CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Gilliat e Deruchete

Naufrágios sao frágeis para seus braços,
Trabalha na gávea, na proa, no mastro, vai farto!
Confia Gilliat em seu esforço, assusta-se e dança!
Engole a onda, a longitude, lasca de lenha balança e
Durande, vapor velho, encalha um parto no vácuo...

Eterna ventosa lambe a chaga, labuta infinita
Chacoalha o oceano o casco da pança, gaivota...
A âncora engasga, em asma o fole, trapaça gravita...
Devaneia Deruchete no balanço, serenata na infância...
Persista!

Bonnie Dundee é conforto ao desespero. Sua herança
tem os nervos como cego nevoeiro, beija e cansa
Vai marinho, cavalgar a tempestade... toma as rédeas!

O herói deixou um marco em meu peito, como nódoa
Latejando de profícua lealdade ao que planeja, o marujo que gargalha...
Que suspeito ser o mesmo que trabalha... ou quem ara

Quem areja com esforço a sutileza desta terra, a natureza
Não aceita que marés devorem braços que operam...
Nada, nada, bate as asas, já sangraste em demasia pela praia
O castelo de areia cede ao vento mais eterno!

http://outubrorubro.blogspot.com/2011/12/gilliat-e-deruchete.html

Submited by

quinta-feira, dezembro 1, 2011 - 14:29

Poesia :

No votes yet

marcelocampello

imagem de marcelocampello
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 6 anos 7 semanas
Membro desde: 03/02/2011
Conteúdos:
Pontos: 310

Comentários

imagem de marcelocampello

Obrigado Daniele!

Oh que beleza que aceitou meu convite para amizade e que bom que gostou do poema, é que acabei de ler o livro pela segunda vez e creio realmente ser um dos melhores livros que ja li!!!

Muito obrigado mesmo, seus poemas também são lindos, com uma sutileza e força incriveis!

Abraços!

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of marcelocampello

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral Eu carrego em meu peito um elefante 1 653 04/05/2011 - 04:14 Português
Poesia/Geral jogando os dados - azar: الافراج عن البيانات - عازار 1 755 04/03/2011 - 00:49 Português
Poesia/Geral Assim que os poetas deliram? 3 456 04/02/2011 - 03:05 Português
Poesia/Geral Deixa escorrer a água querido! 1 426 04/01/2011 - 23:36 Português
Poesia/Geral O verso do não amor 6 567 03/31/2011 - 19:27 Português
Poesia/Geral À DERIVA 6 500 03/21/2011 - 15:38 Português
Poesia/Geral O labirinto de calcário 2 754 03/14/2011 - 19:36 Português
Poesia/Intervenção Não me peçam gentileza! Vou dar murros! 0 672 03/13/2011 - 18:35 Português
Poesia/Geral Aquieta o Realejo e Seu Macaco! 0 759 03/13/2011 - 15:55 Português
Poesia/Geral Os Namorados (Páris e Helena) 4 597 03/07/2011 - 19:15 Português
Poesia/Dedicado Minha mãe fez uma boneca 0 578 03/07/2011 - 14:09 Português
Poesia/Geral O Albergue Anarquista 2 692 03/05/2011 - 16:33 Português
Poesia/Geral Bailas comigo pela eternidade? 2 417 03/05/2011 - 01:13 Português
Poesia/Dedicado Soldado da Coluna Prestes 2 833 03/05/2011 - 00:54 Português
Poesia/Geral Fetiche ao Imaginário 0 386 03/04/2011 - 17:53 Português
Poesia/Geral Reine em mim Realidade! 0 356 03/04/2011 - 17:48 Português
Poesia/Geral Quanta neve... 2 341 03/03/2011 - 22:03 Português
Poesia/Geral O homem insone 0 327 03/03/2011 - 19:26 Português
Poesia/Geral Sem Disfarces 0 410 03/03/2011 - 19:01 Português
Poesia/Geral Lapidada por Estilhaços 0 281 03/03/2011 - 17:26 Português
Poesia/Geral Pessoas são como países... 0 291 03/03/2011 - 17:26 Português
Poesia/Geral as lágrimas corretas... 0 505 03/03/2011 - 17:22 Português
Poesia/Geral Centauro 0 384 03/03/2011 - 17:19 Português
Poesia/Geral Meu terno 0 374 03/03/2011 - 17:14 Português
Poesia/Geral Fagocitose 0 454 03/03/2011 - 12:37 Português