11 Português
Ministério da Poesia/Geral Morri lívido e nu ... 0 243 01/08/2020 - 12:03 Português
Ministério da Poesia/Geral Ladram cães à distância, Mato o "Por-Matar" ... 0 284 01/08/2020 - 11:45 Português
Ministério da Poesia/Geral Excerto “do que era certo” 0 254 01/08/2020 - 11:38 Português
Ministério da Poesia/Geral Rua dos Douradores 30 ... 0 300 01/08/2020 - 11:32 Português
Ministério da Poesia/Geral A Rua ao meu lado ou O Valor do riso... 0 207 01/08/2020 - 11:24 Português