CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Aquieta o Realejo e Seu Macaco!

Vou a praça meu amigos! Não me calem!
Desta vez é diferente. Vou gritar a todo povo
Com vontade. Que sou jovem e deliro com poemas!
Sou bonito bem lá dentro, não perfeito
Mas amável e contente Dom Quixote!

Vou a praça meus amigos. Não duvidem!
Acordar os passarinhos logo cedo, com migalhas
E cantigas e assovios, vou ali tocar o sino da capela
No coreto encostar minhas costelas, vou deitar
E decifrar mais um soneto,
ou quem sabe, serenata para as estrelas.

Vou a praça meus amigos. Convocado pelos anjos,
Não gargalhem! Mas é claro que retumba em meu ouvido
Uma trombeta, e me chama pelo nome como bomba
Estalando na usina japonesa. Não escutam o universo?
Bueno, eu escuto e me despeço. Me convocam!

Eu alisto as legiões de bons profetas
Vou de fato, de mãos dadas à paixão Roberspiana!
Laços feitos com a jovem Julieta
Vou trotando o Corcel Negro, pela praia!
Flutuando como pássaro ligeiro, que alegria!
.
.
.
Ao passar o general, meus quatro dedos
lhe concedem continência com respeito!
E a praça me aparece tão distante...
e o povo me parece satisfeito
com as pérolas atiradas por palhaços...
que adormeço de cansaço antes do sono

Operário de palavras que escreve,
torturado na masmorra como escravo.
Que tristeza!

Sim senhor! Ao trabalho, aperto um parafuso!
Me desculpe!
Desaparece a praça no infinito do desejo!
Cala-te macaco!
Sufoco uma vez mais o realejo!

www.outubrorubro.blogspot.com

Submited by

domingo, março 13, 2011 - 14:55

Poesia :

No votes yet

marcelocampello

imagem de marcelocampello
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 6 anos 36 semanas
Membro desde: 03/02/2011
Conteúdos:
Pontos: 310

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of marcelocampello

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Meditação A história da cabeça que fugiu dos pés! 4 502 06/10/2012 - 21:03 Português
Poesia/Meditação The story of a head that ran from its feet 0 950 06/10/2012 - 11:07 inglês
Poesia/Geral Dr. Jekyll: Pb > Au 0 683 12/12/2011 - 10:26 Português
Poesia/Geral Cavaleiro de Copas 0 599 12/09/2011 - 18:40 Português
Poesia/Intervenção BELO MONTE 0 709 12/09/2011 - 18:03 Português
Poesia/Geral Gilliat e Deruchete 1 1.652 12/01/2011 - 17:42 Português
Poesia/Geral Pessoas são como países (reeditado) 0 836 10/25/2011 - 13:47 Português
Poesia/Geral PESSOAS SAO COMO PAISES 0 809 10/25/2011 - 13:41 Português
Poesia/Geral ENTROPIA MONETÁRIA 0 956 10/07/2011 - 14:50 Português
Poesia/Geral MORO NESSA CASA VAZIA 0 997 10/07/2011 - 14:46 Português
Poesia/Fantasia Amores e Mamutes 4 970 04/30/2011 - 15:59 Português
Poesia/Amizade Jocasta, Amelie Poulain e Lili Carabina 2 1.256 04/28/2011 - 19:40 Português
Poesia/Geral A MENINA NA CAVERNA 0 1.096 04/27/2011 - 14:16 Português
Poesia/Geral O Eco, a Sombra e as Estrelas 1 1.269 04/27/2011 - 02:48 Português
Poesia/Geral FANTASIA MIGRANTE 3 1.020 04/19/2011 - 18:00 Português
Poesia/Geral Canção em Espiral 1 781 04/16/2011 - 03:08 Português
Poesia/Geral Tropa serena 0 1.230 04/16/2011 - 00:52 Português
Poesia/Geral Desculpai-me insetos! 2 1.394 04/13/2011 - 21:52 Português
Poesia/Geral Algum abandono previsível! 3 1.059 04/12/2011 - 13:02 Português
Poesia/Geral Mom made a doll 0 951 04/09/2011 - 22:18 inglês
Poesia/Geral Jocasta, Amelie Poulain e Lili Carabina 0 1.042 04/09/2011 - 15:18 inglês
Poesia/Geral The poem's not love 0 1.001 04/09/2011 - 15:17 inglês
Poesia/Geral Adrift 0 1.252 04/09/2011 - 15:16 inglês
Poesia/Geral Encerrai a cavalgada! 2 915 04/09/2011 - 10:51 Português
Poesia/Geral Passou o tempo querida! 6 1.029 04/05/2011 - 11:33 Português