“Hic sunt dracones”, A dor é tudo …

Sinto na desilusão uma pedra alçada,
Como papel de embrulho amassado e velho
E o erro que é ter inveja de um cego que vê
Meio muro por uma fenda, pro qual a dor
É purpura, não do vinho, mas de sangue sujo

E uma pedra afiada, um torno e a angústia
Como uma espada de ferro romba, na boca
Cuja serviu de ponta dos pés e a língua de
Vime, como monumento ao que outros dizem
No garrote à vergada populaça infame, vil

Inveja, doença de superioridade sem cura
Pra derrota. “Hic sunt dracones” e aos vendados,
Que atrás das hordas marcham sérios,
Cobertos de escaras iméritas, inéditos Drusos,
Sem nação nem calçada régia, mundo de betão

Herege, onde encostas a barriga de encontro
À parede que julgas consciente, Acabas tu
Como a Lua, a sombra é crua, o mundo
É tão perfeito visto de cima, quanto cruel
É a cinza e o holocausto, que só tem um lado,

-Que fosse o que não é possível ver-se,
Sinto a desilusão como destino e a afeição
Como o azeite para a água, indiferente
Esta alma que nem aceita nem sente, a única
Maneira de não sentir nada é perder e acabar

Sorrindo pra palavras que nem conhecimento
Precisam de ter, nem talento pra mistérios,
“Hic sunt dracones” repetimos fundo e o
Senão do “sei explicar tudo”, sem a humildade
Do apicultor nem a condição do incógnito

Que se revela, tal como uma abelha flutua
E a falha no voo, o paradoxo da fiabilidade
Lapidado nos que passarão por nós, noutros
Séculos e a ideia de morte, donde ninguém
Voltou com exéquias de Filisteu,”príncipe do luto”.

Jorge Santos 02/2020
http://namastibetpoems.blogspot.com

Submited by

Wednesday, April 15, 2020 - 11:45

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

Joel

Joel's picture
Offline
Title: Membro
Last seen: 3 days 15 hours ago
Joined: 12/20/2009
Posts:
Points: 40692

Comments

J. Thamiel's picture

Hic sunt dracones et

Hic sunt dracones et reptilianus

Joel's picture

obrigado pela interacção mas

obrigado pela interacção mas não pertenço a essa religião

J. Thamiel's picture

Nem eu

Nem eu

Joel's picture

abraço

abraço

Add comment

Login to post comments

other contents of Joel

Topic Title Replies Views Last Postsort icon Language
Poesia/General Na minha terra não há terra, 0 302 06/02/2020 - 16:16 Portuguese
Poesia/General A sucessão dos dias e a sede de voyeur ... 0 161 06/02/2020 - 16:09 Portuguese
Poesia/General O Amor é uma nação em risco, 1 379 05/03/2020 - 00:37 Portuguese
Ministério da Poesia/General Ninguém me distingue de quem sou eu ... 1 187 04/20/2020 - 23:34 Portuguese
Ministério da Poesia/General A um Deus pouco divino … 1 258 04/19/2020 - 12:02 Portuguese
Poesia/General “Hic sunt dracones”, A dor é tudo … 4 388 04/15/2020 - 16:25 Portuguese
Poesia/General A Morte não é Bem-Vinda ... 2 348 04/15/2020 - 15:46 Portuguese
Poesia/General Objectos próximos, 0 464 04/15/2020 - 12:06 Portuguese
Poesia/General Daniel Faria, excerto “Do que era certo” 0 414 04/15/2020 - 11:58 Portuguese
Ministério da Poesia/General O avesso do espelho... 5 227 03/01/2020 - 21:02 Portuguese
Poesia/General A síndrome de Savanah 0 302 03/01/2020 - 20:26 Portuguese
Ministério da Poesia/General O Estado da Dúvida 2 197 01/24/2020 - 21:05 Portuguese
Ministério da Poesia/General Patchwork... 0 322 01/08/2020 - 14:05 Portuguese
Ministério da Poesia/General Vivo do oficio das paixões 0 303 01/08/2020 - 13:55 Portuguese
Ministério da Poesia/General Como morre um Rei de palha... 0 203 01/08/2020 - 13:50 Portuguese
Ministério da Poesia/General "Sic est vulgus" 0 317 01/08/2020 - 12:47 Portuguese
Ministério da Poesia/General Quantos Césares fui eu !!! 0 228 01/08/2020 - 12:40 Portuguese
Ministério da Poesia/General Nada se parece comigo 0 244 01/08/2020 - 12:34 Portuguese
Ministério da Poesia/General Pedra, tesoura ou papel..."Do que era certo" 0 264 01/08/2020 - 12:27 Portuguese
Ministério da Poesia/General Sou "O-Feito-Do-Primeiro-Vidente" 0 198 01/08/2020 - 12:11 Portuguese
Ministério da Poesia/General Morri lívido e nu ... 0 242 01/08/2020 - 12:03 Portuguese
Ministério da Poesia/General Ladram cães à distância, Mato o "Por-Matar" ... 0 282 01/08/2020 - 11:45 Portuguese
Ministério da Poesia/General Excerto “do que era certo” 0 253 01/08/2020 - 11:38 Portuguese
Ministério da Poesia/General Rua dos Douradores 30 ... 0 297 01/08/2020 - 11:32 Portuguese
Ministério da Poesia/General A Rua ao meu lado ou O Valor do riso... 0 205 01/08/2020 - 11:24 Portuguese