CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Febre de Sábado á Noite

Vens no susurro da noite, Insana
Mordes-me a pele, lambes-me a alma
Fundas os dedos, garra soberana
Vences-me no suspiro de quem me ama
Sou peça, sou corpo, sou pó, sou Teu

Na tua loucura, Teu prisioneiro
Sob teu corpo nu, Meu cativeiro
Hoje sou tua vitima, Teu primeiro
Nesta neblina Insana, Verdadeiro
Fragância de Delirio Nefasto

Dilaceras em mim a carne da vida
Absorves de uma vez, a poesia, dita
Jorro...sangue vermelho, na tua retina
Beijas-me como quem devora
Montas-me como quem me ignora

Sou apenas a vitima noturna
Plácidamente em noite soturna
Moribundo de gemidos de prazer
em ti, em mim o sangue a ferver
Vampiresca obcessão, sem perdão

Afagas-me em encantos de Cítara
usas e abusas, mente de querubim
Corpo mágico de feitio, seio perdido
Num lábio metido, gesto incontido

Acordo, em manto suado de Febre
Trinta e nove graus de Gripe
Vazio, inerte, sozinho
A alucinação de corpo doente
Numa alma demente.

Graças a Deus é Sábado...

http://mefistus.skyrock.com/

Submited by

quarta-feira, março 17, 2010 - 12:21

Poesia :

No votes yet

Mefistus

imagem de Mefistus
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 ano 13 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 3083

Comentários

imagem de Dianinha

Re: Febre de Sábado á Noite

Amei, entusiasmas o leitor e depois mostras esse final que ninguém esperava...
Simplesmente fantástico, mas mesmo esses delírios de vez em quando não fazem mal e ninguém! ;-)

Muito bom mesmo, parabéns...
Beijinho!

imagem de LilaMarques

Re: Febre de Sábado á Noite

Mefistus, meu amigo,

Que belo e sensual delírio, cheio de nuances interessantíssimas! Característico de tua poética!
Febre maldita? Bendita?

ADOREI!

Um beijo grande.

imagem de Clarisse

Re: Febre de Sábado á Noite

Que belo delirio...
Faz-nos viajar por ele e depois: (...)"Acordo, em manto suado de Febre
Trinta e nove graus de Gripe
Vazio, inerte, sozinho
A alucinação de corpo doente
Numa alma demente.

Graças a Deus é Sábado..." :-D

Muito bom!!
Beijo,
Clarisse

imagem de Manuelaabreu

Re: Febre de Sábado á Noite

Ena mefistus
quanta sensualidade há no teu poema..."Febre de Sábado á Noite" é também o meu dia preferido da semana pois depois da febre de sábado há o domingo para recuperar forças e trabalhar :hammer: na semana que se apróxima.
Parabéns pela fortaleza do poema.
Um abraço
:-)

imagem de nunomarques

Re: Febre de Sábado á Noite

Sábado à noite, na cama, 39 graus de gripe... que venham as alucinações tão bem desenhadas neste belo quadro com que nos presenteias.

Gostei muito.

Abraço
Nuno

imagem de danyfilipa

Re: Febre de Sábado á Noite

e que febre esta :lol:

amei esta sua poesia...
quente,
sensual,
deixa a sonhar...

li e reli e voltei a ler...
e levo-a comigo para novamente ler e reler...

muito bom!!!

beijo

imagem de Henrique

Re: Febre de Sábado á Noite

Dilaceras em mim a carne da vida
Absorves de uma vez, a poesia, dita
Jorro...sangue vermelho, na tua retina
Beijas-me como quem devora
Montas-me como quem me ignora...

Ardente!

A paixão arde de forma voraz!!!

:-)

imagem de Fatima-Rodrigues

Re: Febre de Sábado á Noite

Um desejo ardente, pena que o comandasse a febre!

De qualquer forma, um doce delírio!

Gostei Mefistus

Bjs

imagem de mariacarla

Re: Febre de Sábado á Noite

Eh, eh gostei muito do teu delírio com trinta e nove graus!

Beijinho

Carla

imagem de Librisscriptaest

Re: Febre de Sábado á Noite

Sensual, envolvente e surpreendente!
Adoro a imagem final, ele na cama cheio de febre, encharcado entre delírios e sintomas gripais... Contaminado pela paixão, pelo desejo, pela visão da mulher dominadora...
Muito bom!
Beijinho em ti!
Inês

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Mefistus

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Amor Saber A Mar! 4 1.064 02/19/2019 - 16:26 Português
Prosas/Contos Desculpa Se Sou Puta -Parte 1 - Capítulo 3 0 1.134 02/07/2015 - 11:18 Português
Prosas/Contos Desculpa Se Sou Puta -Parte 1 - Capítulo 2 0 1.052 02/07/2015 - 11:11 Português
Prosas/Contos Desculpa Se Sou Puta - Parte 1 - Capítulo 1 - 0 881 02/07/2015 - 11:07 Português
Prosas/Contos Desculpa se sou Puta! - Introdução 0 905 02/07/2015 - 11:03 Português
Prosas/Contos Desculpa se sou Puta! - Introdução 0 1.047 02/07/2015 - 11:00 Português
Poesia/Amor Saber A Mar! 0 0 07/09/2012 - 15:31 Português
Poesia/Amor Saber A Mar! 0 1.604 07/09/2012 - 15:30 Português
Poesia/Aforismo Cativa Saliva na boca triste 0 3.359 06/04/2012 - 13:52 Português
Poesia/Meditação Haveria Sempre Poesia, Nas horas loucas de maresia 2 1.708 04/21/2012 - 05:56 Português
Poesia/Desilusão Melancolia 0 1.365 11/04/2011 - 12:11 Português
Poesia/Pensamentos Para onde vou ó dor! 0 989 11/04/2011 - 11:42 Português
Poesia/Meditação Trova a dois Terços! 0 1.356 11/04/2011 - 11:34 Português
Poesia/Intervenção Ó Chefe dá-me um emprego! 1 1.566 10/25/2011 - 10:30 Português
Poesia/Dedicado Em amêndoas Tragado 3 1.675 10/24/2011 - 10:15 Português
Poesia/Intervenção Uma breve nostalgia! 0 1.483 10/24/2011 - 10:06 Português
Poesia/Meditação No pio da Perdiz 0 1.643 10/24/2011 - 09:58 Português
Poesia/Fantasia Baila Marisa Baila! 3 2.246 09/01/2011 - 11:17 Português
Prosas/Terror Diablo- Capitulo 4 (parte 4/4) 0 1.690 04/09/2011 - 01:02 Português
Prosas/Terror Diablo - Capitulo 4 ( parte 3/4) 0 1.793 04/09/2011 - 00:59 Português
Prosas/Terror Diablo - Capitulo 4 ( parte 2/4) 0 1.366 04/09/2011 - 00:56 Português
Prosas/Terror Diablo Capitulo 4 (Parte 1/4). 0 2.451 04/09/2011 - 00:49 Português
Prosas/Terror Diablo Capitulo 3 (Parte 3/3) 0 1.562 04/09/2011 - 00:46 Português
Poesia/Meditação Dançarina de saia Púpura 2 2.053 04/07/2011 - 23:35 Português
Poesia/Meditação Como um corpo suspenso em cordas de linho 1 1.762 02/27/2011 - 20:51 Português