Provas reais das contas onde os dedos se perdem

Atingi um padrão, nas linhas percorridas da vida.
Ainda não vivi muito, no entanto tudo o que vivi já é uma soma avultada de somas, diminuições, multiplicadas por instantes longos e breves. Também já dividi e fiz provas reais das contas onde os dedos se perdem…
Aprendi as letras e as palavras.
Nascemos e crescemos para estarmos juntos, para fazermos parte da sociedade: a sociedade que é imensamente v...asta e diversificada.
Compreendi que todos somos uma forma e um pedaço do universo…aprendi a entender o ser humano tal como é…não gosto de julgar porque não sou doutorada para tal…
Tem sido assim, a minha relação como o ser humano, aceitar.
No entanto, descobri que existem seres humanos, que não querem ser aceites, mas sim bajulados, colocados num altar onde comandam.
Tudo isto não será novidade!
Nestas linhas, onde divago o pensamento, o que mais me estranha é o disfarce de humildade com que se apresentam…os sorrisos impotentes e as inverdades com que se alimentam…sim, com que se alimentam! Porque na globalização em que me incluo, ainda creio, que a verdade se destaca e tarde ou cedo chega.
Quando lhe fecham uma janela uma porta se abre, e por uma nesga escorrega, essa verdade que fica límpida perante o olhar.
Mas o total espanto, se fosse um prémio que estivesse em jogo, iria para a forma matreira, com que esses jogam com os outros, julgando apenas serem os únicos donos da inteligência e negligenciarem a inteligência que outros contém na verdadeira humildade, aquela que pensam não existir, porque neles não a deixam florir.
Perguntarão se estou zangada?
Não, não estou, porque há muito que me habituei a dizer adeus sem palavra e a não julgar…alimento a esperança, que um dia todos assim sejam…inocência a minha, será? Mas é com ela que sou feliz.


 

Submited by

Monday, September 19, 2011 - 06:51

Prosas :

No votes yet

AnaCoelho

AnaCoelho's picture
Offline
Title: Membro
Last seen: 6 years 19 weeks ago
Joined: 11/14/2008
Posts:
Points: 1789

Add comment

Login to post comments

other contents of AnaCoelho

Topic Title Replies Views Last Postsort icon Language
Poesia/Meditation Densidade do olhar 2 1.455 03/15/2018 - 09:38 Portuguese
Poesia/Love Contigo aprendi a sonhar 2 1.468 03/15/2018 - 09:37 Portuguese
Poesia/Meditation Onde as nuvens pousam 1 954 11/07/2015 - 11:14 Portuguese
Poesia/Meditation Lágrimas quentes 0 1.156 12/22/2012 - 20:02 Portuguese
Poesia/Love Juntos galgaremos as margens 0 1.525 12/20/2012 - 02:10 Portuguese
Poesia/Aphorism Há uma pauta aberta 0 992 10/08/2012 - 06:36 Portuguese
Poesia/Intervention Fazer das letras os gestos 0 1.699 07/21/2012 - 21:14 Portuguese
Poesia/Meditation Os vales da realidade 3 966 07/09/2012 - 08:10 Portuguese
Poesia/Meditation Um oásis que flutua 0 562 06/25/2012 - 16:33 Portuguese
Poesia/Dedicated Não há lábios nem lágrimas 0 1.233 06/24/2012 - 12:16 Portuguese
Poesia/Meditation Num grito estagnado 1 1.225 06/21/2012 - 18:21 Portuguese
Poesia/Friendship Amigo...preenchimento do verbo amar 1 1.217 06/20/2012 - 20:54 Portuguese
Poesia/Meditation Cadências cálidas 1 1.036 06/14/2012 - 10:10 Portuguese
Poesia/Meditation Esquina da palavra 1 1.688 06/13/2012 - 08:40 Portuguese
Poesia/Intervention Pura ilusão cega 3 1.176 04/15/2012 - 17:35 Portuguese
Poesia/Meditation Esquina de cada utopia 1 1.358 01/06/2012 - 17:32 Portuguese
Poesia/Meditation Os braços sonham ser asas 0 1.664 12/31/2011 - 01:49 Portuguese
Poesia/Meditation Mar de nada 1 1.387 12/11/2011 - 19:44 Portuguese
Poesia/Meditation Traição do destino 0 1.384 12/04/2011 - 22:41 Portuguese
Poesia/Meditation Caminho aberto 0 1.269 11/30/2011 - 22:23 Portuguese
Poesia/Meditation Desígnios da vida 0 1.107 11/29/2011 - 21:06 Portuguese
Poesia/Love Amor entre poetas 2 2.310 10/20/2011 - 13:08 Portuguese
Poesia/Dedicated Agora Setembro Renasce 0 2.676 09/23/2011 - 05:35 Portuguese
Poesia/Meditation Os argumentos de um poema 0 2.083 09/22/2011 - 03:49 Portuguese
Poesia/Meditation EXCERTOS DA ALMA 1 1.792 09/19/2011 - 15:25 Portuguese