CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

A Lenda de Enoah - Capitulo 5 -

Faltavam cerca de trinta minutos até ao dia nascer, e com ele a hora do pardal, quando Enoah se dirigiu aos aposentos da Rainha.
A rainha Latvéria esperava-a ansiosamente. Desde os acontecimentos na noite anterior, que aguardava a opurtunidade de estar a sós, com ela, e quebrando uma vez mais o protocolo real, ordenou que as aias, que acabavam igualmente de chegar aos aposentos reais, a deixassem a sós com a filha da montanha.
Aguardando alguns segundos, Latvéria optou por recebe-la na cama, e como uma colegial em dia de saída para o baile final, ordenou que ela entrassse.
Tal como no primeiro dia que a vira, Enoah caminhava com uma segurança e uma altivez avassaladora, indiferente aos olhares que a rainha lhe dirigia:
-Majestade, aqui estou diante de vós, conforme vos prometi
-Vejo que sois pontual, que outros atributos escondidos tendes ainda para mostrar?
-Não muitos Majestade. Os suficientes para ir sobrevivendo! - O tom de voz dela era frio e cortante.
-Porque não sobreviverias? Nunca ouvi que o povo da montanha, tivesse estado em guerra?
-Nós estamos constantemente em guerra entre nós, majestade. Até por um pedaço de pão lutamos!
-Oh, compreendo. Desculpai-me o meu pouco tacto.
-Não tem importâmcia majestade!
Latvéria permaneceu alguns instantes observando-a. Enoah mantinha-se solene, formal e distante:
-Haveis tido uma boa noite de descanso?
-Excelente majestade, embora confesso que não esteja habituada a camas.
Um fino sorriso de luxuria surgiu recortado nos finos lábios vermelhos da rainha e não resistindo á curiosidade, inquiriu:
-Espero que a aia tenha sido do vosso agrado?
Enoah manteve o seu ar cortante, embora os olhos revelassem satisfação:
-Foi realmente uma boa companhia, majestade.
Latvéria meditou uns segundos e depois, perdendo a compustura formal exigida a uma rainha, avançou:
-Passei a noite ansiosa e pensativa. Tendes forte influência em mim. Rogovos para que me ensineis a matar esta minha frigidez, para que possa amar o meu bom marido e dar linhagem real ao reino de Ischtfall
-Pelo que me foi dado a ver ontem, não penso que preciseis de explicações, majestade!
Enoah, observou os longos aros dourados dos cabelos da rainha, pousados delicadamente sobre a almofada real e segura e confiante, caminhou até perto dela, sentando-se na berma da cama.
A rainha, sempre a observando, nada fez para impedir, indagando:
-O meu corpo volta a tremer ,só de vos ver.Que bruxaria vem a ser esta, filha da Montanha?
-Não é bruxaria alguma majestade. Trata-se de poderes especiais que me foram ensinados pela tribo da montranha. O poder de vergar vontades e despertar mentalmente a libido nos outros.
Os olhos da rainha permaneciam imóveis em Enoah, e então apercebendo-se, pela primeira vez, que estava na cama, agarrou os lençois, tentando ocultar o que pudesse, enquanto sentenciava:
-A noite passada foi uma excepção. No entanto eu desejo voltar a ser mulher e acabar com as Mocidas no palácio. Mas quando me entrego ao Rei, nada em mim responde, como se estivesse morta. - O tom de voz dela era triste e pesaroso
-Entendo minha rainha!
-Mas só de vos ver, todo o meu ser se impacienta, tal como agora, e anseia por vós.Que bruxaria é esta?Dizei-me como tal é possivel?
A jovem sorriu de malicia, pela primeira vez desde que entrara, e afastando os lençois observou o corpo nu da rainha, de um branco feroz, onde apenas um tufo aloirado de pelos pudicos, o coloria:
-Majestade, sei que ontem me excedi e exerci o poder sobre vós, originando tudo aquilo que se sucdeu.Mas garanto-vos que hoje, nada tenho a ver com isso.
Alarmada por tal revelação, Latvéria corou e de olhar aflito, solicitou:
-Oh filha da Montanha, rogo-vos que me coloques a insanidade de ontem. Irei receber o rei hoje mesmo, neste leito e preciso da vossa magia.
A mão firme e sedutora da filha da montanha, mantinha-se pousada sobre o sexo da rainha, ocultando da visão, um dedo que brincava nela:
-Majestade, se sois alvo de bruxaria , não é da minha parte.Mas de Gambinus.
-Acabai com isso, afastai-vos! Que dizeis? O padre Gambinus? O Oráculo dos Deuses?
-Sim Majestade!
-Heresia!
-Pense majestade, há quanto tempo sofre desse mal e descobrirá a razão!
A rainha permaneceu uns segundos estática, por fim dando-se conta do estado em que se encontrava, puxou os lençois e sentando-se na cama, de forma a que os mamilos rosados ficassem visiveis, retorquiu:
-Será possivel?
-È como vos digo majestade. Por vezes o pior inimigo, é aquele que nos é próximo!
-Realmente- Meditou pensativa a rainha- O rei tem andado arredado da companhia do padre. Estranho o que me dizeis!
-Rainha Latvéria eu devo confessar que quando fui chamada para sua aia, tinha a firme intenção de vos matar!
-Nos matar? Porquê todo esse ódio?
- A si e ao rei, pelo que o povo da montanha tem sofrido. Marginalizados pelo vosso reino, sem recursos de subsistência.
-Não conheço as politicas do meu marido como sabeis. Sou apenas uma morta-viva, que nem ao bom rei satisfaço.
-Seja como for, o povo da montanha sofre. E por vezes os guardas reais surgem e capturam-nos.
-Que horror! - Latvéria exibia um sincero ar de terror.
-Mas agora vejo que estava enganada. Não creio que seja o rei a criar tais ataques, não tendo no entanto duvidas, do brazão que esses homens ostentavam.
-Falai com o rei. O que me contais é deveras assustador e eu tenho dois dedos de inteligência para perceber quem pretendeis acusar. Deixai-me fora disso!
-Como pretender, majestade! Mas eu tenho uma solução para relançar a vossa sensualidade.
-Como assim, Enoah filha da montanha?
Agilmente da pequena bolsa de vide, retirou dois seixos pretos, em forma de lágrima, não muito grandes, mas trabalhados e confidenciou:
-Estas pedras dar-lhe-ão tranquilidade majestade. Coloque-as debaixo de vossa almofada estas próximas noites e sentirá o desejo e a volupia. Garanto-vos.!
Latvéria recolheu os seixos, beijando Enoah e de olhos marejados de lágrimas, despediu-se:
-Boa sorte Enoah , Filha da montanha. Esperarei ansiosa pelo vosso regresso.
Ao sair dos aposentos, Enoah cruzou-se com Beatrice," a branca", uma das aias do palácio e sorriu-lhe levemente, enquanto se dirigia para a reunião com o rei, onde iria saber qual a sua missão.
A troca de sorrisos foi breve e sincera,mas se nesse momento Enoah se tivesse voltado, teria presenciado á saida discreta de um dos espiões de Gambinus, da porta ao lado dos aposentos reais.
Contudo nenhuma das duas raparigas o viram, e Beatrice entrou apressadamente nos aposentos reais.
Latvéria, sabendo que Enoah havia dormido com ela, esperava-a igualmente paciente e desejosa de saber o que havia sucedido nessa noite:
-Contai-me lady Beatrice. Contai-me tudo!
-Foi uma experiência devastadora majestade. - O rosto da jovem corava imenso.
-Ela vos tomou?
-Oh minha rainha, foi como se tivesse dormido com Dwargs ( Lobos da floresta de Arkham), ou atacada pelos MYrrs (Seres lendários de garras afiadas que dizem ser avistados nos pantanos de Azhan,ás portas do reino de Ischtfall).
-Que dizeis? Não vos entendo. Não vos deixou louca?
-Sim, minha rainha. Foi bastante intenso.
Sem proferir qualquer palavra, Beatrice abriu o vestido escarlate, deixando-o cair no chão, exibindo o seu jovem corpo à rainha.
-Pelos Deuses, que vos aconteceu?
Os rasgões na pele das unhas da filha da montanha eram visiveis, bem como algumas marcas das dentadas. no corpo da jovem aia.
Tentando-se justificar do que mostrava, a aia confidenciou, num tom lascivo:
-Foi a noite toda Majestade. Usou-me e abusou-me. Rasgou-me, beijou-me, amou-me! Como se estivesse possesa por um espirito de um lobo. Nunca vi nada igual.
A rainha incrédula, sentou-se na cama, sem retirar os olhos do corpo da jovem aia, soltando entre dentes, uma expressiva frase:
-Pelos Deuses, essa mulher intriga-me!

-----------FIM parte 5--------
Próximo capitulo da saga: A Missão -Capitulo 6

www.mefistus.skyrock.com

Submited by

quarta-feira, abril 21, 2010 - 16:03

Prosas :

No votes yet

Mefistus

imagem de Mefistus
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 ano 20 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 3083

Comentários

imagem de Clarisse

Re: A Lenda de Enoah - Capitulo 5 -

Capitulo que desvenda um pouco das motivações das personagens.

Muita imaginação, e talento!

Beijo,
Clarisse

imagem de ÔNIX

Re: A Lenda de Enoah - Capitulo 5 -

Olá meu querido amigo

Como sempre fabuloso mais este texto

ès um grande homem das letras, trazendo novos temas, e novas formas inovadoras de escrever

Adorei ler

beijinho

Matilde D'ônix

imagem de danyfilipa

Re: A Lenda de Enoah - Capitulo 5 -

Onde está o capitulo 6???
lol :lol:

bem, esta Enoah...
o conto está cada vez mais PODEROSO!!!

A filha da montanha que certamente por muitos passava por 'um nada' á face da terra...
é esperta....muito util para o Rei, para decifrar certos casos...

FASCINANTE...

Para mim este conto contem tudo para ser lido e relido ...para sair livro ;-)

é actual...(mesmo sendo as personagens de tempos passados, acaba por ser muito atual quando envolve a sexualidade entre o mesmo sexo...no caso da Enoah com as aias - embora sempre o houve, mas so agora se vai tornando menos tabu...sexo e sexualidade aqui sem tabus...MT BOM!)

é misterioso...envolve muito misterio, muitas coisas para decifrar...

é sensual... pelos cenas da Enoah em si...

é surpreendente a cada conto...o que so voce consegue fazer...sempre surpreende mesmo quando achamos que nada mais ha para dizer, ou para 'revirar' a historia...

bem que mais a dizer??
que venha o 6!! :-)

A acompanhar...
a adorar...

beijo

imagem de Librisscriptaest

Re: A Lenda de Enoah - Capitulo 5 -

E agora fiquei sem saber q dizer... LOL
Surpreendeste-me aqui tb, é mais forte q tu, não é?...
A historia mantém-se completamente apaixonante, adorei o descortinar da noite entre Enoah e a aia e as pequenas confissões q fez â rainha, sobre os seus planos iniciais...
Este pequeno desnudar dos seus objectivos permite ao leitor começar a perceber o q move a filha da montanha, o seu desejo forte de vingança e a revolta, num sentido firme de encontrar justiça para o seu povo!
Escreve ja o seguinte!!!
Fico aqui de olhos abertos, raiados de sangue, à espera...
Tem pena de mim e despacha-te!!
LOLLL
Beijinho grande, grande em ti!
E perdoa a minha impaciência... :oops:
Inês

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Mefistus

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Amor Saber A Mar! 4 1.136 02/19/2019 - 16:26 Português
Prosas/Contos Desculpa Se Sou Puta -Parte 1 - Capítulo 3 0 1.174 02/07/2015 - 11:18 Português
Prosas/Contos Desculpa Se Sou Puta -Parte 1 - Capítulo 2 0 1.093 02/07/2015 - 11:11 Português
Prosas/Contos Desculpa Se Sou Puta - Parte 1 - Capítulo 1 - 0 915 02/07/2015 - 11:07 Português
Prosas/Contos Desculpa se sou Puta! - Introdução 0 1.011 02/07/2015 - 11:03 Português
Prosas/Contos Desculpa se sou Puta! - Introdução 0 1.077 02/07/2015 - 11:00 Português
Poesia/Amor Saber A Mar! 0 0 07/09/2012 - 15:31 Português
Poesia/Amor Saber A Mar! 0 1.688 07/09/2012 - 15:30 Português
Poesia/Aforismo Cativa Saliva na boca triste 0 3.448 06/04/2012 - 13:52 Português
Poesia/Meditação Haveria Sempre Poesia, Nas horas loucas de maresia 2 1.895 04/21/2012 - 05:56 Português
Poesia/Desilusão Melancolia 0 1.427 11/04/2011 - 12:11 Português
Poesia/Pensamentos Para onde vou ó dor! 0 1.026 11/04/2011 - 11:42 Português
Poesia/Meditação Trova a dois Terços! 0 1.429 11/04/2011 - 11:34 Português
Poesia/Intervenção Ó Chefe dá-me um emprego! 1 1.631 10/25/2011 - 10:30 Português
Poesia/Dedicado Em amêndoas Tragado 3 1.737 10/24/2011 - 10:15 Português
Poesia/Intervenção Uma breve nostalgia! 0 1.526 10/24/2011 - 10:06 Português
Poesia/Meditação No pio da Perdiz 0 1.693 10/24/2011 - 09:58 Português
Poesia/Fantasia Baila Marisa Baila! 3 2.328 09/01/2011 - 11:17 Português
Prosas/Terror Diablo- Capitulo 4 (parte 4/4) 0 1.730 04/09/2011 - 01:02 Português
Prosas/Terror Diablo - Capitulo 4 ( parte 3/4) 0 1.937 04/09/2011 - 00:59 Português
Prosas/Terror Diablo - Capitulo 4 ( parte 2/4) 0 1.485 04/09/2011 - 00:56 Português
Prosas/Terror Diablo Capitulo 4 (Parte 1/4). 0 2.493 04/09/2011 - 00:49 Português
Prosas/Terror Diablo Capitulo 3 (Parte 3/3) 0 1.627 04/09/2011 - 00:46 Português
Poesia/Meditação Dançarina de saia Púpura 2 2.108 04/07/2011 - 23:35 Português
Poesia/Meditação Como um corpo suspenso em cordas de linho 1 1.958 02/27/2011 - 20:51 Português