CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Até que mais seja

 

Toco no que há, Até que mais seja

Meu mestre e amigo
Em teu coração partido
Toco, no que dele resta
Até que tudo tenha

Conteúdo maior neste
Meu que tanto odeio,
Quanto me despreza
Com uma tal força que

Nem em mim conheço
Ou possa ser sentida
Por qualquer ser vivo
Que nem alma possua,

Meu mestre e amigo,
Dá-me “tenção” de criar,
Concilia meu intimo
Real com teu ímpeto,

Até que seja o que há,
E nunca passou d’sonho,
A coisa q’jamais fui ou serei,
Sou agora um dos mais,

Eu coisa alguma, a sós
Comigo jaz um espírito
Comum como dois iguais,
Meu mestre e amigo,

Leve rasto, brisa gentil,
Álvaro de Campos +

Joel Matos (Janeiro 2022)

http://joel-matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

Submited by

quinta-feira, fevereiro 17, 2022 - 10:25

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 dia 13 horas
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 41494

Comentários

imagem de Joel

Toco no que há, Até que mais

Toco no que há, Até que mais seja

Meu mestre e amigo
Em teu coração partido
Toco, no que dele resta
Até que tudo tenha

Conteúdo maior neste
Meu que tanto odeio,
Quanto me despreza
Com uma tal força que

Nem em mim conheço
Ou possa ser sentida
Por qualquer ser vivo
Que nem alma possua,

Meu mestre e amigo,
Dá-me “tenção” de criar,
Concilia meu intimo
Real com teu ímpeto,

Até que seja o que há,
E nunca passou d’sonho,
A coisa q’jamais fui ou serei,
Sou agora um dos mais,

Eu coisa alguma, a sós
Comigo jaz um espírito
Comum como dois iguais,
Meu mestre e amigo,

Leve rasto, brisa gentil,
Álvaro de Campos +

Joel Matos (Janeiro 2022)

http://joel-matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

Toco no que há, Até que mais

Toco no que há, Até que mais seja

Meu mestre e amigo
Em teu coração partido
Toco, no que dele resta
Até que tudo tenha

Conteúdo maior neste
Meu que tanto odeio,
Quanto me despreza
Com uma tal força que

Nem em mim conheço
Ou possa ser sentida
Por qualquer ser vivo
Que nem alma possua,

Meu mestre e amigo,
Dá-me “tenção” de criar,
Concilia meu intimo
Real com teu ímpeto,

Até que seja o que há,
E nunca passou d’sonho,
A coisa q’jamais fui ou serei,
Sou agora um dos mais,

Eu coisa alguma, a sós
Comigo jaz um espírito
Comum como dois iguais,
Meu mestre e amigo,

Leve rasto, brisa gentil,
Álvaro de Campos +

Joel Matos (Janeiro 2022)

http://joel-matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

Toco no que há, Até que mais

Toco no que há, Até que mais seja

Meu mestre e amigo
Em teu coração partido
Toco, no que dele resta
Até que tudo tenha

Conteúdo maior neste
Meu que tanto odeio,
Quanto me despreza
Com uma tal força que

Nem em mim conheço
Ou possa ser sentida
Por qualquer ser vivo
Que nem alma possua,

Meu mestre e amigo,
Dá-me “tenção” de criar,
Concilia meu intimo
Real com teu ímpeto,

Até que seja o que há,
E nunca passou d’sonho,
A coisa q’jamais fui ou serei,
Sou agora um dos mais,

Eu coisa alguma, a sós
Comigo jaz um espírito
Comum como dois iguais,
Meu mestre e amigo,

Leve rasto, brisa gentil,
Álvaro de Campos +

Joel Matos (Janeiro 2022)

http://joel-matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

Toco no que há, Até que mais

Toco no que há, Até que mais seja

Meu mestre e amigo
Em teu coração partido
Toco, no que dele resta
Até que tudo tenha

Conteúdo maior neste
Meu que tanto odeio,
Quanto me despreza
Com uma tal força que

Nem em mim conheço
Ou possa ser sentida
Por qualquer ser vivo
Que nem alma possua,

Meu mestre e amigo,
Dá-me “tenção” de criar,
Concilia meu intimo
Real com teu ímpeto,

Até que seja o que há,
E nunca passou d’sonho,
A coisa q’jamais fui ou serei,
Sou agora um dos mais,

Eu coisa alguma, a sós
Comigo jaz um espírito
Comum como dois iguais,
Meu mestre e amigo,

Leve rasto, brisa gentil,
Álvaro de Campos +

Joel Matos (Janeiro 2022)

http://joel-matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

Toco no que há, Até que mais

Toco no que há, Até que mais seja

Meu mestre e amigo
Em teu coração partido
Toco, no que dele resta
Até que tudo tenha

Conteúdo maior neste
Meu que tanto odeio,
Quanto me despreza
Com uma tal força que

Nem em mim conheço
Ou possa ser sentida
Por qualquer ser vivo
Que nem alma possua,

Meu mestre e amigo,
Dá-me “tenção” de criar,
Concilia meu intimo
Real com teu ímpeto,

Até que seja o que há,
E nunca passou d’sonho,
A coisa q’jamais fui ou serei,
Sou agora um dos mais,

Eu coisa alguma, a sós
Comigo jaz um espírito
Comum como dois iguais,
Meu mestre e amigo,

Leve rasto, brisa gentil,
Álvaro de Campos +

Joel Matos (Janeiro 2022)

http://joel-matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

Toco no que há, Até que mais

Toco no que há, Até que mais seja

Meu mestre e amigo
Em teu coração partido
Toco, no que dele resta
Até que tudo tenha

Conteúdo maior neste
Meu que tanto odeio,
Quanto me despreza
Com uma tal força que

Nem em mim conheço
Ou possa ser sentida
Por qualquer ser vivo
Que nem alma possua,

Meu mestre e amigo,
Dá-me “tenção” de criar,
Concilia meu intimo
Real com teu ímpeto,

Até que seja o que há,
E nunca passou d’sonho,
A coisa q’jamais fui ou serei,
Sou agora um dos mais,

Eu coisa alguma, a sós
Comigo jaz um espírito
Comum como dois iguais,
Meu mestre e amigo,

Leve rasto, brisa gentil,
Álvaro de Campos +

Joel Matos (Janeiro 2022)

http://joel-matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

Toco no que há, Até que mais

Toco no que há, Até que mais seja

Meu mestre e amigo
Em teu coração partido
Toco, no que dele resta
Até que tudo tenha

Conteúdo maior neste
Meu que tanto odeio,
Quanto me despreza
Com uma tal força que

Nem em mim conheço
Ou possa ser sentida
Por qualquer ser vivo
Que nem alma possua,

Meu mestre e amigo,
Dá-me “tenção” de criar,
Concilia meu intimo
Real com teu ímpeto,

Até que seja o que há,
E nunca passou d’sonho,
A coisa q’jamais fui ou serei,
Sou agora um dos mais,

Eu coisa alguma, a sós
Comigo jaz um espírito
Comum como dois iguais,
Meu mestre e amigo,

Leve rasto, brisa gentil,
Álvaro de Campos +

Joel Matos (Janeiro 2022)

http://joel-matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

Toco no que há, Até que mais

Toco no que há, Até que mais seja

Meu mestre e amigo
Em teu coração partido
Toco, no que dele resta
Até que tudo tenha

Conteúdo maior neste
Meu que tanto odeio,
Quanto me despreza
Com uma tal força que

Nem em mim conheço
Ou possa ser sentida
Por qualquer ser vivo
Que nem alma possua,

Meu mestre e amigo,
Dá-me “tenção” de criar,
Concilia meu intimo
Real com teu ímpeto,

Até que seja o que há,
E nunca passou d’sonho,
A coisa q’jamais fui ou serei,
Sou agora um dos mais,

Eu coisa alguma, a sós
Comigo jaz um espírito
Comum como dois iguais,
Meu mestre e amigo,

Leve rasto, brisa gentil,
Álvaro de Campos +

Joel Matos (Janeiro 2022)

http://joel-matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

Toco no que há, Até que mais

Toco no que há, Até que mais seja

Meu mestre e amigo
Em teu coração partido
Toco, no que dele resta
Até que tudo tenha

Conteúdo maior neste
Meu que tanto odeio,
Quanto me despreza
Com uma tal força que

Nem em mim conheço
Ou possa ser sentida
Por qualquer ser vivo
Que nem alma possua,

Meu mestre e amigo,
Dá-me “tenção” de criar,
Concilia meu intimo
Real com teu ímpeto,

Até que seja o que há,
E nunca passou d’sonho,
A coisa q’jamais fui ou serei,
Sou agora um dos mais,

Eu coisa alguma, a sós
Comigo jaz um espírito
Comum como dois iguais,
Meu mestre e amigo,

Leve rasto, brisa gentil,
Álvaro de Campos +

Joel Matos (Janeiro 2022)

http://joel-matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

imagem de Joel

Toco no que há, Até que mais

Toco no que há, Até que mais seja

Meu mestre e amigo
Em teu coração partido
Toco, no que dele resta
Até que tudo tenha

Conteúdo maior neste
Meu que tanto odeio,
Quanto me despreza
Com uma tal força que

Nem em mim conheço
Ou possa ser sentida
Por qualquer ser vivo
Que nem alma possua,

Meu mestre e amigo,
Dá-me “tenção” de criar,
Concilia meu intimo
Real com teu ímpeto,

Até que seja o que há,
E nunca passou d’sonho,
A coisa q’jamais fui ou serei,
Sou agora um dos mais,

Eu coisa alguma, a sós
Comigo jaz um espírito
Comum como dois iguais,
Meu mestre e amigo,

Leve rasto, brisa gentil,
Álvaro de Campos +

Joel Matos (Janeiro 2022)

http://joel-matos.blogspot.com
https://namastibet.wordpress.com
http://namastibetpoems.blogspot.com

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Ministério da Poesia/Geral Doa a quem doa, o doer … 0 18 11/20/2022 - 19:59 Português
Ministério da Poesia/Geral (Não hei, porque não tento) 0 10 11/20/2022 - 19:58 Português
Ministério da Poesia/Geral “Hannibal ad Portus” 0 10 11/20/2022 - 19:56 Português
Ministério da Poesia/Geral Maldade 0 7 11/20/2022 - 19:54 Português
Ministério da Poesia/Geral Do que eu sofro 0 6 11/20/2022 - 19:52 Português
Ministério da Poesia/Geral Do avesso 0 5 11/20/2022 - 19:50 Português
Ministério da Poesia/Geral Eis a Glande 0 9 11/20/2022 - 19:48 Português
Ministério da Poesia/Geral Incêndio é uma palavra galga 0 8 11/20/2022 - 19:47 Português
Ministério da Poesia/Geral Restolho Ardido… 0 7 11/20/2022 - 19:45 Português
Poesia/Geral “Mea Culpa” 0 15 11/20/2022 - 19:18 Português
Poesia/Geral Não entortem meu sorriso, 0 15 11/20/2022 - 19:16 Português
Poesia/Geral Meu mar eu sou 0 15 11/20/2022 - 19:15 Português
Poesia/Geral Espírito de andante ... 37 452 05/26/2022 - 15:07 Português
Poesia/Geral Feliz como poucos … 3 1.081 03/24/2022 - 12:15 Português
Poesia/Geral Nada, fora o novo ... 17 417 03/19/2022 - 20:01 Português
Poesia/Geral A tenaz negação do eu, 8 676 03/19/2022 - 19:58 Português
Poesia/Geral Nunca tive facilidade de 29 400 03/11/2022 - 17:20 Português
Poesia/Geral Tudo em mim, 13 340 02/25/2022 - 17:40 Português
Poesia/Geral E eu deixei meus olhos 12 487 02/25/2022 - 17:40 Português
Poesia/Geral Meu instinto é dado pelos dedos mindinhos 22 476 02/25/2022 - 17:39 Português
Ministério da Poesia/Geral Sem nada … 17 982 02/19/2022 - 15:18 Português
Poesia/Geral Até que mais seja 33 413 02/17/2022 - 10:28 Português
Poesia/Geral Send'a própria imagem minha, Continuo'a ser eu ess’outro … 18 314 01/21/2022 - 18:07 Português
Poesia/Geral Perfeitos no amor e no pranto … 46 358 01/20/2022 - 22:04 Português
Ministério da Poesia/Geral O facto de respirar … 43 646 01/19/2022 - 20:36 Português